Seguir o O MINHO

Ave

Presidente de Vizela anuncia obras de 3,5 milhões e “mudança radical na cidade”

“O centro urbano vai ficar irreconhecível”, diz Vítor Hugo Salgado

em

O presidente da Câmara de Vizela, Vítor Hugo Salgado, afirmou hoje que as obras de regeneração urbana, orçadas em 3,5 milhões de euros e já iniciadas, vão trazer “uma mudança radical ao centro da cidade”.


“O centro urbano vai ficar irreconhecível”, disse na sessão de apresentação, que hoje se realizou num restaurante da cidade, insistindo na ideia de que a cidade vai assistir a uma “mudança radical profunda”

O autarca referia-se ao plano de ação previsto no âmbito da Regeneração Urbana Sustentada (RUS), um trabalho que tem vindo a ser projetado desde o início do mandato, com o envolvimento dos técnicos da autarquia, e que, indicou, aponta para a realização de 12 obras, ao longo de três anos, apoiadas por fundos europeus, da administração central e da câmara municipal.

Trata-se, reforçou, de “um plano ambicioso” que prevê a modernização dos arruamentos centrais da localidade, da Praça da República e do Jardim Manuel Faria, obras pensadas, com o propósito de reforçar a atratividade do centro urbano, convidando as pessoas a desfrutar da sua cidade.

Passeios mais largos pensados numa maior acessibilidade, passadeiras de acordo com as novas recomendações, novos pavimentos e zonas de estacionamento melhoradas são o denominador comum das obras apontadas para os arruamentos, nomeadamente para a Avenida Eng. Sá e Melo, Avenida dos Bombeiros, Rua Dr. Abílio Torres, Rua da Rainha, Rua Ferreira Caldas e Rua Dr. Joaquim Pinto.

O plano prevê também uma ciclovia, com zonas mistas para peões e com equipamentos de apoio, ligando a localidade de Infias, à entrada da cidade, à zona Ribeirinha, junto ao rio Vizela, atravessando grande parte da área urbana.

O edifício do antigo matadouro também vai ser transformado numa moderna Casa da Cultura, com um auditório e uma sala de exposições. Junto ao imóvel original, surgirá um novo edificado de apoio.

A requalificação do Parque das Termas, já em curso, a limpeza das margens do rio Vizela e um novo parque de estacionamento para cerca de uma centena de viaturas na principal zona comercial também constam do plano.

Vítor Hugo Salgado disse acreditar que o conjunto das várias intervenções, quando concluídas, trará “uma nova vida ao centro urbano de Vizela”, incluindo no plano económico, invertendo a tendência de algum declínio que se observou nas últimas décadas.

A estratégia da autarquia inclui ainda incentivos para os comerciantes e para os particulares reabilitarem as lojas históricas e as fachadas dos edifícios. As melhores intervenções nos imóveis poderão receber até 4.000 euros.

As obras já decorrem em alguns arruamentos e outras já foram concluídas, como a recente remodelação do acesso às instalações das termas e praça junto ao estabelecimento.

A intervenção na Praça da República e Jardim Manuel Faria, que constituem o centro cívico da cidade, deverá arrancar em outubro, com os trabalhos preliminares, acelerando no início de 2020. À Lusa o presidente disse que essa intervenção deverá prolongar-se por um ano.

A terminar, o autarca admitiu que os próximos meses serão caracterizados pelos “naturais transtornos” causados pelas várias obras previstas neste plano, apelando, por isso, à “compreensão dos vizelenses”, na certeza de que, prometeu, “valerá a pena”.

Anúncio

Ave

Menina de nove meses queimada com água a ferver em Fafe

Acidente

em

Foto: DR / Arquivo

Um bebé de nove meses sofreu queimaduras em segundo grau, ao final da tarde desta segunda-feira, em Fafe.

Ao que apurou O MINHO, a criança, uma menina, terá ficado queimada com água a ferver por acidente.

Para o local, na freguesia de Fornelos, foi mobilizada uma ambulância dos Bombeiros de Fafe apoiada pela ambulância de Suporte Imediato de Vida e pela viatura médica do INEM de Guimarães.

A criança foi transportada em “estado grave” para o Hospital de São João, no Porto.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Ave

Fafe atribui 100 mil euros a instituições sociais e de saúde

Apoio social

em

Foto: Ivo Borges / O MINHO

A Câmara de Fafe anunciou hoje que vai atribuir subsídios no valor de 100 mil euros a várias instituições do concelho com atividades nas áreas social e da saúde.

Os subsídios têm como objetivo ajudar as instituições que operam no terreno no apoio às pessoas com maiores dificuldades, garantindo, segundo o município, que “tenham uma vida digna e com as condições de sobrevivência a que todos têm direito.”

Segundo aquela autarquia do distrito de Braga, a decisão foi aprovada por unanimidade no executivo municipal.

Raul Cunha, presidente da Câmara de Fafe, citado num comunicado enviado à Lusa, considera que “estas instituições representam uma mais-valia através das suas áreas de atuação”.

“Estes apoios vão estimular e promover a atividade destas instituições que têm um papel fundamental junto da comunidade fafense”, acrescenta o autarca.

O autarca salientou ainda “a importância de, neste período especial de pandemia que vivemos, Fafe beneficiar da presença de um conjunto amplo e diversificado de instituições de caráter social que, em articulação e com o apoio da autarquia, têm desenvolvido ações de resposta social nas diferentes áreas e são fundamentais para o dia-a-dia de várias famílias com dificuldades do concelho.

Continuar a ler

Ave

Perseguiu e insultou mulher no trânsito até à porta da esquadra da PSP em Famalicão

Violência doméstica

em

Foto: DR

Um homem, com 30 anos, foi detido por agentes da PSP por suspeitas da prática do crime de violência doméstica, ao final de almoço de domingo, na cidade de Famalicão.

A vítima estava dentro de um estabelecimento de restauração quando avistou o suspeito, com quem já teria tido problemas de violência doméstica, acabando por sair do restaurante entrando numa viatura.

A mulher tentou fugir mas acabou por ser perseguida, levando a que se dirigisse na viatura até à esquadra da PSP de Famalicão. Pelo caminho, o homem terá tentado “por várias vezes” ultrapassar e bloquear, “colocando-a em perigo e causando lhe medo”.

“A vítima por temer que algo grave pudesse acontecer, deslocou-se até à esquadra”, a fim de alertar a polícia, “ao que o suspeito seguiu e estacionou o seu veículo mais à frente, deslocando-se a pé em direção à vítima”, refere a PSP, em nota enviada às redações.

O homem terá mantido uma postura “agressiva, injuriando a vítima e os elementos policiais”, pelo que acabou detido.

Continuar a ler

Populares