Seguir o O MINHO

Ave

Presidente de Vizela acusa rádio local de estar “ao serviço de putativa candidatura” autárquica

em

A Câmara Municipal de Vizela divulgou esta quarta-feira em comunicado publicado no seu site “o seu desagrado” com a forma como a rádio Vizela, rádio e jornal do concelho, tem informado a população local, acusando aquele que é o único orgão de informação local de estar”ao serviço de uma putativa candidatura”.


“A gota de água surge hoje no título publicado no site da rádio Vizela “Oposição “salva” edil de moção de censura da bancada PS”, quando, na realidade, deveria ser “moção morreu na praia”, conforme refere a parte final do texto da notícia”, afirma Dinis Costa, que assina aquela nota.

Para o presidente da Câmara de Vizela, “mais uma vez se denota que este órgão de comunicação social local faz manchete com títulos sensacionalistas“.

“Também tem sido prática deste órgão de comunicação social local fazer notícias de qualquer assunto, sem conceder o direito ao contraditório e ao apuramento dos factos. E, falando de factos, a pretendida apresentação da moção na última sessão da Assembleia Municipal seria sempre um ato inócuo e absurdo, sem consequências práticas, considerada a legitimidade direta de cada órgão autárquico”, conclui.

Na reunião da Assembleia Municipal desta terça-feira, o Partido Socialista, que apoiou Dinis Costa nas duas últimas eleições para a Câmara Municipal, apresentou uma moção de censura ao executivo. O PS viria a ser o único partido a votar favoravelmente a proposta, pelo que a moção foi chumbada.

Vítor Hugo Salgado, que até este ano ocupou o lugar de vice-presidente da Câmara, eleito pelo PS, anunciou em maio a sua candidatura às próximas eleições autárquicas.

 

 

Fique a par das Notícias de Vizela. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Guimarães

Guimarães volta a permitir espetáculos (mas com parecer da Autoridade de Saúde)

Covid-19

em

Foto: DR

A realização de eventos em equipamentos culturais do município e espaços públicos de Guimarães, a partir de agora, apenas serão autorizados mediante um parecer vinculativo da Autoridade de Saúde, conforme proposta do presidente da Câmara, Domingos Bragança, aprovada por unanimidade em reunião extraordinária da Comissão Municipal de Proteção Civil, realizada esta terça-feira, 13 de outubro.

Em comunicado, a autarquia explica que esta decisão resulta da situação epidemiológica que atualmente se verifica no concelho, obrigando a adoção de medidas mais restritivas do que aquelas que atualmente estão previstas no quadro legal.

Assim, todas as entidades responsáveis pela organização de eventos/espetáculos devem enviar atempadamente para o Serviço Municipal de Proteção Civil e Autoridade de Saúde o plano de contingência para cada evento, sendo que o parecer vinculativo será emitido pela Autoridade de Saúde.

Este reunião de emergência realizou-se depois de um espetáculo de comédia realizado no passado sábado, no Pavilhão Multiusos, onde cerca de mil pessoas marcaram presença.

A divulgação das imagens nas redes sociais causaram grande revolta por parte de muitos munícipes, levando a que Domingos Bragança suspendesse temporariamente todos os eventos culturais concelhios.

Continuar a ler

Ave

Traficava droga a partir de casa senhorial em Vizela

Tráfico de droga

em

Foto: Divulgação / GNR

A GNR de Vizela deteve em flagrante delito um homem de 52 anos por tráfico de estupefacientes, naquela cidade informou hoje a autoridade.

A detenção ocorreu na sequência de uma denúncia a dar conta que um homem estaria numa rua a tentar vender droga.

“Os militares da Guarda deslocaram-se ao local, onde abordaram o suspeito. Foi efetuada uma revista que culminou na apreensão de 30 doses de heroína e sete doses de cocaína”, refere-se, em comunicado.

Assinala-se, ainda, que diligências policiais posteriores determinaram uma busca domiciliária, na qual se procedeu à apreensão de 223 doses de heroína, 53 doses de cocaína, 3.430 euros em numerário e material de acondicionamento do produto estupefaciente.

Segundo o Jornal de Notícias, o suspeito terá arrendado uma casa senhorial, em Santa Eulália, de onde traficava a droga.

Continuar a ler

Guimarães

Programa da Farfetch para graduados arranca com 37 estagiários

Plataforma tecnológica líder global para a indústria da moda de luxo

em

Cipriano Sousa, CTO Farfetch. Foto: Divulgação / Farfetch

A Farfetch, a plataforma tecnológica líder global para a indústria da moda de luxo, começa esta semana mais uma edição do Plug-In para graduados, um programa de estágios remunerados que vai já na 5ª edição e arranca com 37 estagiários nas áreas de Tecnologia, Produto e Data, selecionados de um lote de mais de 2500 candidatos, anunciou a empresa, que tem filiais em Guimarães, Porto, Lisboa, Nova Iorque, Los Angeles, Tóquio, Xangai e São Paulo.

Cipriano Sousa, CTO da Farfetch, afirma que “o Plug-In oferece inúmeras vantagens para os recém-graduados e os números desta edição, com mais de 2500 candidaturas, são a prova do valor do programa”.

“Tenho a certeza que estes 37 estagiários que agora se juntam a nós vão encontrar um ambiente desafiante mas, ao mesmo tempo, terão todo o apoio dos mentores da Farfetch para começarem as suas carreiras da melhor forma e aprenderem com os melhores, numa empresa global, na qual, todos os dias, terão oportunidades de desenvolvimento”.

Ana Sousa, VP People da Farfetch, afirma realça que, “num contexto em que o mercado se ressente por alguma incerteza, é com muita satisfação que damos oportunidade a mais 37 talentos para se desenvolverem na Farfetch”.

Ana Sousa, VP People Farfetch. Foto: Divulgação / Farfetch

“Nas 4 edições anteriores, tivemos 142 a iniciarem as suas carreiras connosco e, desses, hoje mais de 90% continuam a fazer parte das nossas equipas. São números que comprovam a robustez do programa, que procura as melhores competências técnicas, mas também o fit com a cultura e forma de trabalhar da Farfetch”.

Na edição deste ano, quase 40% dos estágios são ocupados por mulheres, num grupo de perfis diversos, que integrará essencialmente áreas de Engenharia e Data Science.

Os estagiários vão trabalhar durante 6 meses em equipas internacionais, com um acompanhamento muito próximo de mentores de diversas áreas da Farfetch, dedicando-se a criar soluções disruptivas para a indústria da moda e para o futuro do comércio online.

Pela primeira vez, o programa vai decorrer de forma remota. Ana Sousa, VP People da Farfetch, nota que, “numa empresa internacional, estar remoto não é algo totalmente novo”.

“Naturalmente tivemos que nos adaptar por causa da pandemia, mas queremos continuar a reforçar a nossa aposta no talento. Estamos perfeitamente preparados para receber este grupo de forma remota, e tenho a certeza que vamos ser capazes de proporcionar uma experiência única e enriquecedora, tal como aconteceu nas edições anteriores.

Neste momento, o importante é, sobretudo, garantir o bem-estar e a segurança física e psicológica de todos”, considera.

A Farfetch encara o Plug-In como um meio privilegiado para os recém-graduados darem o salto entre o mundo de ensino e o profissional, num ambiente que os desafia a serem revolucionários e lhes dá uma perspetiva de negócio verdadeiramente global.

Continuar a ler

Populares