Seguir o O MINHO

Braga

Póvoa de Lanhoso isenta as IPSS de pagar água, saneamento e recolha de resíduos

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Póvoa de Lanhoso (Arquivo)

A Câmara da Póvoa de Lanhoso está a isentar as instituições particulares de solidariedade social (IPSS) do pagamento de serviços de água, saneamento e recolha de resíduos, para “minimizar os impactos socioeconómicos da pandemia”, anunciou hoje a autarquia.


Em comunicado, aquela autarquia do distrito de Braga explica que a isenção começou a “já na fatura de março e tem a duração de três meses”, abrangendo 31 entidades do concelho da Póvoa de Lanhoso.

“Estes são tempos difíceis, mas temos de apoiar as entidades que têm por missão cuidar de muitos dos idosos do nosso concelho, e de outra população de risco, para que todos estejam mais protegidos. E esta é uma forma de aliviar os orçamentos destas entidades, sendo que algumas estão mesmo a fazer um grande esforço financeiro para aumentar as medidas internas de proteção e contenção”, salienta no texto o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva.

A autarquia lembra ainda que tem promovido a realização de testes aos utentes e aos funcionários de IPSS e lares do concelho, “numa medida direcionada para a proteção de grupos de risco no âmbito da COVID19”.

Portugal regista 657 mortos associados à covid-19 em 19.022 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais 28 mortos (+4,5%) e mais 181 casos de infeção (+0,96%).

Das pessoas infetadas, 1.284 estão hospitalizadas, das quais 222 em unidades de cuidados intensivos, e 519 foram dadas como curadas.

O decreto presidencial que prolonga até 02 de maio o estado de emergência iniciado em 19 de março prevê a possibilidade de uma “abertura gradual, faseada ou alternada de serviços, empresas ou estabelecimentos comerciais”.

Anúncio

Braga

Trincão leiloa camisola para ajudar pequeno Tomás

Solidariedade

em

O futebolista vianense Francisco Trincão disponibilizou uma camisola sua com as cores do Barcelona para angariar dinheiro para ajudar a família do pequeno Tomás, de Braga, a concretizar a ida a clínicas especializadas em Espanha e nos Estados Unidos da América para combater um cancro agressivo.

O leilão está a ser feito através do Instagram e o preço base de licitação é de 150 euros por uma camisola blaugrana autografada pelo craque formado no SC Braga.

O pequeno Tomás, de 7 anos, precisa de ajuda financeira para conseguir fazer um tratamento a um cancro no estrangeiro. Para esse efeito, foi criada uma conta solidária para ajudar os pais, residentes no concelho de Braga.

Os pais explicam que, no passado dia 20 de setembro de 2019, o Tomás foi diagnosticado com um neuroblastoma, um cancro agressivo e invasivo. Passados alguns dias, a 01 de outubro, foi-lhe ainda diagnosticada uma amplificação de MYCN, a forma “mais terrível, agressiva e invasiva de cancro” dentro do neuroblastoma.

Após vários tratamentos em Portugal, tudo parecia estar bem encaminhado para a recuperação do menino, mas, na passada semana, caiu “uma bomba” na vida daquela família, ao perceberem que o mesmo cancro tinha voltado. Agora, resta a esperança de tratamentos em Barcelos e nos Estados Unidos da América, para que o Tomás possa voltar a sorrir.

Os donativos podem ser feitos através do IBAN PT50 0007 0000 0051 0803 9412 3.

 

Continuar a ler

Braga

Mulher oferece habitação gratuita a idosos que foram despejados em Vieira do Minho

Solidariedade

em

Foto: DR

Uma boa notícia. Uma mulher da Póvoa de Lanhoso, chamada Alice, sensibilizada pela situação de despejo de um casal de idosos residente em Vieira do Minho, ofereceu uma casa para que estes habitem gratuitamente enquanto necessitarem.

A O MINHO, o presidente da Junta de Guilhofrei, freguesia onde residia o casal até esta tarde, depois de terem sido alvo de despejo, indica que a mulher viu o direto feito pela rádio Ondas da Cabreira, esta manhã, e ficou sensibilizada com a sitiuação.

“A senhora ligou para a sede da Junta e disponibilizou-se para oferecer estadia gratuita numa moradia que pertence a um filho, localizada na freguesia de Taíde, em Póvoa de Lanhoso, enquanto o casal necessitasse”, adiantou o autarca.

Família despejada de casa onde vivia há 27 anos em Vieira do Minho

Todavia, a ‘boa nova’ ainda não foi comunicada aos idosos, que vão passar esta noite em casa de uma filha, no concelho de Barcelos.

“Ainda não falei com a família sobre esta oferta, foi mesmo agora ao fim da tarde e ainda não tive oportunidade, mas a oferta é boa porque permite que fiquem lá o tempo que for necessário sem qualquer custo”, explica.

Apesar da oferta, que José Fernando Castro classifica como “uma boa opção”, está convicto de que o casal prefere continuar a morar em Guilhofrei, terra onde vivem há várias décadas e onde se “sentem bem”.

“Claro que eles queriam ficar em Guilhofrei, mas de qualquer forma, nós Junta e a ação social da Câmara, vamos tentar arranjar aqui alguma casa para eles ficarem”, assegura.

“Em principio, hoje ou amanhã, a família vai ver uma casa que está à venda e saber se o proprietário consegue arrendar com opção de compra, de forma a que a família possa contrair um empréstimo para a adquirir”, explica.

Caso tal não seja possível, a autarquia está a tentar encontrar outras habitações na freguesia onde a família possa habitar, apesar de não descartarem a oferta da senhora Alice, da mudança para a Póvoa de Lanhoso.

Recorde-se que esta família foi hoje despejada da habitação onde residiam há 27 anos após deliberação do tribunal de Braga. Apesar de terem adquirido a casa pelo valor de 80 contos, em 1994, a compra da mesma não foi comunicada às entidades administrativas, pelo que agora, os herdeiros da antiga proprietária, falecida em 2001, querem usufruir do espaço.

O despejo desta tarde acabou por causar bastante comoção por entre os habitantes daquela freguesia, levando a que o próprio pároco, padre Alcino Xavier da Silva, desse a cara ao manifesto, apelando aos herdeiros que deixem a família regressar “ao que é deles de direito”.

Continuar a ler

Braga

Presidente da Câmara de Amares apoia António Cunha para a CCDR-N

Política

em

foto: DR

O presidente da Câmara de Amares manifestou hoje apoio a António Cunha para liderar a Comissão de Coordenação do Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), considerando que o candidato tem “visão e garra” para planear uma “estratégia regional forte”.

Manuel Moreira defende que o ex-reitor da Universidade do Minho “tem um percurso notável” e é um “profundo conhecedor da região Norte” além de ser uma “personalidade com provas dadas de capacidade de trabalho”.

“Esta candidatura tem o meu apoio pois considero que congrega a visão e a garra para o planeamento e a definição de uma estratégia regional forte que vise a defesa das imensas potencialidades da região norte e que potencie também o desenvolvimento e crescimento do concelho de Amares”, observa.

A eleição para presidente da CCDR-N é dia 13, sendo António Cunha o único candidato ao cargo.

Continuar a ler

Populares