Seguir o O MINHO

Póvoa de Lanhoso

Póvoa de Lanhoso premiou nascimento de 62 bebés

Apoio é 500 euros para o primeiro e segundo filhos, de 750 euros para o terceiro e de mil para o quarto e seguintes

em

Foto: CM Póvoa de Lanhoso

A Câmara da Póvoa de Lanhoso entrega no sábado 62 cheques, num valor total de 31.750 euros, para premiar o nascimento de outros tantos bebés durante o segundo semestre de 2018, anunciou hoje o município.

Em comunicado, o município acrescenta que em meados do ano já tinham sido atribuídos 49 incentivos à natalidade, num total de 26.250 euros.

Desta forma, 58 mil euros do orçamento do município da Póvoa de Lanhoso para 2018 foram gastos em “prendas” para o nascimento de 111 bebés no concelho.

Os incentivos têm obrigatoriamente de ser despendidos junto do comércio local da Póvoa de Lanhoso, em artigos, bens e serviços para o bebé.

O apoio é monetário, sendo de 500 euros para o primeiro e segundo filhos, de 750 euros para o terceiro e de mil para o quarto e seguintes.

Nos últimos cinco anos, o valor atribuído pela Câmara da Póvoa de Lanhoso ronda os 300 mil euros.

“Com esta medida, a Câmara apoia diretamente as famílias povoenses, independentemente da sua situação socioeconómica, e indiretamente os comerciantes instalados no concelho”, refere o comunicado do município.

Em 2018, a Póvoa de Lanhoso renovou, pelo nono ano consecutivo, a distinção de Autarquia Mais Familiarmente Responsável, um reconhecimento pela implementação de medidas transversais “amigas” das famílias.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Póvoa de Lanhoso

Identificado suspeito de chamada falsa que mobilizou 36 operacionais na noite de Natal

O detido incorre num crime de abuso e simulação de sinais de perigo, punível com pena de prisão até um ano ou com multa até 120 dias

em

Foto: O Minho/Arquivo

A GNR identificou um jovem de 21 anos da Póvoa de Lanhoso pela presumível autoria de uma chamada falsa para o 112 na noite de Natal, dando conta de um acidente com quatro vítimas encarceradas naquele concelho.

Fonte da GNR disse hoje à Lusa que o jovem foi identificado na terça-feira, no decorrer de uma busca domiciliária, de que resultou também a apreensão do telemóvel que terá sido usado para a chamada falsa.

Os factos remontam a 24 de dezembro, pelas 20:26, quando vários meios de socorro foram acionados pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga para a freguesia de Vilela, naquele concelho, para uma alegada colisão entre dois veículos ligeiros, com quatro vítimas encarceradas.

“Quem fez a chamada, deu dados muito concretos e precisos”, referiu a fonte.

Para o local, foram mobilizadas seis ambulâncias de socorro, um veículo de desencarceramento, um veículo de comando tático, um veículo de desencarceramento e duas viaturas médicas de emergência e reanimação, além da GNR da Póvoa de Lanhoso, num total de 36 operacionais.

No entanto, tratou-se de uma chamada falsa.

O detido incorre num crime de abuso e simulação de sinais de perigo, punível com pena de prisão até um ano ou com multa até 120 dias.

O caso está entregue ao Ministério Público.

Continuar a ler

Póvoa de Lanhoso

Sete armas apreendidas a suspeito de perseguir ex-mulher na Póvoa de Lanhoso

Mulher de 47 anos “temia pela sua própria vida”

em

Foto: GNR

A GNR apreendeu esta terça-feira várias armas de fogo e munições, na Póvoa de Lanhoso, na sequência de uma denúncia de violência doméstica, informou hoje o Comando Territorial de Braga.

Numa nota enviada a O MINHO, aquela força de segurança refere que a apreensão resultou da queixa apresentada por uma mulher de 47 anos, que era “perseguida pelo seu ex-marido e que temia pela sua própria vida”, uma vez que o homem possuía aquele conjunto de armas.

Na sequência dessa denúncia, a GNR da Póvoa de Lanhoso levou a cabo uma investigação que culminou no cumprimento de um mandado de busca à residência do suspeito, da qual resultou a apreensão de sete armas – duas caçadeiras, duas espingardas de ar comprimido, dois revolveres e uma carabina – e 350 munições – 171 cartuchos, calibre 12 e 179 munições de diferentes calibres.

O suspeito foi constituído arguido e sujeito a termo de identidade e residência.

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial da Póvoa de Lanhoso.

Continuar a ler

Póvoa de Lanhoso

Hospital da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso com aumento de 40% na produção cirúrgica em 2018

Consultas abertas e consultas de especialidade também aumentaram

em

Foto: Misericórdia da Póvoa de Lanhoso

O Hospital da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso registou, em 2018, um aumento de 40% na produção cirúrgica em relação a 2017, prevendo para este ano um novo aumento, superior a 25%, anunciou hoje aquela instituição.

Em comunicado, a Misericórdia da Póvoa de Lanhoso acrescenta que em 2018 se verificaram também aumentos de 13% na consulta aberta e de 20% nas consultas de especialidade.

No que se refere às cirurgias, a Misericórdia diz que o aumento se deve, essencialmente, ao crescimento “exponencial” do fluxo de vales cirurgia e notas de transferência (NT) recebidos enquanto hospital de destino, fruto do protocolo SIGIC (Sistema Integrado de Gestão de Inscritos para Cirurgia).

Citado no comunicado, o provedor da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, Humberto Carneiro, refere que o crescimento é o resultado do “aumento da confiança” da população no hospital, “reforçando a validade do investimento feito, que proporcionou notórias melhorias nas condições de trabalho e de prestação de serviços”.

Continuar a ler

Populares