Seguir o O MINHO

País

Portugal teve a quarta taxa de natalidade mais baixa da UE em 2018

Segundo o Eurostat

em

Foto: DR / Arquivo

Portugal teve, em 2018, a quarta taxa de natalidade mais baixa entre os Estados-membros da União Europeia (UE), registando também uma perda de população para 10,28 milhões de pessoas, segundo dados comunitários hoje divulgados.


Dados hoje divulgados pelo gabinete de estatísticas da UE, o Eurostat, revelam que a taxa de natalidade de Portugal foi, no ano passado, de 8,5‰, sendo a quarta pior da União e apenas ultrapassada por Itália (7,3‰), Espanha (7,9‰) e Grécia (8,1‰).

Em 2017, a taxa de natalidade tinha sido de 8,4‰ em Portugal.

No que toca à taxa de mortalidade, Portugal ficou no ano passado a meio da tabela dos 28 países da UE, com 11‰, maior do que a registada em 2017 (10,7‰).

No dia 01 de janeiro deste ano, o país tinha, assim, cerca de 10,28 milhões de pessoas, menos do que as 10,29 milhões registadas no período homólogo anterior.

Em termos absolutos, foram registados 87 mil nascimentos e 113 mil mortes em Portugal no ano passado.

Acresce que, no início deste ano, a população portuguesa representava 2% de todos os residentes na UE.

Ao todo, a população da UE era de quase 513,5 milhões de pessoas no início deste ano, mais do que as 512,4 milhões de pessoas registadas em janeiro de 2018, aumento que tem em conta, principalmente, o fenómeno das migrações.

Durante todo o ano de 2018 foram, por seu turno, registadas 5,3 milhões de mortes e cinco milhões de nascimentos em toda a União.

Anúncio

País

Banco de Portugal melhora projeções e estima queda do PIB de 8,1% em 2020

Economia

em

Foto: DR / Arquivo

O Banco de Portugal prevê uma recessão económica de 8,1% em 2020 devido à pandemia de covid-19, melhor do que os 9,5% projetados em junho, segundo no Boletim Económico hoje divulgado.

“A economia portuguesa cairá 8,1% em 2020, reflexo de uma queda homóloga de 9,4% no primeiro semestre e de uma recuperação na segunda metade do ano, que se traduz numa variação homóloga de -6,8%”, pode ler-se no documento.

A projeção agora apresentada revê 1,4 pontos percentuais em alta a previsão de junho, reflexo de um impacto mais reduzido do confinamento na economia portuguesa e de uma reação das empresas e famílias melhor do que a antecipada, adianta o banco central.

Continuar a ler

País

Brexit: Comissão Europeia não descarta cenário de ‘no-deal’

Política

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O vice-presidente da Comissão Europeia, Maros Sefcovic, anunciou hoje que o cenário de ‘no-deal’, em que a União Europeia (UE) e o Reino Unido não chegam um acordo de comércio pós-‘Brexit’, não pode ser descartado.

“O tempo começa a escassear: caso haja um acordo, o que é o nosso objetivo, ambas as partes precisam de tempo para se assegurarem que conseguem ratificar o acordo até ao dia 01 de janeiro de 2021. Caso isso não aconteça, entraremos no território de ‘no-deal’”, referiu o comissário europeu, em sessão plenária do Parlamento Europeu (PE).

Realçando que faltam “menos de 100 dias até ao final do processo de transição”, Maros Sefcovic salientou que a equipa de negociação da União Europeia (UE) foi instruída para trabalhar “o mais rápido possível”, mas que, no processo de ratificação, “é necessário tempo”.

Referindo que a proposta de lei britânica que prevê a violação do acordo do ‘Brexit’ foi um “duro golpe” para a Comissão Europeia, Sefcovic afirmou que “o respeito de acordos internacionais é, primeiro, uma questão legal e, depois, uma questão de confiança e de boa-fé”.

“A implementação total e respeitando os prazos do acordo de saída não é, muito simplesmente, discutível”, referiu o comissário para as Relações Interinstitucionais, que integra também a comissão mista UE-Reino Unido, que supervisiona a aplicação do acordo de saída.

Na sessão plenária do PE, que decorre em Bruxelas e não em Estrasburgo (França) devido à covid-19, Sefcovic apelou também à união entre todas as instituições europeias durante “um momento delicado para a Europa”.

“A data de limite do ‘Brexit’ está a aproximar-se, a pandemia continua entre nós, é um momento de incerteza, por isso, tem também de ser um momento de união e de coragem”, afirmou Sefcovic.

O eurodeputado do PS, Pedro Silva Pereira, que integra o grupo de coordenação do PE sobre o ‘Brexit, realçou também “a importância de manter a unidade da UE nesta fase crucial”.

Saudou também “a oportuna e firme iniciativa da Comissão em abrir um processo de infração contra o Reino Unido por incumprimento dos deveres de boa-fé no acordo de saída”, sublinhando que “era a única coisa que podia e devia fazer”.

Na semana passada, os parlamentares britânicos aprovaram um projeto de lei destinado a substituir as normas europeias por regras para o comércio entre as diferentes regiões do Reino Unido (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte) após a saída da EU.

A nova legislação dá ao executivo britânico poderes para ignorar cláusulas que estão no acordo de saída negociado com a UE.

Continuar a ler

País

Covid-19: Mais 14 mortos, 427 infetados e 258 recuperados no país

Boletim diário da DGS

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Portugal regista hoje mais 14 mortos e 427 novos casos de infeção por covid-19, em relação a segunda-feira, segundo o boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 80.312 casos de infeção confirmados e 2.032 mortes.

Há ainda 50.712 recuperados, mais 258 do que ontem.

Continuar a ler

Populares