Seguir o O MINHO

País

Portugal e MARO em nono na Eurovisão. Ucrânia vence

66.º Festival

em

Portugal terminou no nono lugar da final do 66.º Festival Eurovisão da Canção, em Turim, Itália, com o tema “Saudade, Saudade”, interpretado pela lisboeta Maro. Após duas rondas de votações, uma de júris de 40 países, e outra do público, a música da Ucrânia foi a vencedora, com 631 pontos.

A votação do público, que provocou algumas reviravoltas, deu ao tema português apenas 36 pontos. Na primeira ronda de votações, onde foram apuradas as escolhas dos júris de 40 países, a música de Maro ficou em quinto, com 171 pontos, somando 207 pontos no global. O tema mais votado foi Stefania, dos ucranianos Kalush Orchestra.

Vinte e cinco países competiram este sábado na final do 66.º Festival Eurovisão da Canção, em Turim, Itália, onde a vencedora Ucrânia acabou por confirmar o favoritismo que lhe foi atribuído ao longo da última semana.

Este ano entraram 40 países em competição, mas à final chegaram 25, dos quais 20 foram seleccionados em duas semifinais, que decorreram na terça-feira e na quinta-feira, também em Turim.

A 66.ª edição do Festival Eurovisão da Canção, que se realiza anualmente na Europa desde 1956, incluía inicialmente 41 países, mas a União Europeia de Radiodifusão, que promove o concurso, anunciou em 25 de fevereiro, um dia após a invasão da Ucrânia, que a Rússia iria ficar de fora.

Na primeira semifinal passaram à final Portugal (Saudade, Saudade, Maro), Ucrânia (Stefania, Kalush Orchestra), Suíça (Boys do cry, Marius Bear), Arménia (Snap, Rosa Linn), Islândia (Með hækkandi sól, Systur), Lituânia (Sentimentai, Monika Liu), Noruega (Give that wolf a banana, Subwoolfer), Grécia (Die together, Amanda Georgiadi Tenfjord), Moldova (Trenuletul, Zdob si Zdub & Advahov Brothers) e Países Baixos (De Diepte, S10).

República Checa (Ligths Off, We Are Domi), Azerbaijão (Fade to Black, Nadir Rustamli), Polónia (River, Ochman), Estónia (Hope, Stefan), Austrália (Not the same, Sheldon Riley), Suécia (Hold me closer, Cornelia Jakobs), Roménia (Llámame, WRS) e Sérvia (In corpore sano, Konstrakta) foram os escolhidos na segunda semifinal.

A estes 20 países juntaram-se os chamados “Big Five” (“Cinco Grandes” em português) – França (Fullen, Alvan & Ahez), Alemanha (Rockstars, Malik Harris), Itália (Brividi, Mahmood & Blanco), Espanha (SloMo, Chanel) e Reino Unido (Space Man, Sam Ryder).

A representante portuguesa, Maro, venceu em março o Festival da Canção, com Saudade, Saudade. Maro actua no concurso acompanhada por um coro feminino, tal como o tinha feito na final do Festival da Canção, que integra Beatriz Fonseca, Beatriz Pessoa, Carolina Leite, Diana Castro e Milhanas.

Maro é o nome artístico de Mariana Secca, lisboeta, que cresceu num ambiente familiar marcado pela música, começou a estudar piano aos quatro anos, fez o conservatório e estudou na escola de Berklee, em Boston, nos Estados Unidos. Em 2018 editou o primeiro álbum, homónimo.

Portugal participou no Festival Eurovisão da Canção pela primeira vez em 1964, tendo, entretanto, falhado cinco edições (em 1970, 2000, 2002, 2013 e 2016). Entre 2004 e 2007, inclusive, e em 2011, 2012, 2014, 2015 e 2019, Portugal falhou a passagem à final. A primeira e única vitória no concurso aconteceu em 2017, com o tema Amar pelos dois, interpretado por Salvador Sobral e composto por Luísa Sobral. Na sequência da vitória, Lisboa acolheu, no ano seguinte, a competição.

Em 2021, Portugal esteve no Festival Eurovisão da Canção com Love is on my side, composta por Tatanka e interpretada pelos The Black Mamba, que alcançou o 12.º lugar no concurso. Itália venceu o concurso no ano passado, com a canção Zitti e buoni, interpretada pelos Måneskin.

Populares