Portugal e França vão celebrar “tratado de amizade” para aprofundar cooperação bilateral

Em várias áreas setoriais
Foto: Lusa

Portugal e França vão aprofundar as relações bilaterais através de um “tratado de amizade” que pretende reforçar a cooperação em várias áreas setoriais, como a educação, a economia e a energia, disse à Lusa fonte do gabinete do primeiro-ministro.

A decisão foi tomada durante um almoço que juntou no palácio do Eliseu, em Paris, o primeiro-ministro português, Luís Montenegro, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, que visou o aprofundamento das relações bilaterais entre os dois países.

Segundo a fonte do gabinete de Montenegro, o objetivo é iniciar “um novo ciclo” na relação entre Portugal e a França, através da realização de encontros bilaterais com maior regularidade.

Os dois países vão agora trabalhar num “tratado de amizade” para impulsionar a partilha de conhecimento e informação “nas mais variadas áreas setoriais”.

A França tem já tratados estratégicos bilaterais com países como a Espanha, Itália e Alemanha e passará no futuro também com Portugal, disse à Lusa a mesma fonte.

Além dos tratados, Montenegro e Macron acordaram também em realização encontros bilaterais “com mais regularidade” de modo a incrementar as relações entre os dois países.

A fonte do gabinete de Montenegro lembrou a importância da comunidade portuguesa em França, embora relevando que não tem, depois, tradução prática na relação entre os dois países, uma situação que o Governo português pretende agora inverter.

No final do almoço de hoje no palácio do Eliseu, Luís Montenegro manifestou-se empenhado no reforço da relação entre os dois países, destacando as agendas europeias, mas também a influência em África, que ambos partilham.

“A nossa predisposição é não só continuar como reforçar os nossos laços, por isso venho aqui, caro Presidente, com a intenção de dar continuidade à relação que temos, mas incrementá-la e dizer-lhe que temos à nossa frente um espaço de cooperação que pode ser mais profundo e que pode servir os nossos povos”, afirmou Luís Montenegro, no Palácio do Eliseu, em Paris, onde foi recebido para um almoço de trabalho.

Perante o chefe de Estado francês, o primeiro-ministro português sublinhou que “Portugal e a França têm uma relação de parceria muito transversal, histórica, quer do ponto de vista bilateral”, quer do ponto de vista do “compromisso com os valores e a construção do futuro da União Europeia, quer do ponto de vista global nas Nações Unidas” e em áreas geográficas onde têm interesses comuns, “como África”.

“Estamos muito focados e solidários, nas principais agendas que temos hoje na frente de nós na União Europeia, desde logo o apoio à Ucrânia face à invasão da Rússia, o acompanhamento da situação na Faixa de Gaza e todo o processo de relançamento económico da Europa”, declarou.

O almoço de trabalho com o Presidente francês, em Paris, segue-se às reuniões de Luís Montenegro com o presidente do Governo espanhol, Pedro Sanchez, e com chanceler alemão, Olav Scholz.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Investir nas Forças Armadas "é uma questão de inteligência e lucidez pragmática"

Próximo Artigo

Mãe das gémeas vem a Portugal para ser ouvida no parlamento

Artigos Relacionados
x