Seguir o O MINHO

Desporto

Portugal chega às 22 medalhas com a prata de João Vieira nos mundiais de atletismo

No Japão

em

Foto: DR / Arquivo

A medalha de prata conquistada este domingo em Doha por João Vieira, nos 50 km marcha, corresponde à 22.ª presença de Portugal no pódio de Campeonatos do Mundo de atletismo.

Dois anos depois de Inês Henriques se ter sagrado campeã na mesma distância, João Vieira tornou-se, aos 43 anos, o mais velho atleta medalhado em Mundiais, ao terminar a prova em 4:04.59 horas, 39 segundos depois do vencedor, o japonês Yosuke Suzuki, recordista mundial dos 20 km marcha.

Na capital do Qatar, o algarvio arrecadou a sua segunda medalha em Mundiais, depois de ter ‘herdado’ o bronze dos 20 km marcha de 2013, devido à desclassificação de um dos medalhados, por doping.

João Vieira é o segundo português a subir ao pódio em Doha, já que Naide Gomes recebeu no sábado a medalha de bronze do salto em comprimento relativa aos Mundiais de 2009, também na sequência de uma desclassificação da russa Tatyana Lebedeva, por doping.

Nelson Évora, que este ano foi eliminado nas qualificações do triplo salto, e Fernanda Ribeiro continuam a ser os portugueses mais medalhados em Mundiais, com quatro presença no pódio.

A seguir aparecem Manuela Machado, com três, Carla Sacramento e João Vieira, com duas, e Rosa Mota, Domingos Castro, Carlos Calado, Rui Silva, Susana Feitor, Naide Gomes e Inês Henriques, com uma.

As 22 medalhas de Portugal em Mundiais de atletismo:

– Roma1987

Ouro – Rosa Mota (Maratona)

Prata – Domingos Castro (10.000)

– Estugarda1993

Prata – Manuela Machado (Maratona)

– Gotemburgo1995

Ouro – Fernanda Ribeiro (10.000 metros)

Ouro – Manuela Machado (Maratona)

Prata – Fernanda Ribeiro (5.000 metros)

Bronze – Carla Sacramento (1.500 metros)

– Atenas1997

Ouro – Carla Sacramento (1.500 metros)

Prata – Fernanda Ribeiro (10.000 metros)

Prata – Manuela Machado (Maratona)

Bronze – Fernanda Ribeiro (5.000 metros)

– Edmonton2001

Bronze – Carlos Calado (comprimento)

– Helsínquia2005

Bronze – Rui Silva (1.500 metros)

Bronze – Susana Feitor (20 km marcha)

– Osaca2007

Ouro – Nelson Évora (Triplo)

– Berlim2009

Prata – Nelson Évora (Triplo)

Bronze – Naide Gomes (Comprimento) a)

– Moscovo2013

Bronze – João Vieira (20 km marcha) a)

– Pequim2015

Bronze – Nelson Évora (Triplo)

– Londres2017

Ouro – Inês Henriques (50 km marcha)

Bronze – Nelson Évora (Triplo)

– Doha2019

Prata – João Vieira (50 km marcha)

Total: 22

Ouro – 6

Prata – 7

Bronze – 9

a) medalhas conquistadas depois de atletas medalhados terem sido desclassificados posteriormente por doping

Anúncio

Futebol

Euro2020: Vitória garante apuramento de Portugal, empate ou derrota talvez

Defronta, domingo, a seleção do Luxemburgo

em

Foto: Divulgação / FPF

Portugal garante automaticamente a oitava presença em fases finais de Europeus de futebol, sétima consecutiva, caso vença no domingo no Luxemburgo, no último jogo de Grupo B, mas o empate e até a derrota poderão dar o apuramento.

É preciso recuar até 1992, na competição que decorreu na Suécia, para encontrar a última fase final de um Europeu que não teve a participação da seleção lusa, que tem todas as condições para estar no Euro2020, pela primeira vez como detentor do título.

Se vencer no Luxemburgo, Portugal confirma definitivamente o segundo lugar do grupo e pode fazer a festa da qualificação. Em caso de empate ou de uma surpreendente derrota, a seleção nacional pode igualmente chegar ao apuramento, mas para isso a Sérvia não pode vencer em Belgrado a Ucrânia, num encontro que vai decorrer à mesma hora (14:00, hora de Lisboa).

A formação das ‘quinas’ chega à ronda decisiva com apenas mais um ponto do que os sérvios, que são terceiros classificados, mas em caso de igualdade tem vantagem, já que foi a Belgrado vencer por 4-2, depois de empatar na Luz 1-1.

A presença de Portugal no próximo Europeu, que vai decorrer em vários países, será a sétima seguida, oitava no total, num cenário bem diferente do vivido nos anos 1960 e 1970, em que a formação das ‘quinas’ não conseguia juntar-se à ‘nata’ do futebol do Velho Continente.

Foi preciso esperar até 1984 e, à sétima tentativa, Portugal finalmente carimbou a tão aguardada qualificação, tendo dado nas vistas em França, ao terminar no terceiro lugar.

Tudo voltou ao ‘antigamente’, no Euro1988 e Euro1992, com equipa lusa a ficar pela fase de qualificação, mas, a partir de 1996, Portugal agarrou-se definitivamente às fases finais europeias.

Em Inglaterra, sob o comando de António Oliveira, Portugal chegou aos quartos de final e, quatro anos depois, já com Humberto Coelho, numa organização conjunta de Bélgica e Holanda, repetiu a presença de 1984 nas meias-finais.

Com entrada direta no Euro2004, como organizador, a seleção nacional viveu a sua primeira final, acabando por cair perante a Grécia (1-0), no Estádio da Luz, com o treinador Luiz Felipe Scolari, que não conseguiu repetir o feito em 2008, na Áustria e Suíça, ficando pelos ‘quartos’.

Com Paulo Bento, Portugal caiu pela terceira vez nas ‘meias’, em 2012, na Ucrânia e Polónia, mas, quatro anos depois, com Fernando Santos, viveu o maior momento da sua história, quando conquistou o troféu, em França, com um triunfo na final sobre a seleção anfitriã, por 1-0, com um golo de Éder no prolongamento.

Caso confirme a qualificação, Portugal vai ter a sua 11.ª fase final seguida, contabilizando Mundiais, e Fernando Santos vai reforçar o estatuto de treinador ‘anti-férias’, já que, desde 2016, ‘estragou’ sempre os verões dos jogadores lusos.

Além do Euro2016 e do Mundial2018, com Fernando Santos, Portugal esteve ainda na Taça das Confederações, em 2017, na Rússia, e, já este ano, na primeira edição da fase final da Liga das Nações, realizada no Porto e em Guimarães, que venceu.

Continuar a ler

Desporto

Do Cabedelo para o Brasil: Pedro Afonso já venceu três ‘heats’ por Portugal no Mundial de Kitesurf

É o mais jovem atleta na competição

em

Foto: Divulgação

Pedro Afonso, jovem atleta de 17 anos, natural de Viana do Castelo, é o único português em prova no Campeonato do Mundo de Kitesurf, que decorre até ao próximo dia 19 de novembro, em Ceará, no Brasil.

O velejador é o atleta mais jovem na competição, tendo já ultrapassado três heats do mundial, com uma prestação “em alta”, referiu a Federação Portuguesa de Vela, entidade que organiza as competições de kitesurf em Portugal.

De acordo com a assessoria do vianense, o jovem tem vindo a conhecer “uma grande evolução”, e a prova são os resultados que tem obtido nos últimos meses, alcançando o grupo dos 25 melhores atletas de kitesurf em todo o mundo.

A frequentar o 12.º ano no curso de Ciências na Escola Secundária Santa Maria Maior, em Viana do Castelo, é atleta federado do Clube de Vela desde os oito anos.

Segundo a mesma nota da assessoria de imprensa, Pedro Afonso ganhou diversas regatas nacionais e internacionais, destacando-se as etapas do campeonato do mundo da modalidade, em Cabo Verde, Espanha e Marrocos, nunca deixando de cumprir as obrigações de estudante.

Habitualmente, Pedro treina na praia de Cabedelo, em Viana do Castelo. Atualmente, é considerado atleta de alto rendimento na escola pelo IPDJ, conferindo-lhe tolerância, a vários aspectos, no aspecto escolar.

Continuar a ler

Futebol

Euro2020: Ronaldo chega aos 98 golos por Portugal com ‘hat-trick’ à Lituânia

Melhor futebolista português de sempre

em

Cristiano Ronaldo colocou-se, esta quinta-feira, a apenas dois golos dos 100 pela principal seleção portuguesa de futebol, ao 163.º jogo, ao conseguir um ‘hat-trick’ face à Lituânia (6-0), em encontro de apuramento para o Europeu de 2020.

O jogador da Juventus faturou aos sete, na transformação de uma grande penalidade, 22 e 65 minutos, no que foi o seu nono jogo pela formação das ‘quinas’ com três ou mais tentos, dois meses após o ‘póquer’ em Vílnius.

Ronaldo passou a somar 98 golos por Portugal, apenas menos 11 do que o recordista ao nível de seleções, o iraniano Ali Daei, que acabou a carreira com 109.

O jogador de 34 anos faturou nos cinco jogos de 2019/20: marcou um golo no 4-2 na Sérvia, quatro no 5-1 na Lituânia, um no 3-0 ao Luxemburgo, um no 1-2 na Ucrânia e três hoje, sendo que, desde 2016/17, soma 37 golos, em 30 encontros.

Com os três tentos em Faro, Ronaldo reforçou também o estatuto de melhor marcador de seleções europeias e em jogos do Europeu (39), liderando em qualificação (30) e na fase final (nove), neste caso em igualdade com Michel Platini.

A Lituânia é agora a seleção à qual mais tentos marcou: já totaliza sete, contra cinco a Andorra, Arménia, Letónia e Suécia.

Quanto ao total de golos a seleções que, como os lituanos, nunca estiveram na fase final de um Mundial, Cristiano Ronaldo passou a somar 41, em apenas 47 jogos.

Quanto à carreira, e desde que se tornou profissional em 2002/03, Ronaldo soma 712 golos, em 1.001 jogos: 451 tentos pelo Real Madrid, 118 pelo Manchester United, 98 pela seleção ‘AA’, 34 pela Juventus, cinco pelo Sporting, três pelos sub-21, dois pela seleção olímpica e um pelos sub-20.

– Os 98 golos de Cristiano Ronaldo na seleção ‘AA’:

Por competição:

Mundial 37 golos (30 na qualificação + 7 na fase final)

Europeu 39 (30 na qualificação + 9 na fase final)

Taça das Confederações 2

Liga Nações 3

Particulares 17

– ‘Ranking’ de Portugal:

1. Cristiano Ronaldo 98 golos

2. Pauleta 47

3. Eusébio 41

– ‘Ranking’ de seleções:

1. Ali Daei, Ira 109 golos

2. Cristiano Ronaldo, Por 98

3. Ferenc Puskas, Hun 84

– ‘Ranking’ europeu de seleções:

1. Cristiano Ronaldo, Por 98 golos

2. Ferenc Puskas, Hun/Esp 84

3. Sándor Kocsis, Hun 75

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares