Seguir o O MINHO

País

Porto de Leixões preparado para receber navios de cruzeiro

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O porto de Leixões, em Matosinhos, está preparado para voltar a receber navios de cruzeiro, cumprindo as normas impostas pelas autoridades de saúde no âmbito do combate à covid-19, anunciou hoje a administração portuária.

“Após mais de um ano sem poder receber navios de cruzeiro, o Porto de Leixões encontra-se já preparado para a retoma da atividade que espera intensa nos próximos anos, em articulação com as autoridades de saúde”, diz em comunicado a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Relativamente ao porto de Leixões, no distrito do Porto, a APDL recorda as normas gerais de acordo com as quais, no âmbito do processo de levantamento gradual das restrições impostas para travar a covid-19, “a partir das 00:00 horas desta segunda-feira e até às 23:59 horas de 30 de maio, é permitido o embarque, desembarque e licenças para terra de passageiros e tripulações dos navios de cruzeiro em portos localizados em território nacional continental”.

Isto, com exceção de passageiros cuja origem ou destino sejam países para os quais só se admite a realização de viagens essenciais.

O despacho conjunto dos ministérios da Defesa, Administração Interna, Saúde e Infraestruturas prevê, contudo, exceções para países que registem uma taxa de incidência igual ou superior a 500 casos de covid-19 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, como é o caso da Suécia, Países Baixos, Croácia, Lituânia, África do Sul, Brasil e Índia.

Congratulando com o levantamento das restrições, o Porto de Leixões alerta que, para os passageiros beneficiarem desta medida, é necessária a apresentação de comprovativo de realização de teste molecular por RT-PCR, com resultado negativo, realizado nas 72 horas anteriores à hora do embarque ou desembarque.

Esta exigência não é aplicável a crianças com menos de 24 meses de idade.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.381.042 mortos no mundo, resultantes de mais de 162,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.009 pessoas dos 842.381 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Populares