Seguir o O MINHO

Ave

Populares protestaram junto a ETAR que dizem estar a poluir o rio Vizela

Poluição

em

Dezenas de pessoas, a maioria de Vizela, concentraram-se hoje junto à estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Serzedo, no concelho de Guimarães, para protestar contra o funcionamento do equipamento que dizem estar a poluir o rio Vizela.


Acompanhados do presidente da Câmara de Vizela, Vítor Hugo Salgado, os populares acenderam velas, que colocaram no chão, à entrada da ETAR, exibiram bandeiras do concelho e cartazes de protesto, nos quais se podiam ler as frases “Respeitem a natureza” e “Poluir é crime”.

Por entre palmas, os manifestantes entoaram a frase “Vizela é assim e luta até ao fim”, no que foram acompanhados por vários membros do executivo municipal.

Rafael Sousa, de Vizela, disse à Lusa ser uma vergonha haver “um rio vermelho e castanho”, situação que “acontece há muitos anos”.

“Quando vamos procurar as causas, detetamos que é a ETAR que polui o rio, o que é um contrassenso e faz-me uma confusão incrível”, afirmou.

Alexandra Araújo, também munícipe de Vizela, afirmou estar na vigília para “apoiar a câmara e representar a população na defesa de algo muito importante para o concelho”.

A munícipe considerou, depois, que a manifestação de hoje “tem de ter interesse para alterar a situação”, garantindo que a população está disposta a avançar para outras ações de protesto.

Já Paulo Lopes, que também participou na vigília, referiu à Lusa que “poucas cidades têm um rio a passar no meio”.

“Vizela tem, mas não pode usufruir dele, o que é lastimável e muito mau para a saúde”, lamentou. Sobre a vigília, declarou ser “um gesto simbólico” e “pacífico” para chamar à atenção para o problema, garantindo: “Estamos todos juntos nesta causa”.

O presidente da câmara dirigiu-se aos populares, agradecendo a participação e reafirmou empenho neste caso.

Vítor Hugo Salgado referiu que a ETAR de Serzedo, no distrito de Braga, gerida pela empresa de capitais públicos Águas do Norte, é quem polui aquele afluente do rio Ave, uma situação que tem sido desmentida pela entidade gestora, alegando não haver quaisquer anomalias no funcionamento do equipamento.

O autarca reafirmou hoje que as recentes análises à água captada junto à ETAR indicam que apresenta valores de poluição acima do permitido pela legislação.

“Hoje, pedimos que seja resolvida esta questão de forma definitiva”, reforçou.

Vítor Hugo Salgado sinalizou, por outro lado, que a solução passa pela construção de um emissário, cujo projeto foi conhecido esta semana, que ligue a ETAR de Serzedo à ETAR de Lordelo, também em Guimarães, obra que obriga a um investimento de cinco milhões de euros por parte do Governo, liderado pelo socialista António Costa.

“Acho que o senhor ministro pode fazer um grande brilharete. Se eu fosse ministro do Ambiente, tendo a possibilidade de despoluir um dos rios mais poluídos da Europa e apenas fazer um investimento de cerca de cinco milhões de euros, não pensava duas vezes”, declarou.

Dizendo contar com o apoio da população, o autarca, eleito por uma lista independente, insistiu que Vizela não parará nesta causa: “Os vizelenses já demonstraram ao longo da sua história, em particular no que concerne à luta autonómica, que, quando querem algo, vão à luta e lutam até ao fim”.

Anúncio

Ave

Sindicato descontente com termas de Vizela encerradas pede reunião à Câmara

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte

em

Foto: DR

Os trabalhadores das termas de Vizela pediram uma reunião ao presidente da Câmara para manifestar insatisfação com o encerramento do balneário desde novembro e por incumprimento dos direitos laborais, informou hoje o sindicato do setor.

Em comunicado, o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte, diz que “o balneário encerrou devido a uma contaminação nas águas”, mas esse problema “ficou resolvido em três meses”.

O sindicato refere que a empresa Tesal, que gere a estância termal, por concessão da Câmara, “não respeita os direitos dos trabalhadores, nem no balneário termal, nem no hotel”.

“O sindicato requereu hoje uma reunião com a empresa e com a Câmara Municipal para exigir a reabertura imediata do balneário termal, o pagamento dos salários de julho e agosto a 100% e o respeito pelos demais direitos dos trabalhadores”, lê-se no documento.

Sobre esta posição do sindicato, o presidente da câmara explicou à Lusa que o balneário só reabrirá quando forem cumpridas as exigências das autoridades de saúde.

Vítor Hugo Salgado informou que estão a ser feitas análises às águas termais para determinar a reabertura do equipamento, o que deve ocorrer até ao final do ano.

Sobre o alegado incumprimento nos salários, o autarca disse ter a informação de que a situação tem vindo a ser regularizada, recordando que a pandemia da covid-19 trouxe dificuldades acrescidas ao setor.

O presidente da câmara adiantou que vai receber o sindicato para ouvir a posição dos representantes dos trabalhadores.

Continuar a ler

Guimarães

Jovem de 17 anos molestada sexualmente na via pública em Guimarães

Assédio sexual

em

Foto: DR

Uma jovem mulher de 17 anos alega ter sido molestada na via pública, em Guimarães, na tarde de ontem, segunda-feira.

De acordo com o Guimarães Digital, do Grupo Santiago, a vítima diz ter sido molestada sexualmente no centro da cidade, por volta das 15 horas.

O homem, desconhecido, terá encetado fuga depois do ataque sexual.

A jovem apresentou queixa na esquadra da PSP de Guimarães, que está a investigar a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães: José Neves doa dois terços da fortuna para causas sociais

Economia

em

Foto: DR

O empresário José Neves, de Guimarães, anunciou hoje que irá doar dois terços da fortuna ao movimento Giving Pledge, fundado por Bill Gates e Warren Buffett, de forma a ajudar as principais causas sociais em todo o mundo.

De acordo com o jornal Público, o CEO da Farfetch é o primeiro português a aderir a este movimento.

“Fui aceite pela Giving Pledge, que é a iniciativa de Bill e Melinda Gates e de Warren Buffett para filantropos que prometeram doar mais de 50% da sua fortuna. No meu caso, foi dois terços”, disse esta quarta-feira o empreendedor aos jornalistas, no Porto, antes de apresentar um dos projetos-piloto de uma fundação que criou.

Neves declara que a adesão ao movimento solidário global passa por um “gesto de gratidão” e “um sentimento de dever, de missão”.

“Quando sentimos um dever, sem uma carga moral associada, um dever fazer, porque é o que tem de ser feito, chega o momento de começar a partilhar”, disse, classificando o movimento como “uma rede fantástica”.

O movimento fundado pelo casal Gates reune duas vezes por ano para “ouvir especialistas e trocar ideias” no que toca à filantropia.

Em 2019, a edição portuguesa da revista Forbes classificou o vimaranense como o quarto homem mais rico do país.

O empresário, que também tem residência em Londres e tem a Farfetch como o seu principal ativo, tem uma fortuna estimada em 1010 milhões de euros.

Vimaranense José Neves é o quarto mais rico de Portugal

Segundo a revista, a maioria dos milionários nasceu rico ou herdou uma fortuna. O vimaranense está na categoria dos que construíram a partir do zero.

Na primeira posição estava Maria Fernanda Amorim, com uma fortuna de 4,1 mil milhões de euros. Alexandre Soares e Vítor da Silva Ribeiro completavam o pódio.

Continuar a ler

Populares