Seguir o O MINHO

País

População de lince ibérico atinge máximo histórico com mais de 1.000 exemplares

Biodiversidade

em

Foto: MITECO

Portugal tinha uma população de linces ibéricos estimada em 140 em 2020, o que representa 12,5% desta espécie na Peninsula Ibérica, segundo dados revelados na sexta-feira pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF).

Segundo o Censo de Lince Ibérico, existiam 1.111 exemplares em Portugal e Espanha no ano passado, mais cerca de 30% do que os 855 registados em 2019.

“Pela primeira vez desde que existem dados quantificados sobre a população de lince ibérico, foi ultrapassado o número de 1.000 indivíduos registados, o que é um marco muito relevante no processo de recuperação desta espécie e melhoria do seu estado de conservação”, lê-se no documento.

Em 2020, foram registados 14 núcleos populacionais de linces, um dos quais em Portugal (Vale do Guadiana) e 13 em Espanha.

“Foi estimado [em Portugal] um total de 140 exemplares durante 2020, dos quais 80 são indivíduos adultos ou subadultos (>1 ano). Este número inclui 26 fêmeas reprodutoras/territoriais, que geraram 60 crias durante a temporada de 2020”, acrescenta.

Quanto a Espanha, foram registados na Andaluzia 506 linces ibéricos (45,5% do total da espécie), 327 em Castela-La Mancha (29,4%) e 141 na Extrermadura (12,6%).

A ministra para a Transição Ecológica de Espanha, Teresa Ribera, considerou um “passo muito importante” na recuperação da espécie o aumento de 855 exemplares para 1.111.

A ministra espanhola sublinhou que é o máximo numero registado desde que existem programas de monitoração do lince (Lynx pardinus), espécie “sensível e emblemática”.

Teresa Ribera especificou que, desde 2011, data em que começaram as primeiras libertações destes felinos, e até 2021, foram reintroduzidos 305 exemplares, o que, na sua opinião, “supera todas as expectativas iniciais”.

Em 2020, foram registados 414 nascimentos de 239 fêmeas reprodutoras, o que tem favorecido a tendência positiva que a espécie apresenta desde o início dos programas de conservação e proteção do lince em 2002, quando havia menos de 100 exemplares em toda a Península Ibérica.

O Ministério da Transição Ecológica, através da Organização de Parques Nacionais Autónomos, gere dois dos quatro centros de reprodução existentes, o de Zarza de Granadilla (Extremadura) e El Acebuche (Andaluzia), enquanto os restantes dois se encontram na Andaluzia (Centro de Reprodução La Olivilla ) e em Portugal (Centro Nacional de Criação do Lince Ibérico).

Populares