Seguir o O MINHO

Alto Minho

Ponte de Lima ganha este domingo um novo padre

Religião

em

Foto: Notícias de Viana / Diocese de Viana

Ponte de Lima passa a contar, a partir deste domingo, com um novo pároco saído do concelho. Paulo Alves, de 25 anos, é natural de Correlhã e será ordenado neste domingo.

Depois do seminário, Paulo Alves fez o estágio pastoral em Perre e Outeiro, cumprindo como diácono na paróquia de Nossa Senhora da Fátima, isto tudo no arciprestado de Viana do Castelo. Em entrevista ao Notícias de Viana, jornal da diocese do Alto Minho, explica que a sua ordenação será “um momento de profunda responsabilidade”.

“Se, por um lado, me sinto inundado por uma grande alegria por se tratar do culminar de longos anos de formação e de preparação, por outro, tenho consciência da grandeza da missão para a qual sou chamado e serei enviado, especialmente, nesta época de profundas mutações na sociedade, em que urge da parte da Igreja, uma renovação das suas práticas pastorais”, disse o ainda diácono.

Explica que foi na infância quando começou a sentir vocação para a vida sacerdotal, através de dois momentos cruciais.

“O primeiro momento aconteceu por volta dos 14 anos, por meio de um familiar – a tia-bisavó Lurdes, irmã do padre Lourenço –, que afirmava acreditar que eu possuía vocação para a vida religiosa ou sacerdotal”, confessa.

“Posso dizer que ela foi a minha primeira diretora espiritual pois, nos nossos encontros, ela fez-me compreender como o Senhor nos vai interpelando a partir de pequenos sinais do quotidiano”, acrescentou.

“O segundo – e que foi aquele que me colocou definitivamente perante a interrogação – teve o seu lugar já aos 16 anos, quando, no entardecer de um sábado veranil, uma senhora que então desconhecia – a irmã Lurdes – me abordou no adro da igreja e questionou se já tinha “pensado em entrar no Seminário””, revela.

O padre Paulo Alves será ordenado sacerdote neste domingo, dia 08 de novembro, numa cerimónia que decorre na igreja da Correlhã, a partir das 15:30, que será presidida por D. Jorge Ortiga, arcebispo de Braga.

A missa será transmitida a partir da página de Facebook da diocese de Viana do Castelo.

Alto Minho

Homem fica em estado grave após ter sido esfaqueado pela mulher em Cerveira

Violência doméstica

Foto: DR

Um homem, de 58 anos, sofreu ferimentos graves após ter sido esfaqueado pela companheira, esta noite de quinta-feira, em Cerveira.

De acordo com informação avançada pela Rádio Vale do Minho, o esfaqueamento deu-se na sequência de um quadro de violência doméstica entre o casal, residente na freguesia de Gondarém.

A mulher, de 57 anos, terá esfaqueado o companheiro na zona do peito, provocando ferimentos profundos. A agressora deverá ser detida por militares da GNR para ser presente ao Ministério Público.

No local, para prestar assistência, estiveram os Bombeiros de Caminha, a VMER de Viana do Castelo e a SIV de Valença.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Alto Minho

Caminha abre duas escolas de acolhimento para trabalhadores essenciais durante confinamento

Confinamento

Miguel Alves. Foto: Imagem CM Caminha

A Câmara de Caminha criou duas escolas de acolhimento para filhos de trabalhadores que prestam serviços essenciais e não podem cumprir recolher ao domicílio, na sequência do “endurecimento das medidas de confinamento anunciadas hoje pelo Governo”, foi hoje divulgado.

Em comunicado, aquele município adiantou que as escolas vão funcionar nos edifícios da escola básica de Caminha – para alunos com área de residência no Vale do Coura e Minho – e da escola básica e secundária do Vale do Âncora – para alunos residentes a sul do concelho.

Para além destes espaços, que entram em funcionamento já na próxima segunda-feira, o município reforçou a equipa de distribuição de refeições escolares que irá, a partir de sexta-feira, entregar almoços nas casas dos alunos de famílias carenciadas, bem como nos quartéis dos bombeiros de Caminha e Vila Praia de Âncora.

Encerrou ainda o único edifício que mantinha aberto, estando disponíveis os contactos telefónicos e ‘online’ para qualquer pedido de atendimento por marcação.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Estrutura de retaguarda de Viana do Castelo tem 25 doentes e fica aberta até março

Covid-19

Foto: DR

A Estrutura de Apoio de Retaguarda (EAR) instalada no centro cultural de Viana do Castelo, que atualmente acolhe 25 doentes covid-19, vai continuar em funcionamento até final de março, revelou hoje o presidente da Câmara.

José Maria Costa, que falava ao executivo municipal no início da reunião camarária de hoje, realizada através de videoconferência, pela primeira vez com a participação da imprensa, explicou que aquela decisão resulta da “atual situação pandémica” que afeta o distrito de Viana do Castelo.

“Fruto dos contactos que temos mantido, quer através da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho com a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, quer com a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) decidimos alargar o período de cedência do centro cultural para EAR até 31 de março”, especificou.

“É opinião do presidente do conselho de administração da ULSAM que seria mais prudente mantermos esta situação até à primavera. Atualmente há 25 doentes internados naquele espaço”, especificou.

A EAR começou a funcionar no final de novembro e recebeu os primeiros doentes em dezembro.

Na sessão de abertura da estrutura, em declarações aos jornalistas, o presidente da comissão distrital da proteção civil de Viana do Castelo Miguel Alves, disse que a EAR tem 30 camas preparadas, mas pode crescer até às 120 camas.

“No limite, se tivéssemos uma situação de absoluta rutura, catástrofe, que não prevemos, o espaço está preparado para acomodar 200 pessoas”, sustentou, na altura, o autarca socialista.

A estrutura foi instalada em abril pela Câmara de Viana do Castelo.

Inicialmente esteve prevista a sua desativação no final de outubro, mas, entretanto, a Câmara de Viana do Castelo e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) decidiram prolongar o seu funcionamento devido ao aumento de casos de covid-19 na região.

A ULSAM é constituída por dois hospitais: o de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e o Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima.

Integra ainda 12 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença, e serve uma população residente superior a 244 mil pessoas dos 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo e algumas populações vizinhas do distrito de Braga.

Em todas aquelas estruturas trabalham mais de 2.500 profissionais, entre eles, cerca de 500 médicos e mais de 800 enfermeiros.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.075.698 mortos resultantes de mais de 96,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.686 pessoas dos 595.149 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Populares