Seguir o O MINHO

Alto Minho

Ponte de Lima: Biblioteca Municipal faz 22 anos

em

A Biblioteca Municipal de Ponte de Lima (BMPL) celebra, no dia 19 de setembro, 22 anos de uma vida dedicada à prestação de serviços de informação científica, técnica, pedagógica, social e cultural.


biblioteca municipal ponte de lima2

De acordo com o Município de Ponte de Lima, a BMPL tem crescido, desde a sua inauguração em 1993, de forma sustentada e ajustada às necessidades dos seus utilizadores, necessidades essas que procura suprir e, se possível, antecipar e superar.

“Assumindo, com orgulho e responsabilidade, a sua missão de “porta de acesso local ao conhecimento”, a Biblioteca Municipal tem diversificado serviços, intensificado ações e projetos de literacia informacional e digital, desenvolvido iniciativas de formação e consciencialização cívica e melhorado a sua oferta de livros – técnicos e de entretenimento -, e de materiais audiovisuais, com particular destaque para os êxitos, atuais e clássicos, do cinema nacional e mundial”, refere a nota informativa da Câmara Municipal.

O programa comemorativo do 22.º aniversário vai incluir, além do tradicional bolo de festa, as iniciativas “Leitura animada para a pequenada” e “Contadores de papel: oficina de técnicas de narração”.

Esta última ação decorrerá das 10h00 às 17h00 de sábado, com interrupção para almoço e carece de inscrição prévia no Balcão de Atendimento da BMPL, ou via e-mail.

biblioteca municipal ponte de lima

biblioteca municipal ponte de lima1

Anúncio

Viana do Castelo

Pianista Luís Pipa, a viver em Viana, lança disco dedicado a Óscar da Silva

Cultura

em

Foto: DR

O pianista e professor da Universidade do Minho (UMinho) Luís Pipa lança na sexta-feira um disco dedicado a obras de Óscar da Silva, “considerado o iniciador da música moderna em Portugal e o último grande romântico do país”.

O anúncio foi hoje feito por aquela academia, num comunicado em que acrescenta que o disco inclui vinte faixas, sendo “Tempo di ‘Berceuse’” I e II, e as três peças do ciclo “Românticas” gravadas pela primeira vez a nível mundial.

O álbum foi gravado nos estúdios da Casa da Arquitetura, em Matosinhos.

A sua apresentação ao vivo naquela cidade, assinalando os 150 anos do nascimento de Óscar da Silva, foi adiada para 2021 devido à pandemia.

O professor da UMinho está já a preparar um novo CD com obras de Óscar da Silva, que deixou um amplo legado para piano.

Pipa lançou recentemente um disco com obras do português Jose Vianna da Motta e outro com obras do polaco Philipp Scharwenka, prevendo-se para 2021-2022 um segundo volume de Scharwenka e de Óscar da Silva.

Luís Pipa nasceu na Figueira da Foz e vive em Afife, Viana do Castelo.

Diplomou-se em piano no Conservatório de Música do Porto, fez o mestrado em Estudos de Performance na Universidade de Reading, o doutoramento em Performance pela Universidade de Leeds (ambas no Reino Unido) e estudou na Academia Superior de Música e Artes Dramáticas de Viena (Áustria).

É professor do Departamento de Música do Instituto de Letras e Ciências Humanas da UMinho, investigador do Giartes/Centro de Estudos Humanísticos da UMinho e vice-presidente da Associação Europeia de Professores de Piano (EPTA).

A sua carreira como pianista a solo e com maestros/orquestras inclui estreias mundiais de obras de Luiz Costa, Rigaud ou Bochmann e concertos em cidades como Oslo, Amesterdão, Helsínquia e La Valetta.

As suas gravações abarcam composições próprias e reportório desde o barroco ao século XX, como Mozart, Carlos Seixas ou Debussy.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Abate de plátanos em Viana novamente suspenso após ação do PAN

Ambiente

em

Foto: Fotografia Real / LoboqndormE

O presidente da Câmara de Viana do Castelo informou hoje que o município irá contestar, na próxima semana, a providência cautelar movida pelo PAN para travar o abate de 30 árvores previsto na empreitada dos acessos ao porto.

“O nosso gabinete jurídico está a preparar a contestação fundamentada. Penso que na próxima semana estaremos em condições de fazer a nossa defesa”, afirmou José Maria Costa.

O autarca socialista, que falava aos jornalistas no final da reunião camarária, explicou que a ação movida pelo Partido Pessoas, Animais e Natureza (PAN) “tem efeitos suspensivos até apresentação da oposição do município”.

“Neste momento, a execução na rotunda de acesso ao porto de mar está parada”, referiu aos jornalistas.

A questão da providência cautelar foi levantada na reunião camarária de hoje, por um munícipe, no período aberto à participação do público.

Em causa está a construção de uma rotunda, prevista na última fase dos acessos ao porto de mar da cidade que, inicialmente, foi embargada por moradores na avenida do Cabedelo, em Darque, que contestam o abate de 30 dos 170 plátanos existentes nos 628 metros daquela artéria.

A construção da rotunda está parada desde 11 de setembro.

Já a providência cautelar do PAN deu entrada no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFC) no dia 15 de outubro.

“Uma política de abate de árvores saudáveis e fundamentais com a qual não poderíamos alinhar. Estas árvores são um símbolo identitário desta zona e possuem um elevado valor ecológico, e o abate irá provocar danos irreparáveis”, lê-se numa publicação do partido na sua página oficial no Facebook.

No documento, hoje consultado pela agência Lusa, o PAN explica que “o requerimento cautelar teve admissão liminar por parte do Tribunal”.

“Isto significa que as obras e o abate das árvores estão suspensos, até à Câmara Municipal se pronunciar. Esperamos que esta seja uma boa notícia e o princípio do fim do abate destas árvores”, refere a nota.

No início de outubro, a Câmara e a Associação de Moradores do Cabedelo, entidade que inicialmente embargou a obra, chegaram a acordo.

O entendimento assinado pelas partes prevê que a construção dos acessos ao porto de Viana do Castelo avance com o abate de 30 árvores na avenida do Cabedelo, mas contempla “contrapartidas ambientais e de segurança”.

A construção dos acessos rodoviários ao porto de mar foi iniciada em fevereiro de 2019. Os novos acessos, com 8,8 quilómetros e reivindicados há mais de quatro décadas, terão duas faixas de rodagem de 3,5 metros de largura, e representam um investimento superior a nove milhões de euros.

A obra é financiada pela Câmara de Viana do Castelo e pela Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Continuar a ler

Viana do Castelo

Unidade móvel de testes rápidos vai percorrer freguesias de Viana do Castelo

Covid-19

em

Foto: DR

A Câmara de Viana do Castelo aprovou hoje por unanimidade um protocolo a estabelecer com a Cruz Vermelha para implementação do projeto “Saúde mais Próxima”, que prevê uma unidade móvel de testes rápidos à covid-19, que percorrerá o concelho.

De acordo com a proposta apresentada pelo vereador com o pelouro da promoção da saúde, Ricardo Rego, “a aquisição da unidade móvel representa um investimento de 15 mil euros, sendo que o apoio para a constituição de uma equipa multidisciplinar implica um investimento de 3.000 por mês”.

“É projeto vinha a ser trabalhado há algum tempo e que agora o município agilizou para no prazo de uma semana uma equipa preparada possa acudir para acudir às populações”, explicou Ricardo Rego.

O vereador adiantou que com este projeto será possível “deslocar, rapidamente, para situações de surto de covid-19 uma unidade preparada para realizar testes rápidos de despiste da doença causada pelo novo coronavírus”.

O protocolo a estabelecer “com o Centro Humanitário do Alto Minho, em parceria com o Gabinete da Cidade Saudável da Câmara Municipal, pretende implementar um projeto de proximidade às populações, através de uma unidade móvel com diversas valências que levará a resposta e prestação de cuidados de saúde à população em geral e, em particular, a idosos com mobilidade reduzida”.

Esta unidade “irá deslocar-se às diversas freguesias, de acordo com o planeamento da atividade do serviço e, a curto prazo, irá incluir os testes rápidos”.

A unidade móvel “vai abranger áreas como a literacia para a saúde, prestação de cuidados de enfermagem (apoio domiciliário, rastreios, vigilância do estado de saúde físico e psíquico)”.

O apoio ao cuidador, “tendo ainda uma vertente social na qual se implementará uma unidade de voluntariado de proximidade, que visa combater a solidão e o isolamento social de que muitos idosos padecem”, é outra das respostas da unidade móvel.

O projeto, hoje aprovado pela autarquia, “pretende contribuir para a manutenção da autonomia, independência, qualidade de vida e recuperação global das pessoas de idade mais avançada, prioritariamente na sua área de residência, combatendo o isolamento e a exclusão social”.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos em mais de 48,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.740 pessoas dos 161.350 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Populares