Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Politécnico de Viana “é exemplo” no “combate feroz” para reduzir plástico

Distribuídas 10 mil garrafas reutilizáveis e criados 9 pontos de enchimento

em

Foto: Divulgação / IPVC

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) deu mais um passo no “combate feroz” para reduzir o plástico de uso único, graças ao projeto Refill H2O, lançado hoje, com distribuição de 10 mil garrafas reutilizáveis em todas as Escolas Superiores, Serviços de Ação Social e Serviços Centrais. Foram ainda disponibilizadas nove estações de reenchimento a toda a comunidade académica.

“A problemática da sustentabilidade ambiental é uma preocupação nossa há muitos anos. Este projeto vai contribuir para a mudança de paradigma no uso de material reciclável”, aplaudiu o presidente do IPVC, Carlos Rodrigues, citado em comunicado enviado a O MINHO. Também o coordenador do projeto, António Curado, acredita que o Refill H2O é “mais uma pegada para a sustentabilidade”.

“Esta é uma cerimónia singela, mas com um significado enorme dada a sua dimensão e necessidade global”, começou por assumir o presidente do IPVC. Hoje, na sessão de lançamento do Refill H2O, destacou o impacto indireto que o projeto vai ter, “contribuindo para a mudança de paradigma de uso de material reciclável”.

Mas esta preocupação com a sustentabilidade ambiental no IPVC não é de agora. “Este projeto é um bom exemplo, mas não é o único. Temos há muitos anos a preocupação com a temática da sustentabilidade”, referiu o presidente, lembrando a colocação de luminárias nas escolas e nos serviços centrais, o investimento efetuado no conforto térmico e eficiência energética ou a colocação de painéis solares como alguns dos exemplos do trabalho que a instituição tem realizado neste âmbito.

O projeto Refill H2O do IPVC foi considerado o melhor entre as 24 candidaturas ao Programa “ambiente, alterações climáticas e economia de baixo carbono”, promovido pelo Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC), tendo um financiamento a rondar os 150 mil euros para a redução do lixo marinho. De destacar que o Refill H2O IPVC é um projeto financiado pelo EEA Grants, no âmbito do aviso Small Grants Scheme #1 – Projetos para a prevenção e sensibilização para a redução do lixo marinho. Com este projeto vai ser possível retirar, anualmente, das seis Escolas Superiores do IPVC, mais de uma tonelada de garrafas plásticas de utilização única.

“Projeto deve ser exemplo para outras academias”

Na sessão de lançamento, que decorreu hoje nos serviços centrais do Politécnico de Viana do Castelo, o coordenador do projeto, António Curado, assumiu que o Refill H2O “é mais uma pegada para a sustentabilidade ambiental”, esperando “ser exemplo” para outras academias. “Este é um projeto pioneiro na academia em Portugal, que pode ser replicado por outras instituições de ensino superior. “Temos que fazer um combate feroz para acabar com o plástico de uso único”, desafiou.

Neste momento, o projeto envolve as seis escolas do IPVC, os serviços centrais, o centro académico, três residências, oito bares e sete cantinas. “Vamos fazer a contabilização dos parâmetros ambientais durante seis meses, para perceber a quantidade de plástico que deixamos de usar e analisar os resultados”, explicou o coordenador, lembrando que “as instalações do IPVC são frequentadas anualmente por mais de 5000 alunos das mais diferentes faixas etárias, nas quais são consumidas anualmente cerca de 51000 garrafas plásticas de 0,50l e 15000 garrafas plásticas de 1,50l. Este consumo resulta na produção de mais de uma tonelada de resíduos plásticos”.

Projeto pioneiro será replicado nas escolas do Alto Minho e vai retirar mais de 10 mil toneladas de plástico de uso único dos oceanos

A distribuição gratuita de 10 mil garrafas pelo universo IPVC foi feita hoje em parceria com a Federação Académica do IPVC e as seis associações académicas de cada escola. “A academia é um espaço prioritário para dar cumprimento às metas estabelecidas pelo projeto, que resulta de um trabalho de equipa multidisciplinar e polivalente”, destacou o coordenador.

A aquisição de garrafas, posteriormente, terá o custo de 2€, para fomentar o “uso responsável”. Cada enchimento de água filtrada custa 0,50€. No início do próximo ano, as estações de reenchimento terão disponível água com gás e, mais tarde, água com sabores.

“Estamos a agir localmente, pensado globalmente para intervir na ação climática”, garantiu António Curado, adiantando que o projeto será depois divulgado com uma estação de reenchimento móvel junto de 38 mil alunos de 20 escolas básicas e secundárias, onde vão ser distribuídas garrafas do projeto. Caso seja implementado em todas as escolas básicas e secundárias do Alto Minho vai permitir retirar mais de 10 mil toneladas de plástico de uso único dos oceanos. As ações de divulgação ficam a cargo da ÁREA Alto Minho – Agência Regional de Energia e Ambiente do Alto Minho, que também é copromotor do projeto. No verão, o projeto Refill H2O chegará ainda às praias do Alto Minho, uma ação que contará também com uma estação de reenchimento móvel.

Na cerimónia, não faltaram o presidente da Federação Académica do IPVC e os presidentes das associações de estudantes das seis escolas superiores. André Neves, presidente da Federação Académica do Politécnico de Viana do Castelo, acredita que este projeto “vai ter muita adesão por parte da comunidade académica”, dando os parabéns à instituição por dar mais um passo para uma “academia ecológica”.

Presidente do IPVC foi o utilizador número 1

Carlos Rodrigues, presidente do Politécnico de Viana do Castelo, deu o exemplo e foi o utilizador número 1 das garrafas do Refill. O presidente do IPVC testou máquina de reenchimento e provou a água filtrada. “É boa!”, assegurou Carlos Rodrigues.

Em representação de toda a academia estudantil, o presidente da Federação Académica, André Neves, foi o utilizador número 2.

Os presidentes das Associações de Estudantes de cada uma das escolas foram os utilizadores seguintes, e que, de uma forma simbólica, representaram a entrega feita em cada uma delas, desde Melgaço, passando por Valença, Ponte de Lima e Viana do Castelo, uma vez que à mesma hora em que decorria a cerimónia nos Serviços Centrais estavam a ser distribuídas as garrafas Refill em toda a comunidade IPVC.

IPVC vai contribuir para mudança na produção e consumo de plástico

O IPVC conta com o parceiro New Water Product (NWP), que é o responsável, depois da fase de conclusão da data de execução do projeto, de fazer a promoção da solução desenvolvida nas outras instituições de ensino superior. “Este parceiro desenvolveu uma estação à medida do IPVC e dos nossos requisitos de utilização, do ponto de vista das caraterísticas da água dispensada e da comunicação da estação de reenchimento com a nossa plataforma dos SAS”, explicou o coordenador.

António Curado sublinhou ainda que segundo dados da PORDATA, no ano 2018, “existiam no Alto Minho aproximadamente 38139 alunos, estimando-se assim que a replicação por todos os estabelecimentos de ensino neste território iria reduzir, anualmente a produção de 9268 kg de plástico”.

De destacar que o Refill H2O IPVC é um projeto financiado pelo EEA Grants, no âmbito do aviso Small Grants Scheme #1 – Projetos para a prevenção e sensibilização para a redução do lixo marinho. O EEA Grants surge através do Acordo do Espaço Económico Europeu (EEE), assinado na cidade do Porto em maio de 1992, sendo que a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega são parceiros no mercado interno com os Estados-Membros da União Europeia.

Como forma de promover um contínuo e equilibrado reforço das relações económicas e comerciais, as partes do Acordo do Espaço Económico Europeu estabeleceram um Mecanismo Financeiro plurianual, conhecido como EEA Grants, através do qual a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega apoiam financeiramente os Estados membros da União Europeia com maiores desvios da média europeia do PIB per capita, onde se inclui Portugal.

Populares