Seguir o O MINHO

Braga

Polícia Municipal de Braga passou 11.250 multas de trânsito em 2019

Vereadora quer disciplinar estacionamento no centro histórico

em

Foto: DR / Arquivo

O Relatório de Atividades da Polícia Municipal de Braga de 2019 indica que a receita atingiu os 316 mil euros – mais 60 por cento do que em 2018 -, dos quais 219 mil euros de coimas de estacionamento e 96 mil da remoção de viaturas.


A principal prioridade da Polícia Municipal de Braga em 2019 foi a da regulação do trânsito e do estacionamento no centro histórico. Uma opção que resultou em 11.250 coimas por infrações ao Código da Estrada e 760 remoções de veículos.

“Temos de disciplinar o estacionamento selvagem no centro da urbe em benefício do comércio e dos moradores”, revelou a O MINHO a vereadora Olga Pereira, que tutela a PM, frisando que, na zona, “não faltam lugares para se estacionar o automóvel”.

A fiscalização do trânsito é feita no nó de Infias, rotunda da Universidade, estabelecimentos de ensino nas horas de maior afluência, artérias circundantes à área pedonal e área pedonal.

Em 2019, sublinha o documento, a Polícia recebeu 2.758 chamadas telefónicas, metade das quais, 1358, oriundas de pessoas a pedir a fiscalização do trânsito, nomeadamente por terem viaturas a impedir a entrada em garagens ou a obstruir passeios.

Os telefonemas envolveram, ainda, pedidos de fiscalização e de esclarecimentos, alertas para ocorrências na via pública, proteção   civil e apoio a outras entidades policiais. Os agentes da PM controlaram, ainda, a emissão de licenças para venda ambulante, tendo passado 132 autorizações, 25 para o estádio municipal e 107 para outros locais.

Coordenou, também, 67 manifestações de rua, 36 do foro cívico, 24 partidárias e sete peditórios. Realizou 121 outras ações externas, respondendo a 39 pedidos de apoio institucional, 80 de fiscalização externa e dois para informação institucional.

Equipas mistas

Olga Pereira salientou que foram criadas equipas mistas de fiscalização de rua entre a Polícia e o pelouro das Obras Municipais,   e da Gestão e Conservação do Espaço Público – liderado por João Rodrigues – para controlar a publicidade, esplanadas, e obras: “fizemos 300 operações de fiscalização, rentabilizando recursos”, sublinhou, vincando que mais do que punir, a PM “informa, aconselha e sensibiliza os cidadãos para o respeito da lei, e dos regulamentos e posturas municipais. Neste âmbito, foram fiscalizados 279 estabelecimentos, tendo-se elaborado 25 informações de serviço que levaram a 15 contraordenações.

A autarca salientou, ainda, que, a partir de novembro, a PM começou a cobrar os diversos serviços que presta a privados, a pedido destes, o que não sucedia.A PM integra 38 agentes municipais e 15 estagiários. Possui ainda quatro Assistentes Técnicos e dois Operacionais que prestam serviços administrativos.

Anúncio

Braga

Carro de emigrante roubado no Gerês recuperado em Famalicão

GNR

em

Foto: DR

A GNR recuperou um carro que tinha roubado, na tarde da passada sexta-feira, enquanto a proprietária, emigrante, estava a desfrutar das férias, no rio Caldo, no Gerês, Terras de Bouro.

O Mercedes Class A com matrícula luxemburguesa foi localizado, pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Braga, numa garagem em Brufe, Famalicão.

“No âmbito de uma denúncia de um furto de veículo no Gerês no dia 7 de agosto, avaliado em 40 mil euros, os militares da Guarda encetaram diligências policiais que permitiram encontrar o veículo estacionado numa garagem na localidade de Brufe”, explica a GNR, em comunicado.

Durante a ação, foi constituído arguido um homem de 37 anos por recetação de veículo furtado.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Braga e o veículo devolvido à proprietária.

Continuar a ler

Braga

Há 15 casos ativos de covid-19 no concelho de Braga

Pandemia

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O concelho de Braga registava, até ao final da tarde desta segunda-feira, 1.425 casos acumulados de infetados com covid-19 desde o início da pandemia, mais seis do que na passada quarta-feira, apurou O MINHO junto de fonte local da saúde.

Destes, 1.336 estão recuperados, ou seja, mais onze desde o último balanço feito pelo nosso jornal. Lamentam-se ainda 74 óbitos, número que permanece igual desde o passado dia 16 de junho.

Existem, atualmente, 15 casos ativos de covid-19 em todo o concelho de Braga.

Estes dados são apurados por O MINHO junto de fonte local do setor da saúde e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral de Saúde (DGS), no qual o concelho de Braga regista 1.280 acumulados.

Covid-19: Mais 3 mortos, 157 infetados e 89 recuperados no país

Portugal regista hoje mais 3 mortes e 157 novos casos de infeção por covid-19, em relação a domingo, segundo o boletim diário da DGS.

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 52.825 casos de infeção confirmados e 1.759 mortes.

Há 38.600 casos recuperados, mais 89.

Continuar a ler

Braga

“O marido da motorista da Uber diz que me vai matar”, alega taxista em Braga

Agressões

em

Foto: DR / Arquivo

“Pedi hoje proteção à PSP de Braga. O marido da motorista da Uber que me acusa, infundadamente, de agressão e de insultos xenófobos anda de pistola e diz que, se me encontrar, me vai matar”, disse a O MINHO o taxista, que solicitou o anonimato.

O profissional de transportes  afirmou que a versão da motorista de TVDE (serviço de “transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaraterizados a partir de plataforma eletrónica) – vulgo Uber – sobre o seu comportamento num incidente ocorrido há uma semana junto ao estacionamento do centro comercial Braga Parque “é falso”.

Na sua versão, a motorista Liane Silva, de nacionalidade brasileira, estava mal estacionada na zona, o que impedia o seu táxi de sair do aparcamento: “pedi-lhe para sair, ela fez apenas uma manobra insuficiente, de tal modo, que eu corria o risco de embater no carro da frente”.

“Saí do meu carro e dirigi-me a ela, sem qualquer ameaça ou agressão. Pegámo-nos de razões e eu apenas lhe disse que, enquanto imigrante ela devia respeitar as regras do país que a acolhe. No meio da conversa, usei a expressão: ”puta que pariu”! Ela entendeu que eu a estava a chamar-lhe puta e insultou a minha mãe”, explica.

O taxista nega ter batido na mulher, garantindo que só lhe pôs a mão no queixo e diz que lhe tirou o telemóvel, não para o roubar, mas porque ela começou a fotogrfá-lo, sem autorização”.

Aceita ter dado um murro num dos seguranças do Braga Parque chamados pela uberista, e assume a resptiva responsabilidade: “não sou racista, nem xenófobo, nem contra os brasileiros. E nem tenho nada contra os TVDE’s, agora que estão legais”, reafirma, garantindo que, também ele se queixará à justiça do caso.

Imigrante queixa-se

Conforme O MINHO noticiou, a cidadã brasileira apresentou queixa na PSP de Braga contra um taxista que a terá agredido: “Já tenho advogada! Vou, também, queixar-me ao Tribunal por agressão e atitudes racistas e xenófobas, devido aos insultos e ameaças que proferiu por eu ser brasileira”, disse Liane Silva, em declarações ao MINHO.

O caso ocorreu no começo desta semana junto à porta lateral daquele centro comercial: a motorista estava estacionada e o taxista chegou, começando a dizer-lhe que não podia parar ali, passando a importuná-la e agredi-la. Tirou-lhe, também, o telemóvel quando ela se predispôs a chamar a Polícia, levando-o para um carro particular que lhe pertencia”, sublinha a Eliane.

De seguida, a cidadã chamou o segurança do Bragaparque, dizendo-lhe que o taxista lhe furtara o telefone, só que – garante – também este foi agredido, tendo, por isso, recebido tratamento hospitalar. Nesse entretanto, a equipa de segurança do espaço chamou a PSP, que identificou o alegado agressor.

Continuar a ler

Populares