Seguir o O MINHO

Alto Minho

Polícia Marítima de Caminha apreende embarcação em atividade ilegal

em

Embarcação apreendida no rio Minho. DR

Dois indivíduos que se encontravam a pescar no rio Minho foram identificados pela polícia marítima de Caminha, quando utilizavam uma embarcação sem registo e uma rede de tresmalho em área proibida, na madrugada do passado domingo, 28 de maio, numa operação de fiscalização da pesca no troço internacional daquele curso.

DR

Segundo a Autoridade Marítima, os dois indivíduos foram autuados e a embarcação, arte e pescado que se encontrava na rede, foram apreendidos como prova e medida cautelar de polícia.

​O pescado apreendido foi entregue na Casa de Repouso do Bom Jesus dos Mareantes, em Caminha.

Anúncio

Alto Minho

Mais dois quilómetros de ecovia com passadiços em Arcos de Valdevez

Investimento de 175 mil euros

em

Passadiços do Vez. Foto: O MINHO

A Câmara de Arcos de Valdevez aprovou, na última reunião do executivo, o arranque do procedimento concursal relativo à “Expansão da Rede de Ecovias – Ecovia de Loureda/Cabreiro”, com preço base de 175 mil euros.

“Com o presente projeto pretende-se realizar os trabalhos de implantação de uma ecovia com uma extensão aproximada de cerca de dois mil metros, e que permita a alteração à ecovia existente, desde o Poço das Caldeiras a S. Sebastião, que se desenvolvia ao longo de estrada municipal», lê-se no comunicado enviado a O MINHO.

O trajeto proposto desenvolve-se “de forma contínua ao longo do rio, em pavimento natural e passadiços”, disse a O MINHO fonte da Câmara.

A ideia passa por tornar o percurso “mais agradável e seguro para quem o quiser realizar e irá, ao mesmo tempo, aumentar o potencial turístico da ecovia, a qual já é procurada por milhares de turistas”, sublinha a mesma fonte.

Continuar a ler

Alto Minho

Vestígios de acampamento com 2 mil anos, a 1.500 metros de altitude, em Arcos de Valdevez

Sítio do Alto da Pedrada

em

Foto: Luis Beleza Vaz / Olhares

A Câmara de Arcos de Valdevez aprovou, esta sexta-feira, a abertura de um concurso para a realização de sondagens arqueológicas no sítio da Alto da Pedrada, no ponto mais alto da serra do Soajo, naquele concelho do Alto Minho.

O concurso, com valor base de 11.500 euros, servirá para comprovar a informação avançada em maio de 2019, de que existirá rastro de um acampamento militar, anterior ao século V, que poderá ser preservado, apurou O MINHO junto de fonte relacionada com arqueologia.

Segundo avança a autarquia, este projeto “está integrado” num esforço ibérico de “investigação dedicado ao estudo das relações estabelecidas entre o exército romano e as comunidades indígenas do Noroeste da Península Ibérica”. O projeto é coordenado por João Fonte, investigador do grupo científico Romanarmy.eu.

“Esta intervenção contribuirá para a posterior valorização desta importante estação arqueológica do nosso concelho, e, ao mesmo tempo para a dinamização cultural e turística de Arcos de Valdevez”, refere a mesma nota.

O Alto da Pedrada é o ponto mais alto do concelho arcuense, com cerca de 1.500 metros de altitude.

Segundo João Fonte, o local está muito bem conservado por estar dentro da área do Parque Nacional da Peneda-Gerês e por não ter tido grande impacto antrópico.

Com cerca de um hectare de extensão, o investigador afirmou que poderá ter acolhido “cerca de mil soldados” durante o final do século I a.C.

Apesar das evidências arqueológicas encontradas, a equipa de investigadores pretende agora “trabalhar esses locais”, uma vez que é ainda necessário “saber quais os momentos históricos a que se referem, e contextualizá-los”.

O objetivo da equipa passa por, durante a primavera e verão do próximo ano, arrancar com a primeira campanha para “validar o caráter e cronologia” dos mesmos.

“Se os primeiros resultados forem promissores, aí sim, vamos tentar avançar com um projeto mais amplo e, até pode ser que surjam outros sítios, porque a identificação destes locais ainda não terminou”, concluiu.

Continuar a ler

Alto Minho

Passos Coelho em Ponte da Barca para presidir tomada de posse da concelhia PSD

Na EPRALIMA

em

Foto: DR / Arquivo

O antigo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho presidirá à tomada de posse dos novos órgãos da comissão política de Ponte da Barca do PSD, anunciou, esta sexta-feira, o partido.

O também ex-líder do PSD nacional estará presente na cerimónia que se realiza no próximo dia 26 de janeiro, domingo, a partir das 16:00, no Auditório da EPRALIMA.

Em comunicado, a comissão política do partido destaca que “depois de dois anos de ausência dos palcos políticos após deixar a liderança do PSD, Passos Coelho regressa a Ponte da Barca para dar posse a Augusto Marinho enquanto presidente da Mesa do Plenário e a José Alfredo Oliveira que avança para o terceiro mandato na presidência da Comissão Política barquense.

É objetivo desta concelhia reforçar a “maioria social democrata nas eleições autárquicas de 2021”.

Continuar a ler

Populares