Seguir o O MINHO

Alto Minho

Pirotecnia Minhota “serena” face a suspensão de festas até junho

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O administrador da Pirotecnia Minhota, a maior empresa de fabrico de fogo-de-artifício do distrito de Viana do Castelo, disse hoje aceitar com “serenidade e respeito” a suspensão de todas as festas na região até final de junho.


“Não entramos numa situação de loucura, dizendo que é injusto, porque efetivamente não faz sentido rigorosamente nenhum que quando se tomam medidas de contenção, para que as pessoas fiquem em casa, se façam atividades que originem aglomeração de pessoas. Temos de respeitar isso, e acima de tudo, respeitar as pessoas”, afirmou hoje à agência Lusa, David Costa.

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho informou hoje que os dez municípios da região “não irão passar qualquer licença para festas, romarias e eventos equiparáveis que decorram até final do mês de junho, face aos graves riscos de saúde pública associados à propagação da pandemia do covid-19”.

O administrador da Pirotecnia Minhota, com 120 anos existência, disse que o setor “sereno”, por “entender, perfeitamente, que não faria sentido manter uma atividade lúdica”.

“Se há atividade que tem de ser prejudicada é esta”, referiu o empresário de 53 anos, a quinta geram de administradores da Pirotecnia Minhota.

A empresa tem sede na freguesia de Santa Cruz, em Ponte de Lima, e filiais na Madeira e Angola, empregando um total de 22 pessoas, sendo que “nos meses de maior volume de trabalho chega a ter entre 100 a 120 trabalhadores”.

Por ano, nas duas empresas portuguesas faturam cerca de 1,5 milhões de euros. Em Angola, o volume de negócios ronda os 600 mil euros.

David Costa adiantou que a empresa está a aproveitar a suspensão da atividade “para tomar medidas internas e atenta às medidas de apoio que o Estado tem anunciado”.

“O ano de 2020 está praticamente perdido. As empresas devem aproveitar para olhar para si, para dentro, e tentar superar a crise que nos vai bater à porta, que já nos está a bater à porta. O futuro não será risonho, mas as empresas têm de procurar outras alternativas de mercado e acredito que sairão mais fortes e mais dinâmicas, para fazerem a festa do Adeus à Covid-19”, referiu David Costa.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes, mais 16 do que na véspera (+26,7%), e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 724 novos casos em relação a quinta-feira (+20,4%).

Dos infetados, 354 estão internados, 71 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Anúncio

Viana do Castelo

Viana tem uma app que ativa recolha de lixo quando recipientes estão cheios

Ambiente

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A Câmara de Viana do Castelo lançou uma aplicação que permite aos cidadãos a hipótese de avisar os serviços municipais quando um recipiente de lixo se encontra cheio, necessitando de recolha.


A plataforma irá monitorizar e apoiar a gestão de recolha de resíduos não só em ecopontos mas também nos reservatórios instalados nas redes de passadiços da cidade. Em breve, o serviço irá atual sobre toda a Ecovia do Litoral Norte e ainda no centro da cidade.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Durante a época balnear o sistema permitirá também a monitorização partilhada entre munícipes e autarquias dos sanitários e balneários das praias, de forma a que se proceda à limpeza e higienização.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A instalação dos dísticos sinalizadores iniciou-se hoje de manhã na rede de passadiços das praias da Foz do Lima, Cabedelo e Luziamar, e já está em pleno funcionamento.

É esperado que o sistema esteja totalmente instalado em todos os recipientes até ao último trimestre de 2020.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Encontrado com vida homem desaparecido desde ontem em Viana

Buscas

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem de 87  anos, desaparecido desde sexta-feira, foi este sábado encontrado com vida pelas autoridades, na freguesia de Lanheses, em Viana do Castelo.


Ao que apurou O MINHO, o homem terá desaparecido ontem à tarde na zona de Meadela, na cidade de Viana do Castelo, depois de sair para fazer uma caminhada, motivando um alerta por parte das família.

Ao longo de ontem e desta manhã, a família contactou as autoridades que iniciaram buscas, inicialmente a cargo da PSP. Mais tarde, foram ativados os Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo para ajudar na procura do homem.

Esta tarde, cerca das 15:00 horas, o homem terá sido encontrado por um popular na veiga de Vila Mou, encontrando-se neste momento, pelas 16:00, no posto local da GNR de Lanheses.

O homem encontrava-se desorientado e com alguns arranhões. A carteira que tinha no bolso permitiu ao popular identificar o homem para com a GNR.

Encontra-se bem de saúde física, mas desorientado e com um discurso pouco coerente.

Continuar a ler

Alto Minho

Monção vai requalificar 17 quilómetros de rede viária

Obras públicas

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Monção vai investir 1,3 milhões de euros a requalificar mais de 17 quilómetros de rede viária municipal, em 12 freguesias, para garantir “uma circulação mais segura e facilitar o acesso às habitações”, informou hoje a autarquia.


“A requalificação destes traçados rodoviários reflete um passo importante para quem reside naquelas áreas do concelho, assegurando-lhes uma circulação mais segura e fluída, assim como melhores condições no acesso às habitações. Pode, também, contribuir para a fixação das pessoas nos seus locais de origem ou para a atração de novos moradores”, afirmou o presidente da câmara, António Barbosa, citado numa nota hoje enviada às redações.

No documento, a autarquia do distrito adiantou que, “neste momento, sete obras públicas na rede viária municipal estão em condições de avançar no terreno”.

“Em conjunto, os investimentos, contratualizados e prontos a iniciar-se representam um valor global próximo de 1,3 milhões de euros, decorrendo em 12 freguesias do território, num total ligeiramente superior a 17 quilómetros de extensão”, sustenta.

As intervenções agora anunciadas têm ainda um objetivo de valorização turística do território, “particularmente, nas zonas de montanha, com espaços verdes e águas refrescantes, cada vez mais procuradas pelos turistas”.

“A melhoria dos acessos poderá levar também à afirmação dos valores naturais, patrimoniais e gastronómicos das freguesias, bem como à valorização das estruturas existentes e à eventual concretização de novos empreendimentos capazes de atrair mais gente”, referiu o município.

Continuar a ler

Populares