Seguir o O MINHO

Guimarães

‘Piratas’ atacam maior grupo de comunicação de Guimarães

PJ e Cibersegurança investigam

em

Foto: Grupo Santiago / Facebook

O Grupo Santiago – maior grupo de comunicação social em Guimarães – está a ser alvo de um ataque informático desde ontem à noite, não permitindo que os leitores e ouvintes acedam ao portal do Guimarães Digital.

Em declarações a O MINHO, o administrador do grupo, Jorge Handel, confirmou a situação, adiantando tratar-se de um ataque de negação de serviço, popularmente conhecido no mundo cibernético por “DoS”, que consiste em múltiplos acessos para criar sobrecarga no sistema, levando assim a que o mesmo sofra problemas e não permita o acesso normal dos utilizadores.

“Este ataque está a impedir-nos de prosseguirmos com o trabalho normal, mas estamos a encetar todos os esforços para resolver a questão”, disse o responsável do grupo fundado em novembro de 1987 e, hoje, um dos mais lidos na região também a nível do digital.

Handel adianta que, em princípio, será mudado o servidor para um domínio português (atualmente, o Guimarães Digital é um domínio “.com”), de forma a que os utilizadores possam novamente aceder ao site a partir de amanhã. Mas isso não resolve o problema que, para já, não parece ter fim à vista.

“Não conseguimos prever o tempo que [este ataque DoS] vai durar, sabemos que demora tempo, já informamos a Direção Geral de Cibersegurança e a Polícia Judiciária, que estão a investigar. Estamos também a tentar resolver através da empresa onde está alojado o servidor, mas não há, para já, nenhum prognóstico sobre a data em que tudo possa ficar resolvido”, adiantou.

Jorge Handel confirma que o ataque é DoS, o que significa que não houve uma invasão do sistema propriamente dito, como foi o caso dos ataques à Vodafone e ao Grupo Impresa.

“Neste caso não há risco de perder o arquivo – está guardado -, porque não é propriamente o interior que é ‘minado’, trata-se sim do forçar de entradas para que não haja capacidade de o site se segurar”, expôs.

O administrador refere ainda que este ataque “não afetou diretamente as outras valências, nem as redes sociais, uma vez que são servidores diferentes”.

Mas o ataque ao site Guimarães Digital é “terrível”, pois é lá onde o grupo centra toda a informação, havendo ainda o problema da radio online, para os emigrantes, pois “são muitos milhares que ouvem a rádio através da plataforma digital”.

Para além da rádio online, das notícias online, também os podcasts e todas as notícias de arquivo estão inacessíveis.

Questionado por O MINHO sobre se acha esta situação preocupante, Jorge Handel responde afirmativamente: “Pode acontecer a qualquer um, tivemos ataques à Vodafone e à SIC, e agora vemos que empresas mais locais também estão expostas a isto, e isso é preocupante, porque pode acontecer a qualquer um de nós e não sabemos até que ponto um ataque destes não pode ser um que destrua a base de dados e possa levar a zero o trabalho feito durante décadas”.

A concluir, Jorge Handel deixa um conselho: “Por isso é que acho que é um nosso dever de cidadania reportar às autoridades de maneira a que haja maior investimento na área da cibersegurança em Portugal”.

EM FOCO

Populares