Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Petição pela eliminação de pórtico na A28 vai ser discutida no parlamento

em

Foto: DR/Arquivo

O presidente Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL) disse esta quinta-feira que a petição pela eliminação do pórtico de Neiva da autoestrada A28 vai ser discutida no parlamento após a entrega do documento subscrito por mais de sete mil pessoas.


“O assunto vai ser discutido em plenário. Com a entrega das sete mil assinaturas, o processo foi espoletado, está a andar. Era isso que pretendíamos”, afirmou Luís Ceia em declarações à agência Lusa.

Em causa está o pórtico de Neiva da autoestrada A28, antiga SCUT (Sem Custos para o Utilizador) que liga Viana do Castelo ao Porto, situado à entrada de uma zona industrial da capital do Alto Minho e que é considerado “entrave” à atividade empresarial da região.

O responsável, que entregou o documento ao vice-presidente da Assembleia da Republica, deputado Jorge Lacão, destacou a “solidariedade” manifestada pelos deputados eleitos pelo distrito de Viana do Castelo”.

“A entrega do documento ao vice-presidente da Assembleia da República contou com a presença dos deputados José Manuel Carpinteira e Sandra Pontedeira do PS, de Emília Cerqueira do PSD e de Ilda Araújo Novo do CDS-PP”, afirmou Luís Ceia.

O presidente da CEVAL, que é também líder da Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC) referiu que “na generalidade, os deputados eleitos pelo Alto Minho concordam com a pretensão mas manifestaram diferentes posições sobre o assunto”.

“Uns apoiam a remoção do pórtico e outros a sua deslocalização”, especificou, sem concretizar.

A recolha de assinaturas foi iniciada em abril. A petição foi “subscrita, presencialmente e ‘online’, por mais de sete mil pessoas”.

Na petição pública, dirigida ao primeiro-ministro, a CEVAL considera ser “injustificável” a manutenção do pórtico, “no momento em que decorrem ou se anunciam significativos investimentos em acessibilidades e na valorização dos parques empresariais da região e em que se renovam esforços para a captação de investimento e criação de emprego”.

“Para a região seria excelente que o Governo eliminasse aquele pórtico da A28. Se o pórtico de Neiva fosse retirado, representaria um desconto de 17% no valor das portagens na ligação entre Viana do Castelo e o Porto“, sublinhou o presidente da CEVAL Luís Ceia, aquando do lançamento da iniciativa.

Luís Ceia defende que “o pórtico constitui uma incongruência, sobretudo numa altura em que se fazem todos os esforços para captar investimento para o concelho e se taxa a entrada numa zona empresarial”.

Além da eliminação do pórtico, a petição “exorta” António Costa a incluir aquela autoestrada na lista de autoestradas com descontos no valor das portagens, por considerar que “também reúne os requisitos elencados na portaria que atribui 15% de descontos em algumas autoestradas que constituíam as antigas SCUT”.

Os índices económicos da região do Alto Minho, “comparáveis aos do interior do país e inferiores aos da média nacional, a falta de alternativa de mobilidade e segurança da EN13 e a inexistência de um sistema ferroviário capaz e a ausência de uma política articulada de comunicação e transportes na região”, são alguns dos argumentos invocados.

“A A28 é a autoestrada que liga o Alto Minho ao Porto, servindo, assim, um território de baixa densidade com características de interioridade, com caráter transfronteiriço que também faz a ligação à vizinha Galiza”, reforça.

Segundo a CEVAL, “51 % das mercadorias transportadas com destino a Espanha entram através da Galiza, 65 % das mercadorias transportadas por estrada no Norte de Portugal são provenientes da Galiza e que é a ponte sobre o rio Minho, entre Valença e Tui (Galiza), que tem mais tráfego diário de veículos ligeiros, reflexo da intensidade do movimento transfronteiriço”.

Anúncio

Alto Minho

Nuno Araújo é o novo presidente do Conselho de Administração da APDL

Designado pelo governo

em

Foto: Verdadeiro Olhar / DR

O Ministério das Infraestruturas e Habitação designou hoje Nuno Araújo como presidente do Conselho de Administração da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) para o próximo triénio 2020-2022, anunciou a entidade portuária.

Presidido por Nuno Araújo, o conselho de administração mantém como vogais Cláudia Soutinho e Joaquim Gonçalves.

O novo presidente, que até agora exerceu funções como vogal na administração da APDL, substitui no cargo Guilhermina Rego, que terminou o seu mandato em dezembro de 2019, mas que se manteve em funções até 30 de junho.

A APDL é a entidade responsável pela jurisdição do Porto de Leixões, do Porto de Viana do Castelo e da Via Navegável do Douro.

Continuar a ler

Alto Minho

Chefe dos Bombeiros Sapadores de Viana homenageado pela Câmara

‘Bons Serviços e Dedicação’

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Chefe João Dias Carvalho, dos Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo, recebeu a medalha de “Bons Serviços e Dedicação” atribuída pela Câmara “pelo contributo para a dignificação da função pública e elevação do serviço municipal desde 1 de agosto de 1982”, informou hoje a autarquia.

João Dias de Carvalho, de 60 anos, natural do Pombal, está em Viana do Castelo desde 1972. Esteve no quartel dos Bombeiros Sapadores quase quatro décadas e, antes, tinha cumprido serviço militar e trabalhado no combate aos incêndios florestais. Era atualmente Chefe dos Bombeiros Sapadores e responsável pelas formações no quartel.
O presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, referiu que esta era uma cerimónia “com muito significado”, visto que o Chefe João Carvalho “foi sempre uma pessoa exemplar”.

O autarca referiu que o bombeiro foi “exemplar na forma como tratava os colegas, exemplar a nível institucional e nas formações que prestava”.

Por isso, esta medalha simboliza “a gratidão, em nome do Município, por tudo o que fez pela comunidade vianense”. “Foi uma vida de dedicação, de serviço público, de amor ao próximo e à profissão”, vaticinou o autarca.

O homenageado frisou que sempre tentou respeitar “o compromisso” que assumiu quando entrou na corporação de sapadores, realçando ter sido “um privilégio” ter podido servir durante quatro décadas a comunidade.

O Comandante dos Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo, António Cruz, destacou a dedicação do chefe, admitindo que “sei que ele não se vai desligar do quartel e que, apesar de sair em termos profissionais, vai deixar sempre o telemóvel ligado”.

O primeiro Comandante Operacional Distrital de Viana do Castelo, Marco Domingues, revelou ter sido “uma honra ter privado, nos últimos três anos, com o Chefe Carvalho”, que é uma figura “conhecida por todos” os bombeiros.

Já o Comandante Interino dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo, Paulo Rodrigues, garantiu que João Dias de Carvalho “será sempre um exemplo, pela postura, brio e profissionalismo que sempre nos ensinou”.

Continuar a ler

Alto Minho

Viana do Castelo decorada com 2.000 vasos floridos

‘Florir o Centro Histórico’

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O centro histórico de Viana do Castelo começou, na segunda-feira, a ser decorado com 2.000 vasos floridos.

A iniciativa insere-se no programa municipal “Florir o Centro Histórico – Reforçar a Identidade e a Pertença dos Vianenses”.

Em comunicado, a autarquia na primeira fase do “Florir do Centro Histórico” serão contempladas as varandas e fachadas da Praça da República, Passeio das Mordomas da Romaria, Rua da Bandeira, Largo Histórico do Minho, Rua Aurora do Lima, Rua da Picota e Rua Manuel Espregueira (troço até à interceção com a Avenida dos Combatentes).

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Município de Viana do Castelo estima abranger cerca de 300 habitações e colocar aproximadamente 2.000 vasos de flores.

As plantas usadas foram propagadas nas instalações do Horto Municipal, esforço que implica a produção de mais de 2.000 espécimes vegetais, que acrescem aos 80 mil que são anualmente semeados e tratados pelos jardineiros municipais, refere a câmara em comunicado.

O programa “Florir o Centro Histórico” foi alargado no âmbito do projeto “Viana à Esplanada”, promovido pela autarquia em colaboração com a Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC), o que na prática permite que os proprietários de estabelecimento comerciais com esplanada e integrados naquele programa municipal possam solicitar gratuitamente plantas para embelezar os seus espaços, ficando com a incumbência de as regar e nutrir.

Continuar a ler

Populares