Seguir o O MINHO

Braga

Perito em malformação congénita do pénis em Braga para expor “técnica inovadora”

em

Warren Snodgrass e equipa

O “expoente máximo” da urologia pediátrica e especialista em Hipospadia, uma malformação congénita no pénis, está no Hospital de Braga para apresentar uma técnica “inovadora e mais eficiente” para corrigir aquela condição e “abrir mentalidades”.


Durante a tarde de hoje, e sexta-feira, Warren Snodgrass, cirurgião americano conhecido como “o pai” de uma das técnicas cirúrgicas pediátricas mais usadas em todo o mundo, a “Snodgrass repair”, vai realizar, perante uma plateia de 70 cirurgiões vindos de vários países, seis cirurgias corretoras da Hipospadia, mas não só.

A Hipospadia é uma má formação de nascença muito mais comum do que se pensa e praticamente desconhecida porque a comunidade, e em especial a comunicação social, tem problemas em dizer a palavra pénis“, explicou o cirurgião.

Por isso, disse, “com estes seminários, além de divulgar aquela que é uma técnica inovadora e mais eficiente de corrigir o problema, o objetivo é abrir mentalidades, chamar a atenção para este problema que é mais comum que o Síndrome de Down, que a Espinha Bífida, que a Clamídia, mas que raramente a mãe sabe o que é”.

E o que é a Hipospadia? “É uma condição que se manifesta na criança em que o pénis se desenvolve com a abertura para a exteriorização da urina [meato], não na ponta da glande do pénis mas algures entre o escroto, os testículos e a ponta do pénis. Esta má formação atinge um em cada 300 bebés masculinos“, explicou o diretor do Serviço de Cirurgia Pediátrica do Hospital de Braga, Jorge Correia-Pinto.

Segundo o clínico, “a Hipospadia não exige correção cirúrgica de imediato, mas durante os primeiros anos de vida tem que ser corrigida, porque interfere em várias dimensões”.

Uma das consequências daquela má formação é que o “jato da urina sai não orientado para diante, como é normal no género masculino, mas sai mais como na morfologia feminina”, outra complicação associada é o “aumento de risco de infeções urinárias, isto depende também da localização do meato, quando mais atrás ele for maior o risco de complicações”.

Para Warren Snodgrass, que apresenta a sua técnica pela primeira vez em Portugal, o nome Hipospadia”tem que entrar no dia-a-dia”.

“Todas as mães que têm uma criança com uma deficiência sentem-se culpadas porque pensam logo que fizeram alguma coisa mal, que não tomaram as vitaminas, que foi aquele copo de vinho, ou alguma coisa foi. E o problema é logo com o pénis e é um problema do qual nunca ouviram falar. Depois vem também o isolamento porque o filho tem um problema que ninguém ouviu falar. Tudo isto junto aumenta a necessidade de ter mais informação”, salientou Snodgrass.

No entanto, disse, as novas tecnologias estão a ter um papel importante na divulgação da Hipospadia.

As mães quando ouvem o nome da doença fazem aquilo que todos fazemos hoje em dia, ‘Googlam’. Quando ouvem o nome da doença, a primeira coisa que fazem é perguntar como se escreve e depois ‘Googlam’, ainda antes de nos perguntarem o que é“, explicou.

O Curso “Hypospadias repair course – Exoscopic live surgery” decorre hoje e sexta-feira no Hospital de Braga, estando inscritos 70 cirurgiões provenientes de todo o mundo, desde a Tailândia, Brasil, Turquia, Polónia, Rússia, Itália e Espanha, entre outros.

 

Anúncio

Braga

Bombeiros de Terras de Bouro colocam ambulância no Gerês para socorro mais rápido

Suporte Básico de Vida

em

Foto: DR

Os Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro deslocaram para a vila do Gerês uma ambulância, do tipo SBV – Suporte Básico de Vida, com equipamento de suporte básico de vida para acorreram mais rapidamente a qualquer doença ou sinistro que ocorra na zona.

O comandante José Amaro adiantou a O MINHO que a viatura, que pertence ao INEM, está, ainda, equipada com um desfribilhador, e conta com uma equipa de duas pessoas, uma delas um técnico especializado em primeiros socorros.

“As ambulâncias do quartel em Terras de Bouro tinham de percorrer 25 quilómetros, em estradas de montanha para acorrerem a qualquer acidente no Gerês”, salientou, sublinhando que, no verão, a zona tem muita população e é procurada por milhares de turistas, sendo, de algum modo, frequentes os acidentes em cascatas, na estrada, em trilhos, em rios ou barragens.

O comandante sublinha que a disponibilização da ambulância corresponde, também, a um anseio da Câmara Municipal, cujo presidente Manuel Tibo preside, também, há vários anos, aos Bombeiros Voluntários do concelho.

Continuar a ler

Braga

Idoso que tinha desaparecido em Vila Verde já foi encontrado

Desaparecimento

em

Foto: DR

Já foi encontrado e está bem o idoso de 80 anos que desapareceu ontem à noite, na avenida da Veiga, entre as freguesias de Oleiros e Lage, no concelho de Vila Verde, confirmou O MINHO junto de fonte da família.

Manuel Peixoto terá saído de casa ontem à noite e não voltou a aparecer, levando a que a família já reportasse o seu desaparecimento às autoridades.

O idoso sofre de alzheimer e diabetes, precisando urgentemente de tomar medicação, incluindo insulina.

Continuar a ler

Braga

Póvoa de Lanhoso garante meios informáticos a todos alunos

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Póvoa de Lanhoso (Arquivo)

A câmara da Póvoa de Lanhoso vai apoiar os alunos com equipamento informático e acesso à internet para que” possam acompanhar o ensino à distância”, um investimento superior a 50 mil euros, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado, aquela autarquia explicou que a medida pretende fazer face ao novo modo de ensino determinado pelo Governo face à pandemia causada pelo novo coronavírus.

Os equipamentos serão cedidos aos alunos a título de empréstimo, sendo que a medida abrange mais de 400 estudantes.

“Todos os graus de ensino, do primeiro ao 12º ano, estão contemplados, pelo que nenhum aluno do concelho deixará de frequentar as aulas neste novo modelo, por não ter computador ou internet”, refere o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva.

Algum deste equipamento (routers, computadores e tablets) já foi entregue ao Agrupamento de Escolas Gonçalo Sampaio e ao Agrupamento de Escolas de Póvoa de Lanhoso e, “até ao final da semana, todo o processo estará concluído, com a entrega do restante”, garante a autarquia.

No texto, a autarquia salienta que não é da sua responsabilidade fornecer aqueles equipamentos.

“Apesar de não ser nossa competência, a autarquia jamais permitiria que houvesse alunos excluídos por não terem estes meios. A pandemia veio alterar o modelo de Educação e a Autarquia está a fazer a sua parte para que o sucesso escolar dos nossos jovens, de quem depende o nosso futuro, não seja afetado”, aponta.

Portugal regista 735 mortos associados à covid-19 em 20.863 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais 21 mortos (+2,9%) e mais 657 casos de infeção (+3,3%).

Das pessoas infetadas, 1.208 estão hospitalizadas, das quais 215 em unidades de cuidados intensivos, e mantém-se as 610 dadas como curadas.

Portugal cumpre o terceiro período de 15 dias de estado de emergência, iniciado em 19 de março, e o decreto presidencial que prolongou a medida até 02 de maio prevê a possibilidade de uma “abertura gradual, faseada ou alternada de serviços, empresas ou estabelecimentos comerciais”.

Continuar a ler

Populares