Seguir o O MINHO

Futebol

Penálti e livre dão vitória a Benfica de serviços mínimos em Arouca

I Liga

em

Foto: Arquivo

O Benfica venceu hoje no terreno do Arouca por 2-0, no jogo inaugural da 19.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com golos de Darwin Núñez, de penálti, e Gonçalo Ramos, após um livre, numa exibição ‘cinzenta’.

Perante uma equipa em dificuldades na tabela, no penúltimo posto, o uruguaio reforçou a liderança da lista dos marcadores, aos 32 minutos, para na compensação, aos 90+2, o internacional sub-21 luso desviar um livre de Grimaldo.

Aos 41 minutos, o Arouca também beneficiou de uma grande penalidade, mas João Basso, que tinha feito a falta sobre Darwin na área contrária, permitiu a defesa de Vlachodimos, que se redimiu da falta cometida sobre Arsénio.

Após o adiamento da última jornada, devido a um surto de covid-19, o Arouca regressou com David Simão a estrear-se no ‘onze’, no regresso à formação Serra da Freita, que não contou com os avançados André Silva e Odday Dabbagh, devido a castigo.

Por outro lado, o Benfica apostou numa formação ofensiva para capitalizar a má forma dos arouquenses – 10 golos sofridos nos últimos dois jogos em casa – e quebrar o marasmo da inconsistência, após o empate caseiro com o Moreirense (1-1).

Com Weigl como pêndulo, Nélson Veríssimo apostou em Rafa, Paulo Bernardo e João Mário para servir os avançados Yaremchuk e Darwin, que, logo aos nove minutos, ficou perto de inaugurar o marcador, o que lhe foi negado por corte providencial em cima da linha de golo de Mateus Quaresma.

As ‘águias’ estabeleceram-se no meio-campo adversário desde cedo, mas demoravam a criar lances de perigo e o tento inaugural acabou por chegar através da marca de grande penalidade, a castigar falta de Basso sobre Darwin, que o uruguaio converteu.

No entanto, os comandados de Armando Evangelista soltaram-se com a desvantagem e começaram a aproximar-se da área benfiquista, conquistando também um penálti, depois de Vlachodimos derrubar Arsénio já perto da linha de golo.

Mas, a conversão de Basso foi displicente e permitiu a redenção do ‘guardião’ internacional grego, que levou a vantagem mínima dos ‘encarnados’ para o descanso.

No regresso dos balneários, Everton rendeu Yaremchuk e João Mário e Paulo Bernardo recuaram para junto de Weigl, de forma a dar mais consistência ao ‘miolo’ do Benfica, enquanto, cinco minutos depois, a lesão de Leandro Silva levou a duas mexidas no Arouca, com as entradas de Pedro Moreira e Antony, com o avançado brasileiro a render o compatriota Adílio.

As mudanças agitaram momentaneamente a apatia benfiquista, com o recém-entrado Everton a atirar perto do poste num remate de fora de área e, logo a seguir, João Mário conduziu um contra-ataque e serviu Rafa, mas a tentativa do extremo foi travada por uma boa defesa de Victor Braga.

Os lisboetas voltaram a baixar o ritmo, retirando Rafa, Darwin e Paulo Bernardo, enquanto a motivação arouquense ia crescendo e quase era recompensada num remate de Bukia, que saiu ao junto ao poste, e numa incursão de Antony pela direita, já dentro da área, que obrigou Vlachodimos a aplicar-se para negar o empate.

No entanto, já em tempo de compensação, um livre lateral de Grimaldo, cobrado para a pequena área, permitiu a antecipação de Gonçalo Ramos, que com um toque subtil desviou para o tento da tranquilidade, que fixou o 2-0 final.

Populares