Seguir o O MINHO

Barcelos

Quatro anos de cadeia com pena suspensa para “médico das reformas” de Barcelos

Afonso Inácio, ex-diretor do Centro de Saúde de Barcelos, que, em outubro, também foi condenado, com pena suspensa, por causa de uma ‘cunha’.

em

Foto: Jornal "Barcelos Popular" / DR

O Tribunal Judicial de Braga condenou hoje um médico de Barcelos a quatro anos de prisão, com pena suspensa, por alegadamente falsificar relatórios com vista à obtenção de pensões de invalidez.

Afonso Inácio, ex-diretor do Centro de Saúde de Barcelos, foi condenado por 12 crimes de burla tributária, seis dos quais na forma tentada, e um crime de atestado falso.

Pena suspensa para médico de Barcelos que recebeu ‘cunha’ de 2.500 euros

Para a suspensão da pena, tem de pagar ao Centro Nacional de Pensões 11.100 euros, o valor das pensões atribuídas indevidamente com base nos relatórios falsos.

No processo, foram condenados mais dois médicos, José Pereira e Mário Vianna, por um crime de burla tributária simples.

O tribunal aplicou-lhes seis meses de prisão, com pena suspensa, ficando cada um obrigado a entregar 1.500 euros à Amnistia Internacional.

De acordo com a acusação, dada como provada pelo tribunal, os factos ocorreram entre 2011 e 2013 e reportam-se à instrução, perante a Comissão de Recursos do Centro Distrital de Segurança Social de Braga, de pedidos de reavaliação da situação de beneficiários requerentes de pensão de invalidez a quem a Comissão de Verificação do mesmo Centro Distrital negara a pensão.

Os pedidos de 12 requerentes foram instruídos com declarações e relatórios falsos de médicos de várias especialidades, que Afonso Inácio providenciava.

Por esse “serviço”, os requerentes pagavam “de entrada” 100 euros.

Esses relatórios eram depois sustentados pelos arguidos em sede de Comissão de Recurso, quando representavam os requerentes.

O MP aponta Afonso Inácio como o cérebro de todo o esquema, já que aquele médico foi perito, durante mais de 20 anos, daquelas comissões e, como tal, “conhecia as fragilidades do sistema” e “sabia muito bem o que tinha peso” nas respetivas decisões.

Em outubro, também no Tribunal de Braga, Afonso Inácio foi condenado a dois anos de prisão, igualmente com pena suspensa, por um crime de tráfico de influência.

Nesse processo, teria prometido influenciar um concurso público para arranjar emprego para uma enfermeira, recebendo em troca cinco mil euros.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Barcelos

CEO da F3M eleito Presidente do Conselho Geral do Politécnico do Cávado e do Ave

F3M, com sede em Braga, é uma das maiores empresas portuguesas especializadas em tecnologias de informação

em

Foto: Divulgação / IPCA

Pedro Tinoco Fraga, CEO da F3M Information Systems, S.A. foi eleito, esta terça-feira, por unanimidade, presidente do Conselho Geral do Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA). Sucede no cargo a António Marques, ex-presidente da Associação Industrial do Minho, entretanto declarada insolvente por dívidas de 12,3 milhões de euros. António Marques é ainda um dos 126 arguidos num processo-crime sobre alegados ganhos ilícitos de quase dez milhões de euros com projetos relacionados com a Associação Industrial do Minho e cofinanciados pela União Europeia.

Em comunicado, o Politécnico, com sede em Barcelos, explica que “o presidente eleito tem desenvolvido atividades no âmbito do associativismo empresarial, integrando vários órgãos de entidades empresariais e do sistema universitário. Fruto do reconhecimento do seu trabalho em prol do crescimento económico na região, Pedro Fraga foi em 2018 agraciado com a medalha de Mérito Empresarial da cidade de Braga”.

“No que depender deste Conselho, tudo vamos fazer para que o IPCA continue a fazer história como tem vindo fazer e fez com o antigo presidente”, disse Pedro Fraga, após ter sido eleito, agradecendo o trabalho do seu antecessor, e endereçando as suas primeiras palavras à presidente do IPCA, Maria José Fernandes.

Segundo aquela nota, a Maria José Fernandes ficou agradada com a eleição do novo presidente do Conselho Geral referindo que “o IPCA ficaria bem representado com qualquer um dos membros externos. Foi eleito o Pedro Fraga, o que muito nos honra pelas qualidades ímpares que demonstra a sua atuação no tecido empresarial da região, a quem felicito e desejo um bom trabalho agora enquanto presidente deste órgão estratégico do IPCA”.

Para além do presidente eleito, integram ainda o Conselho Geral do IPCA as seguintes personalidades externas: Filomena Moreira, vice-presidente do Conselho Diretivo da Ordem dos Contabilistas Certificados; Jorge Saleiro, diretor do Agrupamento de Escolas de Barcelos; Jorge Silva, CEO da Osit Group (Prozis); Maria do Rosário Azevedo, diretora executiva da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Ave; Nuno Mangas, presidente do IAPMEI e Ricardo Costa, CEO do Grupo Bernardo da Costa e da BC Segurança.

No decorrer da reunião de hoje foi ainda eleito o secretário do Conselho Geral do IPCA, Vítor Carvalho, diretor da Escola Superior de Tecnologia.

A tomada de posse dos membros internos do Conselho Geral, representantes dos professores e dos investigadores; do representante do pessoal não docente e dos representantes dos estudantes, realizou-se no dia 19 de dezembro de 2018.

A esta data, 19 fevereiro, o Conselho Geral do IPCA entra em plenitude das suas funções.

 

Notícia atualizada às 18h59

Continuar a ler

Barcelos

Santuário mariano em Barcelos classificado como monumento de interesse público

A portaria sublinha ainda o interesse daquele conjunto como testemunho simbólico e religioso e de vivências ou factos históricos

em

Foto: DR/Arquivo

A igreja e o convento da Franqueira, em Barcelos, foram classificados como monumento de interesse público, por portaria da secretária de Estado da Cultura, hoje publicada em Diário da República.

Segundo a portaria, aquele conjunto, apesar das obras de restauro de adaptação registadas nas últimas décadas, “conserva ainda grande valor histórico e arquitetónico, constituindo um bom testemunho da evolução da Ordem Franciscana” em Portugal.

A portaria sublinha ainda o interesse daquele conjunto como testemunho simbólico e religioso e de vivências ou factos históricos.

Destaca igualmente o valor estético, técnico e material do conjunto e a sua conceção arquitetónica, urbanística e paisagística.

O santuário mariano da Franqueira tem a sua origem numa pequena ermida que não seria mais do que a atual capela-mor e que teria sido mandada erigir por Egas Moniz, em cumprimento de uma promessa.

O atual edifício resulta de uma empreitada posterior, destinada a ampliar e reformular o convento, que decorreu entre 1678 e 1708, da qual resultou a construção de um novo dormitório e da igreja barroca.

O espaço conventual que sobreviveu ao tempo, disposto em torno de um amplo claustro ajardinado centrado por um chafariz de tanque circular, foi restaurado na segunda metade do século XX e mais tarde adaptado a turismo de habitação.

Na antiga igreja conventual, destaca-se a entrada caraterística dos templos franciscanos, aberta por arcos redondos e encimado por nichos com esculturas de vulto representando São Francisco e Santo António.

“O programa barroco do interior denuncia uma campanha decorativa unitária, hoje amputada do retábulo-mor original”, refere ainda a portaria.

Destaca, por último, a envolvente do conjunto edificado, “de grande valor paisagístico” e que conserva ainda diversas estruturas setecentistas da antiga ermida, incluindo a fonte alusiva ao Senhor da Fonte da Vida, diversos traçados e percursos processionais e as sete capelas dos Passos.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos volta a apresentar 7 Prazeres da Gastronomia

Carta gastronómica em elaboração

em

Foto: CM Barcelos

A Unidade de Turismo e Artesanato do Município de Barcelos está a desenvolver trabalhos de investigação tendentes à elaboração da carta gastronómica do Concelho.

A iniciativa nasce do programa “7 Prazeres da Gastronomia” e tem como intuito avaliar o vasto receituário tradicional do Concelho em face da diversidade e riqueza gastronómica, incluindo a doçaria tradicional, e da sua posição relevante no contexto da região minhota.

Este conjunto de trabalhos visam registar e validar as receitas tradicionais que englobam o programa “7 Prazeres da Gastronomia”, recuperar algumas receitas com pouca expressão mas que outrora tiveram uma preponderância relevante, bem como, descobrir o receituário pouco conhecido e que esteja fora do contexto gastronómico atual.

Este estudo contempla uma parte de investigação e de conhecimento do terreno, no sentido de, junto das populações e dos agentes da restauração, colher o máximo de informação que permita estabilizar o cardápio gastronómico de Barcelos.

Para o Vereador do pelouro do Turismo e Artesanato, José Beleza, esta iniciativa tem como objetivo “promover os produtos de excelência da gastronomia de Barcelos, envolvendo, além da Câmara Municipal, os restaurantes, a hotelaria, os produtos vinícolas, o artesanato e tudo o que mexe com a economia do concelho”. Além disso, estes fins de semana, segundo o vereador, pretendem “combater a sazonalidade”, nas épocas baixas do turismo do concelho.

O programa “7 Prazeres da Gastronomia” engloba, para além da Lampreia, a Semana Gastronómica do Galo (8 a 17 de março), o Fim de Semana do Bacalhau (14 a 16 de junho), o Fim de Semana dos Petiscos (6 e 7 de julho), o Concurso Galo Assado (11 a 13 de outubro), o Fim de Semana do Pica no Chão (9 e 10 de novembro) e ainda o concurso de pastelaria, Barcelos Doce (30 de novembro e 1 de dezembro).

Continuar a ler

Populares