Seguir o O MINHO

Futebol

Pedro Proença espera resolução rápida da lei contra violência no desporto

Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional

em

Foto: Facebook

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, disse hoje que espera uma “aplicabilidade rápida e consistente” à proposta de lei de alteração do regime jurídico de combate à violência no desporto.

O grupo de trabalho do Desporto no Parlamento recebeu, além da LPFP, representantes da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, Confederação Portuguesa das Associações de Treinadores, Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e Sindicato dos Jogadores.

A reunião, que teve lugar na Assembleia da República, contou igualmente com a presença de elementos do SC Braga, Estoril Praia, FC Porto e Benfica, e estendeu-se também à proposta de lei de alteração do regime de acesso e exercício da atividade de treinador de desporto.

Pedro Proença apresentou, no decorrer da reunião, quatro aspetos “fundamentais” que a lei “não responde”, que identifica como a previsão legal da figura do Oficial de Ligação aos Adeptos, a venda de bebidas com baixo teor alcoólico nos estádios, a implementação de zonas sem cadeiras ou lugares marcados, com condições especiais de acesso, e a apresentação regular às autoridades de adeptos punidos de recintos desportivos.

“A lei da violência tem sido uma bandeira desta direção da liga. Terá sido a última fase para que esse documento possa verdadeiramente aparecer, o que esperamos com ansiedade. As nossas propostas foram muito objetivas e fazem com que o quadro legislativo em Portugal acompanhe as boas práticas internacionais”, declarou Pedro Proença, no final da reunião.

A proposta de comercialização de bebidas com baixo teor alcoólico em recintos desportivos, de forma a provocar a entrada antecipada dos adeptos nos estádios e, por sua vez, facilitar a revista de segurança aos mesmos, foi um dos assuntos mais discutidos durante a sessão.

Para Pedro Proença, nesta proposta “não move o aspeto comercial, mas sim o exemplo de sucesso de outras ligas europeias”, e considerou “interessante” a proposta do grupo parlamentar do PS sobre a possibilidade de jogos experimentais para testar a medida, face às oposições apresentadas pelas entidades que regulam a segurança nos eventos desportivos.

“Acontecem alguns episódios que não nos devemos orgulhar e percebe-se a frustração de alguns dirigentes. É contra isso que combatemos e que estamos aqui, pois esta lei teima em não sair e em não dar possibilidade às organizações, federações e ligas de poderem executar aquilo que, há muito, vêm regateando”, concluiu o presidente da LPFP.

Anúncio

Futebol

Entrada violenta sobre Esgaio na Taça da Liga vale dois jogos de suspensão

Dois para Mathieu e um para Eduardo

em

Foto: DR / Arquivo

O defesa francês do Sporting Jérémy Mathieu foi suspenso por dois jogos, face à expulsão no encontro da meia-final da Taça da Liga, revelou esta quinta-feira o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

O habitual titular no eixo da defesa dos ‘leões’ recebeu ordem de expulsão, já em tempo de compensação (90+3), na partida frente ao SC Braga, por ter tido uma entrada violenta sobre Ricardo Esgaio junto à linha lateral, num jogo em que também o avançado congolês Bolasie (61) e o médio brasileiro Eduardo Henrique (90+8), que não foi opção, acabaram igualmente expulsos, mas apenas vão falhar um desafio cada, segundo o comunicado daquele organismo.

Também o guarda-redes dos bracarenses Eduardo, suplente não utilizado na partida em que a sua equipa venceu por 2-1, vai cumprir um jogo de suspensão, o da final da competição, diante do FC Porto, no sábado.

Continuar a ler

Futebol

Moreirense deve receber subsídio municipal de 600 mil euros para a academia

Da Câmara de Guimarães

em

Foto: Divulgação / Arquivo

O Moreirense, clube que milita na I Liga portuguesa de futebol, deve receber um subsídio de 600.000 euros para a sua nova academia, atualmente em construção, informou hoje um documento da Câmara de Guimarães.

O montante em questão vai ser discutido e votado na reunião do executivo municipal de segunda-feira, no âmbito da atribuição anual de apoios às instituições desportivas do concelho vimaranense, sendo, em caso de aprovação, entregue ao clube da vila de Moreira de Cónegos em três tranches de 200.000 euros, com início em 2020.

Apresentada em 01 de novembro de 2018, aquando do 80.º aniversário do Moreirense, a designada Vila Desportiva já está a ser construída na antiga Quinta da Devesa, que se situa na freguesia vizinha de Guardizela, mas dista apenas cerca de 200 metros do Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas.

Contactado pela agência Lusa, o presidente do emblema minhoto, Vítor Magalhães, reconheceu que a primeira fase da obra, na qual se incluem dois relvados naturais para a equipa principal e um campo sintético para o futebol de formação, deve estar concluída no final de março, mesmo com os “atrasos” sofridos.

O Moreirense, referiu ainda o dirigente, gastou até agora mais de três milhões e meio de euros com uma academia que vai ocupar cerca de 150.000 metros quadrados e ter, após a segunda fase, um terceiro relvado natural e uma infraestrutura capaz de servir de residência a 26 atletas.

O espaço, frisou ainda o dirigente, vai ainda prestar “apoio social” à população da zona sudoeste do concelho de Guimarães, que, além de Moreira de Cónegos e Guardizela, inclui ainda as freguesias de Lordelo, São Martinho do Conde, Gandarela e Serzedelo, onde a equipa da I Liga, treinada por Ricardo Soares, costuma treinar.

Entre as instituições desportivas que devem receber apoio para obras em 2020, encontra-se também o Vitória, o outro clube do município com uma equipa na divisão maior do futebol português.

A verba destinada ao clube vitoriano é de 330.000 euros, distribuída por dois anos, a partir de 2020, e visa o melhoramento dos balneários, quer da academia de futebol, quer do pavilhão.

Continuar a ler

Futebol

Adeptos do Vitória detidos em Braga proibidos de entrar em estádios por um ano

Por invasão do recinto de jogo

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Dois adeptos do Vitória foram detidos na quarta-feira, durante a segunda meia-final da Taça da Liga, em Braga, anunciou hoje o comando distrital da PSP.

De acordo com nota enviada a O MINHO, os dois adeptos, com 21 e 33 anos, foram detidos por invadirem o recinto de jogo, pouco depois das 21:20, após o primeiro golo do Vitória.

Os detidos foram presentes esta quinta-feira no Tribunal de Guimarães e o “Ministério Público propôs para cada um a suspensão provisória do processo e uma injunção de proibição pelo período de um ano de acesso a recintos desportivos, bem como ao pagamento de 200 euros a uma Instituição de Solidariedade Social”.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

PASSATEMPO

ÚLTIMAS

Reportagens da Semana

Populares