Seguir o O MINHO

Liga Europa

Pedro Martins promete Vitória confiante para jogo decisivo com Marselha

em

O treinador do Vitória SC, Pedro Martins, admitiu esta quarta-feira que o jogo com o Marselha é muito importante para a continuidade na Liga Europa de futebol, e mostrou-se confiante no triunfo na quinta-feira.

Últimos classificados do grupo I, com um ponto após três jornadas, os vitorianos estão a cinco do segundo classificado, precisamente a equipa francesa, e têm de vencer em Guimarães para continuarem a sonhar com o apuramento para os 16 avos de final, pelo que o treinador reconheceu que se o jogo “não é decisivo, anda muito próximo disso”.

Pedro Martins realçou, porém, que o grupo está apenas concentrado em derrotar uma equipa “bem estruturada”, com “jogadores, quer coletivamente, quer individualmente, muito fortes”, até por ter preparado o desafio no rescaldo da vitória sobre o Desportivo das Aves (3-1), para a 10.ª jornada da I Liga.

“Acima de tudo, a confiança e o bem-estar são as vitórias que nos dão. Vamos ter as mesmas dificuldades perante um adversário forte, que vai exigir o melhor Vitória SC a todos os níveis, um Vitória SC muito consistente”, antecipou na conferência de imprensa de antevisão ao jogo marcado para o estádio D. Afonso Henriques.

O ‘timoneiro’ vitoriano confessou ainda sentir o plantel com capacidade para “uma noite europeia boa”, que encerre um ciclo de 10 jogos seguidos sem triunfos internacionais – o último remonta a 19 de setembro de 2013, com a goleada aos croatas do Rijeka (4-0) -, caso o grupo se exiba ao nível do que fez no início do jogo de Marselha, no qual permitiu uma reviravolta e perdeu por 2-1.

“Vamos ter de defender bem, superar-nos e termos a ousadia que tivemos naqueles primeiros 20, 30 minutos em Marselha, onde surpreendemos o adversário a todos os níveis, quer sob o ponto de vista tático, quer pela ousadia com que perturbámos o adversário”, explicou.

Os minhotos, avisou o técnico, não podem, contudo, esperar facilidades, até porque a turma orientada por Rudi Garcia tem alinhado maioritariamente com habituais titulares na Liga Europa e, a seu ver, vai jogar com o melhor ‘onze’, além de ter vindo a revelar uma “consistência muito grande em termos defensivos”.

Com um plantel em crescimento a nível físico, o técnico recusou ainda uma eventual gestão na equipa titular, tendo em vista o duelo com o Benfica, da 11.ª jornada da I Liga, no domingo, realçando que todas as “fichas serão colocadas nesse jogo”, até porque o clube não se pode desviar agora do objetivo do apuramento, mesmo a “concorrer por fora”.

“O clube nunca conseguiu esse objetivo, que era passar à segunda fase. Depois de tanto trabalho durante um ano inteiro, para chegarmos aqui e querermos dar uma boa imagem do futebol português, do Vitória SC, da cidade, não faria sentido se não fôssemos à luta”, explicou.

Ao lado do técnico, o médio Francisco Ramos, titular no jogo de Marselha, lembrou que a equipa lusa podia ter trazido “um ponto ou mais” do Vélodrome, após um encontro “definido em detalhes”, e mostrou-se convicto no triunfo, até pelo apoio dos vitorianos que antevê nas bancadas.

“Está visível a toda a gente o que são estes adeptos. Nos momentos mais difíceis, conseguem-nos transmitir uma força extra. A prova disso é que, mesmo na Liga Europa, o jogo com o Salzburgo [1-1] foi o único que nos deu pontos e isso é trabalho nosso e trabalho dos adeptos”, disse.

O Vitória de Guimarães e o Marselha defrontam-se a partir das 20:05 de quinta-feira, no Estádio D. Afonso Henriques, em jogo que será arbitrado por Tamás Bognar, da Hungria.

Anúncio

Futebol

“Está tudo em aberto”

Micael Sequeira

em

Foto: Twitter

Declarações após a vitória do Rangers sobre o SC Braga, por 3-2, em jogo da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol:

Micael Sequeira (treinador adjunto do SC Braga): “Eles tiveram uma boa reação e alguma felicidade, que faz parte, mas está tudo em aberto. Foi um grande jogo entre duas boas equipas, com dois estilos diferentes.

Mais uma vez acredito que vamos dar a volta na nossa cidade. É continuar a trabalhar e preparar bem o jogo, isso é que é importante.”

Matheus (jogador do SC Braga): “Foi um jogo difícil, temos mais 90 minutos para decidir em casa, refrescar a cabeça, descansar e pensar que na quarta-feira vai ser em casa.

É um terreno difícil, todos viram o estado do relvado, mas não é desculpa. Está tudo em aberto.

Sabemos da qualidade deles, não só o Morelos, e vão ter outro que vai entrar. Nós pensámos em nós, no nosso grupo e vamos pensar no próximo jogo.”

Fransérgio (jogador do SC Braga): “Eles foram agressivos, compactos, mas batalhámos e podíamos ter feito o terceiro golo e não fizemos. Temos a segunda mão e vamos dar a vitória para os adeptos.

O nosso jogo estava tranquilo. Os adeptos deles merecem os parabéns [pelo ambiente no estádio], foi fantástico, mas a nossa casa é melhor e eles também vão ver isso [na próxima semana].”

Abel Ruiz (jogador do SC Braga): “Fizemos um grande jogo, estamos orgulhosos do trabalho que fizemos e temos mais 90 minutos em casa. Temos ambições nesta competição e seguramente que vamos fazer um grande jogo em Braga.”

Continuar a ler

Futebol

“O SC Braga teve momentos extraordinários”

Liga Europa

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após a vitória do Rangers sobre o SC Braga, por 3-2, em jogo da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol:

Steven Gerrard (treinador do Glasgow Rangers): “Foi um jogo fantástico. Batemos uma equipa muito boa e perigosa. O SC Braga foi extraordinário em alguns momentos. Só estamos no intervalo da eliminatória, mas estou orgulhoso dos meus jogadores. A perderem por 2-0, mostraram empenho, carácter e um desejo enorme… foi incrível.

Quando analisar o jogo vou perceber que cometemos alguns erros como equipa. A nossa estrutura não estava compacta, perdemos algumas bolas. Contra equipa desta qualidade e a este nível podemos ser castigados. O primeiro golo deles é muito bom e acabaram por ter sorte no lançamento que dá o 2-0. Mas o SC Braga mostrou qualidade..

[Sobre Hagi] É um talento incrível. Estes grandes palcos são feitos para ele. Havia muita pressão sobre o Hagi por jogar pela primeira vez no Ibrox. Além de ter talento, ele é um lutador, não gosta nada de perder. O golo dele [1-2] permitiu-nos voltar ao jogo. Marcou com o seu pé esquerdo e até acho que esse é o seu pé mais fraco, mas não tenho a certeza. Tivemos sorte no terceiro golo, mas a sorte por vezes é merecida”.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto sofre, mas sai ‘vivo’ de Leverkusen

Liga Europa

em

Imagens via Sport TV

Um golo de Luis Díaz manteve hoje o FC Porto na luta pelo apuramento para os oitavos de final da Liga Europa de futebol, apesar da derrota em casa do Bayer Leverkusen, por 2-1.

Na primeira mão dos 16 avos de final, Alario (29 minutos) e Havertz (57), na marcação de uma grande penalidade, marcaram os dois golos dos alemães, em dois lances com intervenção do videoárbitro, antes do tento do colombiano (73), que manteve os ‘dragões’ na luta.

Antes do encontro foi guardado um minuto de silêncio pelas vítimas do tiroteio de quarta-feira em Hanau, além de serem vistas várias mensagens de apoio ao portista Marega, após o incidente racista de Guimarães.

O treinador Sérgio Conceição alterou duas peças no ‘onze’ em relação ao triunfo sobre o Vitória SC (2-1), com as entradas de Manafá e Soares para os lugares de Otávio, castigado, e Zé Luís, que acabou por ser decisivo no golo.

Com menos um elemento no meio-campo, devido à ausência de Otávio, o FC Porto teve muitas dificuldades para criar lances de ataque, abusando no jogo longo para Marega e Soares, que raramente tiveram o apoio dos médios.

O Leverkusen, sempre com mais posse, ia conseguindo criar alguns lances de perigo, com destaque para o remate de Havertz à barra, aos 17 minutos, com Alario, na recarga, a ver Alex Telles desviar para canto.

Sempre mais agressivos sobre a bola, os ‘farmacêuticos’ iam encostando o FC Porto para perto da sua área, chegando ao golo sem grande surpresa, aos 29 minutos, por Alario, que, na sequência de um livre, encostou ao segundo poste um primeiro desvio de Demirbay.

O árbitro, após consulta do VAR, começou por anular o golo por fora de jogo, mas acabou por recuar na decisão e validar, uma vez que não havia qualquer irregularidade.

Com Corona a fletir várias vezes para o meio para dar igualdade numérica naquela zona, o FC Porto apenas conseguiu ameaçar com remates de longe, sendo que Sérgio Oliveira, aos 35 minutos, fez o primeiro remate dos ‘dragões’, para defesa segura Hradecky.

O guarda-redes finlandês brilhou oito minutos depois, com uma excelente intervenção após um forte remate de Uribe de fora da área.

Já na segunda parte, um erro de Manafá, que foi ultrapassado por Volland e acabou por cometer penálti, permitiu a Havertz a aumentar a vantagem, aos 57.

Contudo, o jovem alemão apenas converteu à segunda, uma vez que o árbitro, novamente por intervenção do VAR, acabou por mandar repetir, por o guarda-redes Marchesín ter dado um passo à frente antes de defender o primeiro remate.

Amiri, aos 60 minutos, obrigou o guarda-redes argentino a uma defesa apertada, naquele que foi praticamente o último lance de perigo do Leverkusen.

As entradas de Nakajima e Zé Luís, dentro da meia hora final, permitiram ao FC Porto melhorar e começar a aparecer mais perto da área dos alemães, sem, contudo, conseguir reais lances de perigo.

Numa bola parada, um ponto forte do seu jogo, o FC Porto acabou por reduzir, por Luis Díaz, aos 73 minutos, que com as costas, em cima da linha, a confirmar o golo, após um cabeceamento de Zé Luís, que Hradecky não conseguiu segurar.

Até ao final, o FC Porto conseguiu ter mais posse, mas sem conseguir ameaçar o golo do empate, com a qualificação para os oitavos de final a decidir-se em 27 de fevereiro, no Estádio do Dragão, no Porto.

Continuar a ler

Populares