Seguir o O MINHO

Alto Minho

Pedro Cachadinha, o ‘top’ das Feiras Novas

Há 20 anos a dar música nas Feiras Novas

em

Pedro Sousa, tocador de concertina e cantador ao desafio, aos 30 anos, é já um dos símbolos maiores da vertente popular das Feiras Novas de Ponte de Lima.

O tocador de concertina, com tasca montada no recinto, habitualmente percorre as avenidas do centro limiano durante as rusgas a cantar ao desafio, tradição que herdou do tio, José Cachadinha, falecido este ano.

Pedro Cachadinha nas Feiras Novas 2019. Foto: Armando Carriça / O MINHO

A O MINHO, Pedro Cachadinha, como é mais conhecido, conta que esta tradição já vem de família, depois de ter aprendido a tocar concertina com o tio. A parte dos cantares, conta, foi desenvolvendo naturalmente, e é hoje um dos mais respeitados cantadores de rua da região minhota.

A tocar e cantar há 20 anos, nunca quis entrar em grandes palcos ou dar grandes digressões com uma banda, mantendo-se sempre fiel ao Minho e ao cariz popular. “Eu gosto de tocar e cantar na rua e nos cafés, como manda a tradição”, explica.

Já está tudo à espera das Feiras Novas em Ponte de Lima

Este ano, Cachadinha terá de dar uso à concertina sem o tio, mas não deixa passar em claro um agradecimento à organização das Feiras Novas pela “homenagem top” que fizeram a José Cachadinha.

“A homenagem não foi cinco estrelas, foi 10. Estão de parabéns pelo que fizeram”, sublinha. “O que o meu tio mais gostava era das Feiras Novas e tenho a certeza que a melhor forma de o lembrar é continuar com a festa pela noite dentro e continuar com as cantigas”, diz.

Ponte de Lima decreta dia de luto municipal em memória de Zé Cachadinha

Sobre as cantigas de rua nas Feiras Novas, Pedro espera que “a mocidade” lhe siga o exemplo. “Gostava que esta mocidade nova continuasse com estas tradições porque isto é uma coisa top”, destaca.

Com arruadas genuínas repletas de concertinas, as Feiras Novas prosseguem este sábado e domingo, sendo já um marco da cultura popular minhota.

Anúncio

Viana do Castelo

Detido por incendiar dois espigueiros para se vingar da ex-mulher em Viana do Castelo

Violência doméstica

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Um homem foi detido em Viana do Castelo por suspeita de ter incendiado dois espigueiros, num quadro de vingança e de violência doméstica sobre a mulher de quem se encontrava separado, informou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, O Departamento de Investigação Criminal de Braga da PJ explica que o homem, de 55 anos de idade, é “o presumível autor de um incêndio ocorrido durante a noite de 08 para 09 de abril passado, numa freguesia do concelho de Viana do Castelo, que consumiu por completo dois espigueiros, avaliados em cerca de 15 mil euros, que se encontravam no logradouro de uma habitação”.

“O detido, trabalhador agrícola e residente na freguesia onde ocorreu o incêndio, atuou num quadro de vingança e de violência doméstica, sendo a principal vítima a sua esposa, de 54 anos de idade, de quem se encontrava separado”, especifica aquela força policial.

A investigação realizada pela PJ “permitiu a recolha de elementos de prova, que conduziram à detenção fora de flagrante delito do indivíduo, o qual vai agora ser presente às autoridades judiciárias competentes para interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Pousada da Juventude de Viana já tem ‘cara nova’

Capacidade até 50 dormidas

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Já terminou a empreitada de 120 mil euros que permitiu requalificar a Pousada da Juventude de Viana do Castelo, depois de um protocolo celebrado entre a autarquia e a Movijovem. foi hoje anunciado.

O investimento municipal na requalificação da pousada será creditado ao município, durante cinco anos, e distribuído 50% em dormidas naquela pousada e os restantes 50% em todas as existentes no país.

Pousada da juventude, Arquitecto Carrilho da Graça, 26 de maio de 2020, ©Arménio Belo/mvc/gci

Pousada da juventude, Arquitecto Carrilho da Graça, 26 de maio de 2020, ©Arménio Belo/mvc/gci

Pousada da juventude, Arquitecto Carrilho da Graça, 26 de maio de 2020, ©Arménio Belo/mvc/gci

O processo de construção da Pousada da Juventude começou em 1991, altura em que foi colocada a primeira pedra do empreendimento na Quinta de São Francisco, no seguimento de um protocolo celebrado entre a Câmara Municipal e o Instituto da Juventude.

O concurso público para a construção da pousada da juventude foi lançado em 1996, por 1,5 milhões de euros e com projeto do arquiteto Carrilho da Graça. A pousada, com 25 quartos e 70 camas foi inaugurada dois anos depois, em agosto de 1998.

Recorde-se que, em contexto de pandemia covid-19, a Pousada da Juventude de Viana do Castelo está pronta a receber idosos com teste positivo de de infeção, mas que não necessitam de internamento hospitalar. Tem capacidade imediata para 16 pessoas, mas pode chegar a 50.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Hospital instalado no centro cultural de Viana do Castelo desmontado em junho

Covid-19

em

Foto: Divulgação

A unidade de saúde instalada no centro cultural de Viana do Castelo, para receber infetados com covid-19 e que não chegou a ser utilizada, vai ser desmontada no mês de junho, informou hoje a Câmara local.

Em resposta por escrito a um pedido de esclarecimento enviado pela agência Lusa, o município de Viana do Castelo explicou que a instalação daquela estrutura representou “um investimento de 12 mil euros, entre montagem e adaptação do espaço”.

“Regista-se que, felizmente, a sua utilização não foi necessária graças ao trabalho promovido pelas entidades de saúde”, refere a autarquia presidida pelo socialista José Maria Costa.

Em abril, a Câmara de Viana do Castelo disponibilizou à Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) uma unidade de retaguarda, instalada na maior sala de espetáculos do Alto Minho para receber idosos infetados com covid-19, evitando a sua permanência em lares.

O espaço “com 120 camas, podendo evoluir até 200 camas, dispõe ainda de salas de apoio médico, balneários, casas de banho para profissionais de saúde, sala para profissionais de saúde, sala de estar e espaços para tratamentos, rampas acessíveis e circuitos diferenciados para reduzir possibilidades de contágios”.

A ULSAM é constituída por dois hospitais: o de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e o Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima. Integra ainda 12 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença, e serve uma população residente superior a 244 mil pessoas, contando com 2.500 profissionais, entre os quais 501 médicos e 892 enfermeiros.

Portugal contabiliza 1.342 mortos associados à covid-19 em 31.007 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado na terça-feira.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

O Governo aprovou novas medidas que entraram em vigor no dia 18 de maio, entre as quais a retoma das visitas aos utentes dos lares de idosos, a reabertura das creches, aulas presenciais para os 11.º e 12.º anos e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.

O regresso das cerimónias religiosas comunitárias está previsto para 30 de maio e a abertura da época balnear para 06 de junho.

Continuar a ler

Populares