PCP diz que Orçamento de Estado não responde às necessidades do Alto Minho

Foto: CM Viana do Castelo

O PCP considera que a proposta de Orçamento de Estado (OE) para 2024 não responde às necessidades do distrito de Viana do Castelo nas áreas da educação, saúde, acessibilidades e ambiente, foi hoje divulgado.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Direção da Organização Regional de Viana do Castelo (DORVIC) do PCP adiantou que a previsão do Governo para o próximo ano “não tem respostas a problemas estruturantes nem às áreas onde são mais evidentes as carências no distrito como a necessidade de uma rede pública de creches”.

Segundo os comunistas, o OE para 2024 “não garante investimentos urgentes e inadiáveis nos serviços públicos, designadamente na Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), onde urge o reforço e fixação de profissionais, a reabertura dos Serviços de Atendimento Permanente (SAP) encerrados em vários concelhos, a internalização do serviço de radiologia e a criação de um serviço de radioterapia”

Para a DORVIC de Viana do Castelo do PCP, a proposta do OE2024 “mantém constrangimentos como as antigas Scut (vias sem custo para o utilizador) na autoestrada A28, que se confirma como um obstáculo à mobilidade, um elemento de agravamento de custos para trabalhadores e empresas”

Ainda na área das acessibilidades, o PCP de Viana do Castelo considera que a proposta do Governo também “não integra a necessária ligação da A28 a Valença, Monção e Melgaço, integrando estes concelhos na rede nacional de autoestradas, removendo obstáculos ao desenvolvimento e promovendo a qualidade de vida das populações e o desenvolvimento dos concelhos mais a norte do distrito”.

Segundo o PCP, o OE para 2024 “não responde ao crescente problema da invasão de espécies invasoras no rio Lima, que reclama uma intervenção de fundo e monitorização permanente para evitar consequências irreversíveis na fauna e na flora, mas também para permitir que o rio Lima e as suas margens possam continuar a ser potenciadas para o lazer, o turismo e o desporto”.

O PCP, através das suas organizações e, em particular, do seu grupo parlamentar na Assembleia da República, intervirá na denúncia das limitações e insuficiências deste orçamento, reclamando respostas e soluções para os problemas que afetam a região”, refere o comunicado.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Famalicão perde nos penáltis e é afastado da Youth League

Próximo Artigo

Mais de 1.300 polícias agredidos entre janeiro e agosto deste ano

Artigos Relacionados
x