Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

PCP de Viana do Castelo defende reavaliação de projeto que prevê abate de árvores

Ambiente

em

Foto: O MINHO

O PCP defendeu hoje que a Câmara de Viana do Castelo “nunca teve uma oportunidade tão boa” como a criada pela contestação ao abate de 20 árvores em Darque para “melhorar” o projeto dos acessos ao porto de mar.


“Julgamos que a Câmara Municipal nunca teve uma oportunidade tão boa como esta para colocar os problemas inerentes a este empreendimento na mesa e superá-los. Há que reconhecer que as objeções ao projeto são justas e ver como melhorar a situação, não agigantando o problema ainda mais””, refere a Direção da Organização Regional de Viana do Castelo (DORVIC) do PCP em comunicação hoje enviado à imprensa.

Em causa está a construção de uma rotunda de acesso ao porto de mar da cidade, na avenida do Cabedelo, na freguesia de Darque, que deveria ter sido iniciada na segunda-feira, mas foi embargada por moradores que contestam o abate de cerca de duas dezenas das 170 árvores (plátanos) existentes naquela artéria.

Os moradores daquele lugar da freguesia de Darque, na margem esquerda do rio Lima, acionaram um embargo extrajudicial para travar os trabalhos, suspensos desde então.

Na nota hoje enviada às redações, os comunistas sublinham que “desde o primeiro momento em que foi tornada pública a intenção da Câmara de Viana do Castelo proceder ao abate de 20 plátanos na avenida do Cabedelo, que a CDU esteve ao lado da população que, justamente, considera tal opção profundamente lesiva da sua qualidade de vida”.

O PCP adiantou ter marcado presença, na segunda-feira, através da vereadora na autarquia e do presidente da Junta de Darque, no “protesto realizado por dezenas de moradores” da localidade, para “expressar solidariedade com a sua luta”.

“Aquela que é talvez a mais elegante e mais frondosa avenida do concelho de Viana do Castelo, que dá acesso ao largo histórico da Senhora das Areias, à praia do Cabedelo e à habitação de centenas de moradores, será transfigurada da pior forma possível, fruto, do quero posso e mando da Câmara de Viana”, sustenta.

Para os comunistas “é necessário encontrar soluções alternativas para o novo acesso ao porto de mar”, acrescentando ter sido “nesse espírito – procurando criar condições para que a Câmara Municipal reavalie a situação e encontre soluções que não levem ao abate daquelas árvores – que a vereadora da CDU solicitou a realização de uma reunião extraordinária da Câmara Municipal, entretanto agendada para sexta-feira”.

“Não iludimos o facto de a Câmara Municipal (e do PS) terem conduzido este projeto, até agora, sem levar em conta propostas alternativas. De igual forma não menosprezamos a importância da construção daquele novo acesso”, frisa o PCP.

Em causa está a construção, iniciada em fevereiro de 2019, de uma rodovia com 8,8 quilómetros que ligará o porto comercial ao nó da Autoestrada 28 (A28) em São Romão de Neiva, permitindo retirar os veículos pesados do interior de vias urbanas.

Os novos acessos, reivindicados há mais de quatro décadas, terão duas faixas de rodagem de 3,5 metros de largura.

A obra é financiada pela Câmara de Viana do Castelo e pela Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Anúncio

Viana do Castelo

Professor e aluno do Politécnico de Viana premiados em conferência internacional

Por artigo científico sobre criptomoedas

em

Rui Carreira e Pedro Pinto. Foto: Divulgação / IPVC

O docente do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Pedro Pinto, e o aluno de Engenharia Informática e atual estudante do Mestrado de Cibersegurança, Rui Carreira, foram premiados com o “Best Application Paper Award”, pelo trabalho publicado na conferência internacional Blockchain’20, realizada online a partir de L’Aquila – Itália, entre 7 e 9 de outubro.

A distinção foi atribuída pelo artigo científico que apresenta uma solução para a geração de comprovativos de propriedade e proveniência de criptomoedas.

O artigo “A Framework for On-Demand Reporting of Cryptocurrency Ownership and Provenance” da autoria de Rui Carreira e Pedro Pinto, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, e António Pinto, docente do Instituto Politécnico do Porto, acabou por ser considerado o melhor no âmbito das aplicações da conferência.

Um trabalho que, de acordo com os autores, alerta para algumas questões que têm de ser resolvidas no âmbito da utilização das criptomoedas. “Hoje, além das moedas tradicionais utilizadas para transações financeiras, temos disponíveis as chamadas criptomoedas que utilizam a tecnologia Blockchain, como o Bitcoin e Ethereum, que são utilizadas também como meio de pagamento de bens e serviços. O problema é que estas carteiras de criptomoedas não permitem a identificação direta do seu proprietário e o rastreamento da proveniência dos seus valores. No entanto, há situações em que um cidadão tem de provar a propriedade e a proveniência de determinados valores transacionados”.

Os autores apontam exemplos práticos: “Em Portugal, se um cidadão quer adquirir um imóvel de 250.000€ tem de reportar esta aquisição à Autoridade Tributária e, se for auditado, tem de prestar provas da propriedade e proveniência desse valor, mesmo que tenha utilizado uma criptomoeda para este pagamento”.

Nesse sentido, os autores apresentam como solução uma nova aplicação que permite, de forma expedita e totalmente digital, gerar comprovativos de propriedade e proveniência de valores de uma ou várias carteiras de criptomoedas.

A Conferência Internacional de Blockchain e Aplicações (Blockchain’20) reuniu pelo segundo ano investigadores de blockchain e inteligência artificial (IA) tendo sido, ao longo de três dias, partilhadas ideias, projetos e avanços associados a essas tecnologias e os seus domínios de aplicação.

A conferência Blockchain’20 permite aos investigadores e profissionais a oportunidade de trabalhar e publicar os seus desenvolvimentos nesta linha de investigação promissora que envolve a tecnologia blockchain, identificando e resolvendo questões críticas relacionadas, e também apontando para desafios futuros na sua aplicação.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Atenção, Viana. Ponte Eiffel fechada ao trânsito entre sexta-feira e sábado

Para manutenção das juntas de dilatação

em

Foto: DR / Arquivo

O tabuleiro rodoviário da ponte Eiffel, em Viana do Castelo, vai encerrar ao trânsito entre as 20:00 de sexta-feira e as 24:00 de sábado, para manutenção das juntas de dilatação, informou hoje a Câmara.

Em comunicado, a autarquia justificou a necessidade do corte total da circulação automóvel “com a localização da empreitada e dimensão da ponte”.

“Por motivos de segurança e qualidade dos trabalhos a executar, é necessário efetuar o corte total, com implantação de percursos alternativos”.

Contactada pela Lusa, fonte autárquica explicou que o corte não se aplica à circulação ferroviária.

Com 142 anos, a travessia metálica liga a cidade de Viana do Castelo à vila de Darque, na margem esquerda do rio Lima.

Tem 645 metros de comprimento, é composta por dois tabuleiros metálicos, sendo o superior rodoviário, para trânsito automóvel e pedestre, e o inferior ferroviário.

Atualmente, em processo de classificação como Monumento Nacional (MN), a ponte está classificada como património da cidade.

A ligação entre as duas margens do rio Lima é ainda assegurada por uma outra travessia, localmente designada por ponte nova, de acesso à autoestrada 28 (A28), inaugurada em setembro de 1991, para aliviar o trânsito da centenária ponte Eiffel.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Funeral de bispo emérito de Viana realiza-se na sexta-feira

D. José Pereira

em

Foto: DR

O funeral do bispo emérito de Viana do Castelo, José Pereira, que morreu hoje aos 85 anos, vítima de doença prolongada, realiza-se na sexta-feira, no cemitério municipal da cidade, depois da cerimónia fúnebre na Sé Catedral, anunciou hoje a diocese.

Em nota enviada às redações, a diocese de Viana do Castelo informou que “as exéquias terão lugar na sexta-feira, às 15:00, na Sé Catedral da cidade, sendo que o corpo irá, posteriormente, a sepultar no cemitério municipal” da capital do Alto Minho.

“Num momento em que ainda recordamos de forma viva a partida repentina de D. Anacleto Oliveira, a diocese de Viana do Castelo comunica o falecimento do seu bispo emérito D. José Augusto Martins Fernandes Pedreira, vítima de doença prolongada, ao final da manhã” refere a nota.

José Pedreira, bispo da diocese de Viana do Castelo entre 1997 e 2010, morreu hoje de manhã no hospital de Braga onde se encontrava internado.

O presidente da Câmara de Viana do Castelo expressou hoje o seu pesar pela morte de “uma personalidade de referência”, anunciando que a autarquia “vai decretar um dia de luto municipal”.

Também a Câmara de Arcos de Valdevez manifestou, hoje, o seu “profundo pesar” pela morte do prelado que descreveu como uma “figura que se demarcou pelo seu trabalho em prol da comunidade do Alto Minho”.

Anteriormente à Lusa, o presidente da Câmara de Valença, concelho de onde o prelado era natural, lamentou a “perda de uma figura carismática” do concelho.

“É um filho da terra, era uma pessoa muito ligada à terra. É uma grande perda para Valença e para a freguesia de Gondomil. Era uma pessoa muito estimada”, reforçou.

D. José Augusto Martins Fernandes Pedreira nasceu na freguesia de Gondomil, no concelho de Valença, distrito de Viana do Castelo, no dia 10 de abril de 1935.

Foi ordenado sacerdote a 12 de julho de 1959. Em 1982 foi nomeado bispo-auxiliar do Porto, com o título de bispo-titular de Elvas.

A ordenação episcopal decorreu a 19 de março de 1983, tendo como principal consagrante Armindo Lopes Coelho, na altura recentemente nomeado bispo de Viana do Castelo, e como consagrantes, Eurico Dias Nogueira, arcebispo de Braga e Júlio Tavares Rebimbas, arcebispo do Porto.

Foi ainda formador no Seminário Maior de Braga, diretor e professor do Colégio do Minho, em Viana do Castelo, e professor da Escola do Magistério Primário, da Escola de Educadoras de Infância e da Escola de Enfermagem de Viana do Castelo (1975-1979).

Entre 1978 e 1983, foi chanceler secretário da Cúria Diocesana e, em 1982, Promotor de Justiça do Tribunal Eclesiástico.

A 29 de Outubro de 1997 foi nomeado bispo de Viana do Castelo, cargo onde se manteve até ao seu pedido de resignação e consequente nomeação de Anacleto Oliveira, que morreu em setembro, aos 74 anos, na sequência do despiste do automóvel que conduzia na Autoestrada do Sul perto de Almodôvar, no distrito de Beja.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou hoje a morte de José Pedreira, considerando que deixou “um admirável exemplo de serviço aos outros”.

Através de uma nota divulgada no portal da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa apresentou os seus “mais sentidos pêsames” à família do bispo.

“Apresento igualmente as minhas condolências à comunidade de fiéis de Viana do Castelo, que tiveram em D. José Pedreira, ao longo de vários anos, de 1997 a 2010, um prelado esclarecido e empenhado, que em todos deixa uma mensagem de esperança e um admirável exemplo de serviço aos outros”, lê-se na mesma nota.

Continuar a ler

Populares