Paulo Rangel insta Governo a demarcar-se da posição de Lula da Silva sobre a Ucrânia

Foto: DR / Arquivo

O vice-presidente do PSD, Paulo Rangel, instou hoje o Governo a “tomar uma posição pública e formal” demarcando-se das declarações do Presidente brasileiro de que a União Europeia, NATO e EUA estão a estimular a guerra na Ucrânia.

“O Governo português – enquanto órgão de soberania responsável pela condução da política externa –, respeitando por inteiro a soberania do Brasil, através do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro dos Negócios Estrangeiros, não pode deixar de se demarcar, pelas vias diplomáticas adequadas mas também publicamente, da afirmação de que a União Europeia, a NATO e os Estados Unidos estão a fomentar e a estimular a guerra”, afirmou Rangel numa declaração política feita hoje no Porto.

Segundo sustentou, “com a mesma franqueza e, até, desassombro com que o Presidente do Brasil fala da cumplicidade e intervenção da União Europeia e procura suavizar ou omitir a responsabilidade do regime de Putin, o primeiro-ministro António Costa deverá afirmar a posição de Portugal a favor do direito internacional, da integridade territorial da soberania ucraniana e da paz”.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Moreirense vence Benfica B em jogo com onze golos e está cada vez mais perto do título

Próximo Artigo

João Canijo vence prémio de melhor realizador no Festival de Cinema Internacional do Uruguai

Artigos Relacionados
x