Seguir o O MINHO

Braga

Parquímetros 20 cêntimos/hora mais baratos a partir de segunda-feira, em Braga

Taxa de estacionamento foi reduzida de um euro para 80 cêntimos por hora

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O estacionamento pago à superfície em Braga vai custar menos 20 cêntimos por hora a partir de segunda-feira, esperando os Transportes Urbanos de Braga (TUB) arrecadar cerca de 500 mil euros anuais com a receita dos parquímetros.

Segundo o que a autarquia anunciou em novembro, a taxa de estacionamento foi reduzida de um euro para 80 cêntimos por hora e os lugares pagos vão passar a ser 1.800, ao contrário dos 2.600 vigentes durante o período em que a cobrança e vigilância dos parquímetros estavam entregues à ESSE.

A redução do preço resulta da decisão de devolver “à esfera municipal a gestão do estacionamento à superfície dentro da cidade”, com a fiscalização dos parquímetros a ser feita a partir de segunda-feira pelos EUB – Estacionamentos Urbanos de Braga.

Dentro desta “nova área de atuação” dos TUB, empresa municipal de transporte para a qual reverterá toda a receita daquele serviço, está ainda a ser desenvolvido um “sistema de pagamento mais simplificado” das tarifas, através da aplicação Via Verde.

A autarquia fez ainda saber que a política de preços a praticar irá beneficiar a mobilidade elétrica.

Com a nova regulamentação, cada estacionamento terá a duração máxima de duas horas, mas a autarquia garante que está a “avançar com a modernização do processo de digitalização de forma a agilizar a gestão das avenças de moradores, com comerciantes e viaturas elétricas”, sendo ainda permitido aos comerciantes de rua oferecer descontos aos clientes.

Os EUB dispõem também de novo ‘site’ (www.eub.pt) no qual constam todas as informações relativas ao estacionamento pago à superfície na cidade e onde será possível pedir avenças e regularizar a situações de incumprimento.

Anúncio

Braga

Irmãos de António Variações em palco com quatro orquestras para “espetáculo ímpar”

No Europarque, em Santa Maria da Feira

em

Jaime, Adosinda e Luiz Ribeiro, com o ator Sérgio Praia, protagonista do filme "Variações". Foto: Ricardo Santos / Revista "Lux" (2016)

Jaime e Luíz Ribeiro, irmãos do músico António Variações (1944-1984), sobem sábado ao palco do Grande Auditório do Europarque, em Santa Maria da Feira, para participar num “espetáculo ímpar” com mais de 200 instrumentistas de quatro bandas sinfónicas.

O concerto é uma produção desse município do distrito de Aveiro e, marcando o encerramento do cartaz de 2020 da Festa das Fogaceiras, reunirá os coletivos musicais de Arrifana, Lobão, Vale e Souto para a interpretação de um ‘medley’ instrumental, 11 temas com acompanhamento vocal – pelos irmãos de Variações e também por Joana Espadinha, Joana Almeirante e Goodfellas – e ainda um arranjo final.

“Com 200 músicos em palco, vai ser um espetáculo ímpar, algo realmente diferente, e isso deixa-nos muito orgulhosos porque demonstra como o António tinha de facto um talento tão especial que ainda hoje, passados tantos anos, continua a emocionar as pessoas e a fazer tanta gente gostar dele, mesmo nas gerações mais novas”, declara Luíz Ribeiro, irmão do artista homenageado.

Jaime Ribeiro refere que formatos idênticos já foram apresentados em Idanha-a-Nova e Braga, mas realça que nunca antes foi testado um registo “com tantos músicos em palco”, pelo que defende que esta “experiência inédita vai ser muito bonita e terá um impacto diferente, mais marcante”.

O espetáculo está a ser planeado desde meados de 2019 sob a direção artística de Marcelo Alves, que assina os novos arranjos dos temas a apresentar ao público e os vem preparando em estreita colaboração com os maestros daquelas que são “as quatro e únicas bandas sinfónicas da Feira”.

Os ensaios gerais com os solistas convidados começam esta quinta-feira e permitirão ultimar um espetáculo com “uma sonoridade muito própria, já que os instrumentistas vão garantir às canções de António Variações um registo tão ou mais rock do que aquele que uma banda de rock permitiria”.

Marcelo Alves diz à Lusa que isso resulta do profundo conhecimento que os maestros envolvidos no projeto revelam ter sobre “as potencialidades de cada instrumento sinfónico” e antecipa assim um desempenho coletivo “com estrondo e com um som poderoso”.

Os temas de António Variações selecionados para o alinhamento do concerto não foram, por isso, deixados ao acaso: irá ouvir-se, por exemplo, “O corpo é que paga”, “Estou além”, a “Canção do Engate” e “Maria Albertina”.

Jaime Ribeiro, que nunca seguiu uma carreira profissional como artista, mas sempre se dedicou à música, vai interpretar “Que pena seres vigarista”, evocando assim o facto de que o irmão “adorava Amália e, portanto, também o fado”.

Já Luíz, que se dedica à música de forma menos regular, mas já reuniu “para os filhos, netos e família” 16 faixas sobre “saudade e nostalgia” no álbum “Então fui a Braga”, cantará no Europarque “Deolinda de Jesus” e reconhece que essa escolha “é simbólica”.

“É uma canção do António sobre a nossa mãe. Mas, no fundo, fala de todas as mães e de um sentimento com que todos se identificam, qualquer que seja a sua origem e a sua idade”, conclui.

Continuar a ler

Braga

Fatura da água vai baixar para a maioria dos consumidores de Braga

De acordo com a AGERE

em

A fatura mensal da água da maioria dos consumidores do concelho de Braga vai baixar em 2020, pela aplicação de descontos que contrabalançam os aumentos que resultariam da aplicação das novas regras impostas pela entidade reguladora, foi hoje anunciado.

Rui Morais. Foto: Sérgio Freitas / CM Braga / Divulgação

Em conferência de imprensa, o presidente do conselho de administração da empresa municipal Agere, Rui Morais, admitiu que alguns consumidores vão ter “um ligeiro” aumento.

“Alguns vão ter um ligeiro aumento, mas o grosso, mais de 70 mil, até terá redução do tarifário”, sublinhou.

Serão contemplados com a redução os consumidores domésticos, bem como os consumidores não domésticos com estabelecimentos com área superior a 200 metros quadrados.

Em causa, a fatura mensal que chega aos consumidores, que inclui a água, os resíduos e o saneamento.

Na Agere, o tarifário não era alterado desde 2014.

De acordo com as novas regras impostas pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), a partir deste mês o tarifário inclui uma componente fixa e uma componente variável indexada ao consumo da água.

Segundo Rui Morais, com a aplicação das novas regras as alterações de tarifário implicariam variações que poderiam levar a aumentos superiores a 100%.

Para minimizar este impacto, e para garantir uma “variação redudiza” em relação ao tarifário de 2019, a Agere decidiu aplicar descontos, diferenciados pela tipologia (doméstico, não doméstico e social) e pela localização (zonas urbanas e não urbanas”.

Os descontos envolvem, essencialmente, a componente fixa e são aplicados aos consumidores domésticos em zonas não urbanas (desconto de 42%) e aos consumidores não domésticos com estabelecimentos com áreas até 100 metros quadrados (45% em zonas urbanas e 75% em zonas não urbanas).

Os consumidores com estabelecimentos com áreas em os 100 e os 200 metros quadrados, localizados em zonas não urbanas, têm desconto de 45%).

Os consumidores sociais domésticos ficam isentos daquela taxa.

Em relação à componente variável, para os consumidores não domésticos haverá um limite máximo de aplicação que será os 100 metros cúbicos.

“Com esta conjugação de descontos, conseguimos neutralizar, quase por completo, o impacto que as novas regras impostas pela ERSAR teriam nos tarifários”, disse Rui Morais, vincando que a preocupação foi “não onerar as pessoas”.

Até aqui, o tarifário para os consumidores domésticos comportava apenas uma componente definida por escalão de consumo e diferenciada em função da periodicidade da recolha.

O tarifário para os não domésticos envolvida igualmente apenas uma componente, de valor fixo, definido em função da periodicidade da recolha e da área do estabelecimento.

Continuar a ler

Braga

Braga: Nossa Senhora do Sameiro chega às notas de zero euros

Para colecionadores e turistas

em

Foto: Divulgação

Cinco mil exemplares de notas alusivas à Nossa Senhora do Sameiro, em Braga, começaram a ser comercializadas, esta segunda-feira.

Estas notas, que foram criadas para efeitos turísticos e de colecionismo, estarão disponíveis no Posto de Turismo do Sameiro e na Casa das Estampas, assim como, online, no site da Eurosouvenir, promotora destes artigos.

O Bom Jesus, em Braga, também faz parte desta coleção, desde outubro passado.

Braga: Bom Jesus nas novas notas de zero euros

As primeiras imagens típicas de Portugal em notas de zero euros foram lançadas em 2017. A circulação da nota, que não serve como moeda de troca e tem um custo de dois euros, foi autorizada pelo Banco Central Europeu (BCE) no início de outubro, nesse ano.

Foto: Divulgação

Em setembro deste ano, Viana e Barcelos foram selecionadas para integrar esta coleção. No caso de Barcelos, também em selo.

As notas souvenir possuem as mesmas características de uma nota de euro verdadeira, como a marca de água, holograma, registo transparente, sistema de segurança e um número de série.

É considerada a última moda entre as lembranças adquiridas pelos turistas nos países que visitam e está já entre as lembranças mais vendidas.

O conceito de ter uma nota para um local de interesse turístico tem vindo também a atrair colecionadores.

A ideia foi lançada em 2015 por Richard Faille em França, tendo nesse ano sido lançadas 100 notas de diferentes locais, e já se estendeu à Alemanha, Áustria, Bélgica, Suíça, Países Baixos e Espanha.

Continuar a ler

Populares