Seguir o O MINHO

Fafe

Paróquias em Fafe mudam de padres

Arões, Fafe, Revelhe, Golães e Estorãos.

em

Foto: DR

O Arciprestado de Fafe, da Arquidiocese de Braga, divulgou esta sexta-feira a lista de nomeações de novos padres em várias paróquias de Fafe, após as saídas dos padres Pedro Daniel e José Miguel.

ARÕES E GOLÃES

Padre Filipe Alves. Foto: Arquidiocese de Braga

Padre Filipe Alves: 37 anos; natural de São Vicente do Bico, Amares. Toma posse domingo, 16 de setembro, às 10:30, em Arões, e às 15:00, do mesmo dia, em Golães.

“O sacerdócio ministerial é um chamamento de Deus, uma proposta Sua para a nossa vida terrena. Temos a liberdade de a acolher ou não. Uma vez acolhida é para ser vivida segundo as palavras de Maria: “Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1, 38). Este ministério não é uma realização pessoal, mas um serviço a Deus na pessoa do próximo. O verbo faça-se é um verbo de movimento, logo é algo que obriga a um caminhar. Depois, é para ser vivido segundo a palavra de Cristo. Tenho a noção que não é uma proposta fácil, que nem sempre corresponde às expectativas de vida, nem sempre correspondeu às minhas espectativas de vida, muito ligadas a esta vivência terrena, mas a vida em Cristo supera todas as nossas expectativas. Esta é uma realização, mas essencialmente uma graça muito grande que Deus concede. Sei das dificuldades e adversidades do caminho, mas também sei da alegria de servir, a exemplo de muitos outros que já fizeram este caminho, e da alegria da vida vivida em Cristo”. – Padre Filipe Alves, diocese-braga.pt

FORNELOS E FAFE

Padre Vitor Araújo. Foto: Arquidiocese de Braga

Padre Vítor Araújo: 30 anos, natural de São Martinho do Vale, Vila Nova de Famalicão. Toma posse sábado, 22 de setembro, às 18:00, e domingo, 23 de setembro, às 19:00, em Fafe, na Igreja de S. José.

“Ao longo de toda a minha vida, e pensando sobretudo no caminho feito em seminário, foi ficando claro que o discernimento assentava em duas questões de fundo: o que Deus quer de mim? O que eu quero para a minha vida? Ainda que, sem definir exactamente em que momentos fui respondendo a cada uma delas, as respostas foram surgindo.

Dito isto escolho para a minha vida sacerdotal o lema: Sacerdócio, dom que se recebe, vida que se dá.

Em primeiro lugar entendo, com base no meu discernimento, que Deus me quer entregar este enorme dom do Sacerdócio Ministerial.  Entendo-o como a vocação que no coração de Deus me está a chamar. 

Em segundo lugar, talvez o ponto mais difícil do meu caminho de discernimento, fazendo um exercício de plena liberdade humana, com toda a consciência e maturidade que me é possível neste preciso momento da vida, resolvo assim doar, entregar e disponibilizar tudo o que sou para este caminho de vida presbiteral. 

Creio ser importante referir que nesta decisão se encontra também a inspiração e o pedido de protecção a algumas personagens concretas da história do povo de Deus. Em Moisés, que caminha a mando de Deus, junto do seu povo, levando-os para a Terra Prometida. Em Job, a audácia de quem “luta” com Deus, sabendo e querendo que Deus saia sempre vencedor. Em Maria, que mesmo não sabendo a totalidade do projeto de Deus para a sua vida foi capaz de dizer sim.  Em Paulo, homem de convicções fortes, que permitiu que Deus o convertesse diariamente.

Em suma, caminho para Ordenação Presbiteral, com base num caminho de discernimento que não se fecha, mas que me parece bastante claro e delineado nesta rota: o Sacerdócio que agora me proponho a abraçar, é um Dom que Deus me propõe, e ao qual eu entrego a totalidade da minha vida, na confiança de que Ele me guiará sempre e que eu me deixarei guiar numa entrega diária ao dom recebido”. – Padre Filipe Alves, diocese-braga.pt

REVELHE

Padre Vitor Sá. Foto: Suplemento “Igreja Viva”, jornal “Diário do Minho” (2017)

Padre Vitor Sá: 25 anos. Toma posse domingo, 23 de setembro, às 15:30.

ESTORÃOS

Igreja Paroquial de Estorãos. Foto: “Fafe Minha Terra” (2014)

Padre José Maria. Toma posse domingo, 23 de setembro, às 15:30.

 

Populares