Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Parlamento discute abolição de portagens na A28, esta quinta-feira

Proposta do Bloco de Esquerda

em

Foto: DR / Arquivo

A recomendação do Bloco de Esquerda ao Governo para a abolição do pagamento de portagens na Autoestrada 28 (A28), entre Viana do Castelo e o Porto, vai ser discutida, na quinta-feira, em plenário da Assembleia da República.

De acordo com a informação que consta no sítio na Internet da Assembleia da República, hoje consultado pela agência Lusa, o projeto de resolução do Bloco de Esquerda (BE) deu entrada no parlamento em novembro e vai ser apreciado em sessão plenária, na quinta-feira.

No documento, o BE pede a “abolição imediata da cobrança de taxas de portagem em toda a extensão da A28”.

“Estamos perante uma situação de injustiça concreta para o Alto Minho, duramente penalizado com a introdução de portagens, com impacto significativo para as relações económicas, comerciais e turísticas do Alto Minho com a Galiza, já que 51% das mercadorias transportadas com destino a Espanha entram através da Galiza e 65% das mercadorias transportadas por estrada no norte de Portugal são provenientes da Galiza”, sustenta o projeto de resolução.

O BE alerta ainda para as “dificuldades acrescidas” causadas pelo pórtico de Neiva (Viana do Castelo), referindo que “a existência de descontos para veículos de mercadorias não é suficiente para assegurar a solvabilidade financeira das micro e pequenas empresas”.

“A existência de portagens na A28 isola ainda mais o Alto Minho, pois quem se dirija daí para o resto do país, passando pelo Porto, por exemplo, tem um custo acrescido, o que fomenta a desigualdade entre regiões do país, quando seria importante assegurar a coesão territorial”, sustentam os deputados do Bloco de Esquerda.

Outro dos argumentos que sustenta o projeto de resolução assenta no “aumento da sinistralidade na Estrada Nacional (EN) 13, fruto da deslocalização do tráfego da A28 para esta via urbana”.

O Bloco de Esquerda recordou ter apresentado “diversas propostas contra as portagens, durante os governos PSD/CDS e PS”, criticando a sua rejeição “por uma maioria negativa de deputadas e deputados das três forças políticas”.

“A alternativa defendida pelo Bloco de Esquerda assenta nos princípios da solidariedade e da defesa da coesão social, da promoção da melhoria das acessibilidades territoriais, como instrumento essencial de uma estratégia de desenvolvimento sustentável e na consagração do direito à mobilidade como estruturante de uma democracia moderna”, reforça o partido.

Na quinta-feira, a sessão plenária vai ainda discutir uma petição de 2017, da Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL), que reclama a eliminação do pórtico de Neiva da Autoestrada 28 (A28).

A reunião plenária que discutirá o documento está marcada para quinta-feira, pelas 15:00.

Em causa está o pórtico de Neiva da A28, antiga SCUT (Sem Custos para o Utilizador) que liga Viana do Castelo ao Porto, situado à entrada de uma zona industrial da capital do Alto Minho e que é considerado “entrave” à atividade empresarial da região.

Na terça-feira à Lusa, o presidente da CEVAL, Luís Ceia, defendeu que a eliminação daquele pórtico garantirá “equidade” no acesso aos distritos de Viana do Castelo e do Porto.

“A eliminação do pórtico reduzirá o custo da viagem, em portagens, do itinerário entre Viana do Castelo e o Porto, e vice-versa, em 0,65 euros para veículos da Classe 1 e em 1,25 euros para veículos da Classe 2, indo até ao encontro da perspetiva do Governo de baixar o custo das portagens nos territórios do interior”, sustentou o líder da estrutura que representa cerca de 5.000 empresas do distrito de Viana do Castelo.

Anúncio

Alto Minho

Tuna junta-se para cantar “Havemos de ir a Viana” a partir de casa

Em tempos de confinamento, a Hinoportuna – Tuna do Instituto Politécnico de Viana do Castelo lançou, este domingo, um videoclipe da música “Havemos de ir a Viana”, feito a partir das casas dos seus membros. Vídeo: YouTube

em

Em tempos de confinamento, a Hinoportuna – Tuna do Instituto Politécnico de Viana do Castelo lançou, este domingo, um videoclipe da música “Havemos de ir a Viana”, feito a partir das casas dos seus membros.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Câmara de Viana serviu cerca de mil refeições na última semana

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

A Câmara Municipal de Viana do Castelo já assegurou mais de mil refeições, só na última semana, a profissionais de saúde, forças de segurança pública, bombeiros e Cruz Vermelha, fornecendo ainda refeições a alunos com escalão tipo A e B através das Escolas de Referência e a famílias ou cidadãos com dificuldades económicas, anunciou hoje a autarquia.

Recorde-se que as Escolas de Referência para acolhimento de filhos de trabalhadores de serviços essenciais são EBS de Arga e Lima, Lanheses (Agr. Arga e Lima), Centro Escolar EB de Barroselas (Agr. Barroselas), ES de Monserrate (Agr. Monserrate), EB da Foz do Neiva, Castelo do Neiva (Agr. Monte da Ola), EB Frei Bartolomeu dos Mártires (Agr. Santa Maria Maior), Escola Básica de Abelheira (Agr. Abelheira) e EBS Pintor José de Brito, Santa Marta de Portuzelo (Agr. Pintor José de Brito).

As Escolas de Referência estão também abertas para fornecimento de refeições para os alunos com escalões A e B. As escolas de referência podem ainda fornecer, em regime de ‘take away’, refeições a crianças referenciadas pelas Instituições Particulares de Solidariedade Social. As IPSS sinalizam as crianças com necessidades e, assim, as famílias podem levantar a refeição em causa na escola de referência do respetivo agrupamento. Para fornecimento de refeições em regime ‘de take away’ a escola de referência do Agrupamento do Monte da Ola é a Escola EB2.3 Carteado Mena (Darque).

Em tempos de grande incerteza e vulnerabilidade, as autarquias de Viana do Castelo assumiram um papel fundamental, em parceria com todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho.

Há várias Juntas e Uniões de Freguesia do concelho de Viana do Castelo a apoiar diretamente famílias na compra de medicamentos, alimentação e outros bens essenciais. A par disto, a Câmara Municipal criou uma bolsa de voluntários municipais, onde vários trabalhadores municipais se disponibilizaram para entregar refeições em casa de pessoas mais vulneráveis, medicamentos e outros bens essenciais.

Através da Linha de Apoio Social, há uma grande articulação com todas as juntas de freguesia que estão no terreno, assim como com as IPSS’s. A Câmara Municipal de Viana do Castelo apela àqueles que estejam, neste momento, a precisar de apoio e ainda não o tenham obtido, a que consultem a página da respetiva Junta de Freguesia para perceber se é uma das juntas de freguesia a prestar apoio. Em caso negativo, poderá contactar a Linha de Apoio Social – 258 809 316 – para esclarecer todas as dúvidas.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana encerra cemitério municipal

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

O cemitério municipal de Viana do Castelo está encerrado a partir de ontem numa medida de conteção “adequada para evitar propagação” do novo coronavírus, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado, a Câmara local aponta o decreto n.º2-A/2020 de 20 de março para determinar o encerramento daquele equipamento municipal.

Informa ainda que o cemitério será aberto apenas para a realização de funerais, sugerindo-se que apenas compareçam nos mesmos os familiares mais próximos, “cumprindo a regra do distanciamento social”.

Continuar a ler

Populares