Seguir o O MINHO

Alto Minho

Paredes de Coura: Roupa pelo ar, dança e alguma chuva no fecho do Festival

em

O 23.º festival de música de Paredes de Coura termina na noite de hoje, depois de ter havido dança em Sylvan Esso, ‘mosh’ e roupa pelo ar em Fuzz e alguma chuva em Lykke Li.

A noite ainda prossegue madrugada dentro com Ratatat no palco principal, enquanto The Soft Moon e Sascha Funke concluem com os últimos ‘after-hours’ do evento.

Poucos minutos passavam das 22:00 de sábado quando o público que já se acumulava perante o palco secundário pedia a presença de Fuzz, projeto de Ty Segall, que aqui é baterista e também vocalista.

Às 22:20, hora prevista para o concerto, iniciou-se a atuação do trio para quem o palco secundário foi pequeno, com toda a área em frente à cabine de som ocupada por empurrões, saltos, ‘crowdsurfing’ e até alguma roupa pelo ar, de casacos a sapatos e chapéus.

No mesmo palco haviam atuado antes os norte-americanos Sylvan Esso, a dupla Amelia Meath e Nick Sanborn, que dançou e pôs o público a dançar com a sua eletrónica em estreia nacional.

Ao longo de quatro dias de festival, passaram pelos palcos do evento artistas nacionais e internacionais como The Legendary Tigerman, TV on the Radio, Tame Impala e Charles Bradley, entre muitos outros.

Festival Paredes de Coura regressa em 2016 de 17 a 20 de agosto

paredes de coura festival

O festival de música de Paredes de Coura vai voltar às margens do rio Taboão no próximo ano, de 17 a 20 de agosto, anunciou a organização, que confirmou a continuidade do patrocínio da Vodafone.

Em conferência de imprensa, no último dia do festival, o diretor do evento, João Carvalho, mostrou a satisfação da organização com a 23.ª edição, assegurando que, apesar da “aposta nova” que foi lotar o recinto com capacidade para 25 mil pessoas, este “é e será um festival de afetos”.

“Há um contentamento generalizado e isso cria-nos mais responsabilidade ainda. Para o próximo ano queremos fazer ainda uma melhor edição”, afirmou João Carvalho, que revelou que a próxima edição está a ser planeada já há dois meses.

Com os passes gerais esgotados antes do começo do Vodafone Paredes de Coura e os bilhetes diários a serem vendidos na totalidade durante o festival, João Carvalho disse que 20% dos visitantes foram estrangeiros, com destaque para Espanha, Reino Unido, França e Bélgica.

Da parte da Vodafone Portugal, o administrador Emanuel Sousa disse que a renovação da parceria foi “fechada hoje” formalmente, por mais um ano, ainda que, pelo menos, “espiritualmente há de ser por muitos anos”.

A 23.ª edição do festival Paredes de Coura, a primeira da história a esgotar, termina este domingo, ao fim de quatro dias de música, cabendo a Ratatat fechar as atuações no palco principal, enquanto Fuzz, de Ty Segall, são os últimos no palco secundário.

Populares