Seguir o O MINHO

Alto Minho

Paredes de Coura procura soluções para conflito “universal e secular” entre o homem e o lobo

Lobo-ibérico foi encontrado morto no fim-de-semana passado. E não foi a primeira vez, naquela região

em

Foto: DR

O concelho de Paredes de Coura inaugura, na sexta-feira, a Casa da Biodiversidade de “apoio e procura de soluções” que permitam um “equilíbrio no conflito universal e secular” existente entre o homem e o lobo.

“A Casa da Biodiversidade não é o espaço do lobo, é o espaço das pessoas que precisam de ajuda para poder lidar com o lobo. Precisam de ajuda para se proteger, conhecendo-o bem e evitando os seus prejuízos e, sobretudo, para saber como devem agir para serem ressarcidas quando não foi possível protegê-las”, afirmou hoje à Lusa o presidente da Câmara de Paredes de Coura.

“Para nós, neste conflito não existe o lado do lobo e o lado do homem, só existe o lado do problema e o lado das soluções. Nós queremos estar, definitivamente, do lado das soluções. Não queremos milagres, procuramos soluções”, reforçou.

Segundo dados avançados pelo autarca socialista, o último ataque do lobo a um rebanho ocorreu há dois meses, na freguesia de Ferreira. Já na semana passa, adiantou Vítor Paulo Pereira, um lobo foi encontrado morto a tiro, na zona entre Cossourado e Sapardos, na fronteira do concelho de Paredes de Coura e Vila Nova de Cerveira.

Lobo-ibérico encontrado morto com tiro na nuca em Paredes de Coura

Vítor Paulo Pereira diz que é preciso acabar com este “conflito imemorial entre o lobo e o homem”, que, defendeu, “nasce do medo profundo do animal e que é incutido desde cedo nas crianças, através da ideia do lobo mau”.

“Esse medo alimenta-se cada vez mais do desconhecimento e transforma-se em ódio quando somos confrontados com os prejuízos que o animal causa. Não somos presunçosos ao ponto de dizer que queremos resolver este problema, o que queremos com este projeto é repor algum equilíbrio nesta relação e, através desse equilíbrio, garantir a preservação do animal e a qualidade de vida das pessoas”, reforçou o autarca.

Vítor Paulo Pereira lembrou que a proteção da biodiversidade não é uma opção, mas “uma questão de sobrevivência enquanto território sustentável e criativo”.

“A proteção do lobo ibérico só se consegue se não nos esquecermos que as pessoas também fazem parte da biodiversidade e, por isso, só as ajudando e trabalhando com elas podemos garantir a proteção do lobo”, afirmou.

A Casa da Biodiversidade, a inaugurar na sexta-feira de manhã numa cerimónia que contará com o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, integra-se no projeto “O Lobo e o Homem” que a Câmara de Paredes de Coura está a desenvolver e que representa um investimento superior a 138 mil euros, financiado por fundos do Norte 2020.

A Casa da Biodiversidade, orçada em mais de 100 mil euros, resultou da recuperação do edifício de uma antiga sede de junta de freguesia de Castanheira.

O imóvel encontrava-se devoluto e “reabre portas transformado em Casa da Biodiversidade”, um espaço de “apoio aos proprietários lesados pelo ataque dos lobos e de investigação científica, uma vez que é nela que ficará instalada a base de campo do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genético da Universidade do Porto (CIBIO)”.

“A ideia é enfrentar este problema de longa data e transformá-lo numa vantagem para a população, garantindo com isso uma eficaz preservação da espécie. O conflito de outrora ganha contornos diferentes e não permite hoje a escolha entre o lado do lobo ou o lado do homem, a opção é entre o lado do problema e o lado da solução”, adiantou Vítor Paulo Pereira.

O projeto “O Lobo e o Homem” tem como parceiros a Associação Aldeia, o CIBIO, a Associação de Conservação do Habitat do Lobo Ibérico (ACHLI) e a colaboração do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF).

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Viana do Castelo

Anunciados os primeiros nomes para o Festival Neopop em Viana

em

Foto: Facebook de Neopop

A banda Underworld é um dos primeiros nomes confirmados para a edição 2019 do festival de música eletrónica Neopop, que vai realizar-se em Viana do Castelo, de 07 a 10 de agosto, anunciou hoje a organização.

“Vai ser uma oportunidade única. Viana do Castelo foi a cidade escolhida como um dos destinos da digressão mundial desta banda de referência mundial”, afirmou Raul Duro, hoje, durante a apresentação da 14.ª edição do festival.

O responsável, que falava em conferência de imprensa, no Serviço de Atendimento ao Munícipe (SAM) da Câmara de Viana do Castelo, apontou ainda os nomes dos portugueses 2Jack4U (live), Amelie Lens, Ben Klock, DVS1, John Digweed, Lokier, Maceo Plex, Rebekah (live), Richie Hawtin, Surgeon (live) e The Advent.

Raul Duro adiantou que “já foram vendidos mais de mil passes, [e] mais de 50% dos passes foram vendidos a público estrangeiro”.

“Nesta altura do ano é referência ótima”, sublinhou.

O festival de música eletrónica, que decorre junto ao Forte Santiago da Barra, vai contar com quatro palcos e dezenas de artistas para a sua 14.ª edição, sendo que a organização espera receber “cerca de dez mil pessoas, por dia”.

Já Paulo Amaral, um dos responsáveis pela organização, destacou que o festival está nomeado em quatro categorias nos Iberian Festival Awards que vão decorrer, em março, na cidade de Vigo, em Espanha.

Especificou que o Neopop está nomeado como Best Medium-Sized Festival, Best Line-Up Powered By Artcor Light, Best Communication, e Best Live Performance (Int.) (St. Germain).

Segundo Paulo Amaral “o impacto económico do festival atualizado, este ano, é de 3,72 milhões de euros”, referindo que o retorno “já não se faz sentir só no município de Viana do Castelo mas um pouco por todo o distrito”.

Paulo Amaral destacou que o festival “atingiu um excelente nível de relacionamento com a comunidade, com 92% de satisfação dos festivaleiros com as pessoas da cidade, em termos de acolhimento e simpatia”.

Presente no encontro com os jornalistas, o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, avançou, quando questionado, que o apoio do município à edição 2019 do festival ronda os 70 mil euros.

O autarca socialista destacou a importância económica do festival, que “atrai milhares de festivaleiros de um número muito alargado de países”.

No final do encontro com os jornalistas, a organização do Neopop doou cerca de 3.300 euros à Associação de Paralisia Cerebral de Viana do Castelo e à Associação dos Amigos do Autismo, como resultado da receita da venda dos cinco quadros da campanha “The Art of Techno”, que foi promovida em 2018.

As duas associações foram escolhidas pela vereadora da Cultura da Câmara de Viana do Castelo. Também presente na conferencia de imprensa, Maria José Guerreiro referiu que a organização do festival “soube compreender a importância de Viana se sentir confortável com o festival”, relançado a aposta na “aproximação do festival à comunidade”.

Continuar a ler

Alto Minho

Homem detido por 40 furtos no Alto Minho

Homem de 26 anos

em

Foto: Divulgação/GNR

Um jovem suspeito por 40 furtos em residências, armazéns e empresas, situados na zona do Alto Minho, foi detido na cidade Braga, durante uma operação do Destacamento da GNR de Arcos de Valdevez, tendo-lhe apreendido um elevado número de artigos furtados.

O detido, de 26 anos de idade, residente em Braga, é suspeito da autoria de 40 furtos em residências, armazéns e estaleiros de empresas, crimes cometidos nas zonas de Arcos de Valdevez, de Ponte de Lima e de Ponte da Barca, no distrito de Viana do Castelo.

De acordo com informações do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, a ação decorrer num processo de investigação no qual a GNR apurou que o detido se dedicava a furtar todo o tipo de artigos e equipamentos que contivessem metais não preciosos, principalmente ferro, inox e cobre, levando os mesmos dos locais dos furtos para uma garagem, onde procedia ao seu desmantelamento e separação dos componentes metálicos, para posteriormente os entregar em sucateiras.

Segundo o oficial de Comunicação e Relações Públicas do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, capitão João Viana, a investigação criminal culminou na realização de oito mandados de busca, dos quais quatro foram em residências, um em oficina e três em viaturas, tendo sido apreendidas três viaturas, em que as duas carrinhas eram utilizadas para o transporte do material furtado e o veículo ligeiro funcionava como “batedor”, no sentido de detetar alguma autoridade durante a deslocação.

A GNR apreendeu duas armas brancas, uma arma de ar comprimido, máquinas de construção civil e ferramentas, eletrodomésticos, material informático, duas bicicletas, uma televisão, fios elétricos e diversas ferramentas utilizadas em furtos.

O suspeito, com antecedentes criminais pela prática do mesmo tipo de crime, permanece detido nas instalações da GNR, sendo presente esta terça-feira no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Ministério Público do Porto.

Em resultado da operação foi ainda constituído arguido um outro individuo, um homem de 36 anos, suspeito de ter participado nos furtos e esta operação policial teve colaboração do Comando Distrital da Polícia de Segurança Pública de Braga.

Continuar a ler

Ponte de Lima

BMW carbonizado encontrado em Ponte de Lima

Caso foi entregue à Polícia Judiciária de Braga

em

Foto: Enviada a O MINHO

Um carro foi encontrado esta segunda-feira em Vitorino das Donas, Ponte de Lima, completamente destruído, carbonizado e abandonado, revelou a O MINHO um leitor, que enviou imagens do automóvel.

Foto: Enviada a O MINHO

Foto: Enviada a O MINHO

Foto: Enviada a O MINHO

A informação foi confirmada ao Jornal de Noticias (JN) por fonte da GNR, que recebeu o alerta durante a manhã e esteve no local. O caso, diz o JN, está a ser investigado pela Polícia Judiciária de Braga.

O veículo é um BMW Série 3, mas não há outras informações, visto que, segundo a testemunha no local, a viatura estava sem matrículas.

“Parece que alguém lhe pegou fogo, visto que havia um isqueiro perto”, acrescenta.

 

Continuar a ler

Populares