Seguir o O MINHO

Guimarães

Paróquia de Guimarães abençoada pelo Papa

Vila Nova de Sande

em

Foto: DR

As obras de construção da Igreja Paroquial de Vila Nova de Sande, em Guimarães, parecem seguir com maior vigor na sequência de uma bênção especial chegada diretamente do Vaticano.

A paróquia recebeu uma carta enviada pela secretaria de Estado de Sua Santidade o Papa Francisco, assinado pelo assessor para os assuntos gerais, Monsenhor Paolo Borgia, onde é indicada a atribuição da “benção apostólica” por parte do papa.


A carta vem a propósito do lançamento da primeira pedra e bênção dos trabalhos para a edificação da igreja nova de Santa Maria de Vila Nova de Sande, a cargo do padre Marc Rodrigues Monteiro.

A O MINHO, o pároco manifesta um “sentimento de felicidade e ao mesmo tempo de responsabilidade” acerca desta bênção apostólica por parte de Francisco.

“A carta foi recebida com muita emoção por toda a comunidade e é mais um incentivo para tornarmos este sonho realidade”, destaca o sacerdote.

Marc Monteiro explica que a construção da nova igreja é algo sentido por entre a comunidade há já muito tempo.

“Precisamos de um espaço para, em comunidade, podermos encontrar Deus”, refere o pároco, contando que “neste momento estamos a celebrar no salão paroquial”, onde o “espaço não é o mais apropriado para mantermos esta relação com o transcendente”.

“Este novo projeto, de formas simples mas intenso em simbologia, vai ajudar-nos a perceber que Deus está presente na simplicidade”, explica, acrescentando que a nova igreja terá como matéria primordial  a madeira, o betão e a água.

“Chega para sentirmos e relacionarmo-nos com o Divino” em “um caminho que começa a fazer-se fora da Igreja”.

Com desenho a cargo dos arquitetos Cerejeira Fontes, o novo espaço terá um edifício em forma de cruz e uma vasta zona arbórea ao redor.

“Para entrar precisamos de abstermo-nos todos os ruídos. Para tal, atravessamos uma floresta de árvores que nos obriga a fazer silêncio”, explica o pároco.

(Notícia atualizada às 13h42 com alteração da localização de “Caldas das Taipas” para “Guimarães”)

Populares