PAN questiona Câmara de Barcelos sobre gato espancado por adolescentes

Associação diz que já identificou dois agressores

A Distrital de Braga do PAN questionou a Câmara de Barcelos sobre a alegada agressão a um gato por parte de um grupo de jovens, junto à Escola Secundária de Barcelos.

Em comunicado enviado a O MINHO, o partido adianta que questionou a autarquia relativamente ao seu conhecimento deste caso e se tem conhecimento de situações semelhantes, bem como sobre as diligências que pretende adotar relativamente a políticas de bem-estar animal.

Segundo o porta-voz distrital, Rafael Pinto, citado no comunicado, “o PAN tem mantido contacto com a associação Streetdogs [que denunciou o caso] e considera fundamental que a Câmara Municipal se torne um agente ativo nesta situação, ajudando no processo burocrático e legal bem como assegurando as despesas veterinárias”.

Para além disto, acrescenta o comunicado, o partido interpelou o executivo sobre os planos para educação do bem-estar animal, especialmente em contexto escolar, ressalvando que “tem lutado afincadamente pela criminalização destes e outros atos atrozes contra animais, assim como a sensibilização para a importância da inclusão destas matérias nos programa educativos. Exemplo disso é o projeto de recomendação que apresentamos este ano e que foi chumbado com os votos contra do PS e CDS e a abstenção do PSD, PCP e Chega”.

Como O MINHO noticiou, a associação de proteção animal “StreetDogs”, de Barcelos, vai apresentar uma queixa-crime contra alunos de uma escola secundária daquela cidade por alegados maus-tratos a um gato, foi hoje anunciado.

Em declarações à Lusa, a presidente da direção da “StreetDogs”, Alexandra Figueiredo, disse que a associação está a aguardar a junção ao processo de fotografias, vídeos e outro material para formalizar a queixa.

“Neste momento, o material de que dispomos já nos permite identificar dois agressores”, adiantou.

Em causa um episódio registado na última sexta-feira junto à Escola Secundária de Barcelos, em que, segundo aquela associação, alguns adolescentes terão colocado um gato dentro de um saco e esmurrado o animal.

Os maus-tratos terão sido registados em fotografia e vídeo, sendo que alguns desses registos já estão na posse da “StreetDogs”.

A associação apela a que lhe façam chegar outros eventuais registos, para juntar ao processo e apresentar uma queixa “mais consistente, que não fique em águas de bacalhau”.

Alexandra Figueiredo disse ainda que a associação já contactou os responsáveis da escola em questão, que se manifestaram “disponíveis para colaborar”.

Segundo a dirigente associativa, a “StreetDogs” aguarda ainda por “orientações jurídicas”, para que a queixa “chegue ao sítio certo”.

O gato em questão já foi, entretanto, adotado.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

GNR sensibiliza grupos motard do distrito de Viana para os cuidados a ter na estrada

Próximo Artigo

João Sousa eliminado na primeira ronda em Bratislava

Artigos Relacionados
x