Seguir o O MINHO

Braga

PAN acusa coligação Juntos por Braga e PS de “grande centralismo” urbano

Eleições autárquicas

em

Foto: Divulgação / PAN

O cabeça de lista do PAN à Câmara de Braga acusou a coligação PSD/CDS-PP/PPM/Aliança e o PS de “grande centralismo pelas áreas urbanas” por não terem propostas para a agricultura e florestas, o que considera “inadmissível”.

Em declarações à Lusa, o candidato Rafael Pinto apontou várias propostas naquelas áreas com vista a proteger o território de incêndios florestais e a diminuir os excedentes alimentares.

“Após leituras atentas do programa da coligação ‘Juntos por Braga’ [PSD/CDS-PP/PPM/Aliança] e do PS, apercebemo-nos que não existe uma única referência à agricultura, o que nos parece muito estranho, tendo em conta a grande área agrícola do concelho de Braga”, disse.

“Para nós, é inadmissível que partidos que se propõe a governar uma cidade não tenham propostas para a floresta e agricultura, que representam mais de 50% da área do concelho”, considerou.

Para o PAN, isto “demonstra um grande centralismo pelas áreas urbanas, claramente, mas também demonstra que não há propostas, não há programas de apoio aos produtores, não há propostas para a melhoria da gestão florestal e para o combate aos incêndios”.

“Tudo isto é inadmissível para partidos com esta dimensão”, disse, acrescentando que, em contrapartida, “o PAN tem várias propostas”.

Para a área florestal, o PAN que “acabar o cadastro da propriedade florestal, que ainda não está terminado e é uma necessidade urgente para ajudar ao combate dos incêndios”.

“Queremos também criar um programa de apoio à plantação e substituição de árvores por árvores autóctones, queremos também introduzir, no âmbito da proteção civil, a questão do bem-estar animal e equipas de resgate animal, e queremos ainda apostar num novo tipo de agricultura chamada agroflorestal, que é uma agricultura mais sustentável e que pode ser feita com a gestão florestal”, explanou.

Na agricultura, salientou Rafael Pinto, o PAN quer “a criação de uma rede de partilha de excedentes agrícolas, com vista a diminuir os excedentes alimentares, promover uma estratégia municipal de combate ao desperdício alimentar, criação de uma feira de produtos biológicos e a granel, uma rede de hortas biológicas, hortas em todas as escolas e ainda privilegiar os produtores locais nos contratos públicos, principalmente nas cantinas escolares”.

Nas eleições de domingo, os cabeças de lista à Câmara de Braga são Ricardo Rio (PSD/CDS-PP/PPM/Aliança), Hugo Pires (PS), Bárbara Barros (CDU), Alexandra Vieira (Bloco de Esquerda), Teresa Mota (Livre), Olga Baptista (Iniciativa Liberal), Rafael Pinto (PAN) e Eugénia Santos (Chega).

Populares