Seguir o O MINHO

Famalicão

Pai Natal ‘trouxe’ viatura topo de gama para os Bombeiros Famalicenses

Natal

em

Foto: BV Famalicenses

Os presentes de Natal da corporação dos Bombeiros Famalicenses chegaram mais cedo neste ano, com a apresentação de três novas viaturas, este sábado, uma das quais o novo Veículo Florestal de Combate a Incêndios, topo de gama e uma necessidade para aquela corporação.


Durante o jantar de Natal destes voluntários, ouviram-se sirenes e a chegada foi “em grande”, como um Pai Natal que chega no seu trenó. As novas viaturas foram contempladas por cerca de 600 pessoas que participaram neste jantar.

Para além do veículo de combate a incêndios florestais, também um reboque para transporte de veículos e um autotanque (que tinha sido danificado após capotar no centro da cidade) foram prendas para os bombeiros.

Esta corporação conta com mais de uma centena de voluntários e é uma das três do concelho de Famalicão, a par dos Bombeiros de Famalicão e dos Bombeiros de Riba de Ave.

Anúncio

Ave

Câmara de Famalicão exige reabertura da Segurança Social e do Registo Civil

Paulo Cunha

em

Foto: DR

O presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão reclamou hoje medidas urgentes para a reabertura dos serviços concelhios da Segurança Social e do Registo Civil e Notariado, que foram encerrados devido à pandemia de covid-19.

Em cartas dirigidas às ministras do Trabalho e da Justiça, Paulo Cunha refere que o fecho daqueles serviços configura “um cenário muito grave” e apela a “respostas urgentes” para “colmatar a falta de capacidade de resposta” daqueles serviços.

Segundo o autarca de Famalicão, o problema resulta do “emagrecimento” daquelas estruturas que se vem registando ao longo dos anos.

“Se houvesse quantidade de funcionários, podia-se criar equipas espelho, que se fossem revezando”, referiu.

Face à escassez de recursos humanos, a solução foi encerrar os serviços.

“É muito mau”, sublinhou Paulo Cunha, lembrando que aqueles são serviços a que a Câmara não se pode substituir.

Na Segurança Social de Famalicão, registou-se um caso positivo de infeção pelo novo coronavírus e os poucos funcionários que estavam a trabalhar nas instalações foram colocados em isolamento profilático.

Atualmente, e segundo a Câmara, estão ao serviço apenas duas funcionárias, a realizar contactos telefónicos com a população.

No Registo Civil e Notariado, os três funcionários que ali estavam a trabalhar foram também colocados em isolamento, na sequência de um caso positivo.

A agravar a situação, a equipa que se encontrava a trabalhar “em espelho” permanece ainda em isolamento profilático.

As instalações dos dois serviços fecharam e tanto num caso como no outro não há “qualquer previsão” para a reabertura.

“Estamos preocupados com a situação e reclamamos que rapidamente haja substituição de funcionários ou uma solução para que não haja descontinuidade demasiado longa destes serviços”, rematou Paulo Cunha.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.350.275 mortos resultantes de mais de 56,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.701 pessoas dos 243.009 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Ave

Construtora de Famalicão inicia obra de 61 milhões para modernização da linha Oeste

Economia

em

Diretor da Gabriel Couto (esqª) e presidente da Infraestruturas de Portugal. Foto: Divulgação

As obras de requalificação da linha do Oeste serão executadas por um consórcio liderado pela Gabriel Couto numa empreitada orçada em 61,7 milhões de euros, anunciou hoje a empresa de Famalicão.

Integrada no âmbito do Programa Ferrovia 2020, a Infraestruturas de Portugal adjudicou ao consórcio Gabriel Couto, S.A. / M. Couto Alves, S.A. / Aldesa Construcciones, S.A. esta obra que terá de estar concluída no prazo de dois anos.

A empreitada no distrito de Lisboa que liga Mira-Sintra/Meleças, em Sintra, e Torres Vedras prevê a eletrificação integral do troço, a beneficiação de cinco estações e seis apeadeiros e a criação e melhoria dos acessos às plataformas de passageiros para utentes com mobilidade reduzida.

Em comunicado, a empresa refere que, com uma extensão de 43 quilómetros, este projeto vai ao encontro das necessidades da população da região, aumentando a qualidade do transporte ferroviário que passa a ser realizado por comboios elétricos, e beneficiando também as áreas envolventes.

“Assim, as melhorias serão sentidas na fluidez do trânsito rodoviário ao suprimirem passagens de nível com a construção de nove passagens desniveladas, e a automatização das restantes, com a instalação de sinalização semafórica. Desta forma, procura-se reforçar as condições de segurança e circulação e, em simultâneo, a reabilitação estrutural, com o rebaixamento da plataforma ferroviária para colocação da catenária nos túneis de Sapataria, Boiaca, Cabaço e Certa”, salienta o comunicado.

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, citado no comunicado, refere que estas obras de requalificação da Linha Ferroviária do Oeste dão resposta aos anseios das populações e vão permitir ter comboios mais amigos do ambiente, mais confortáveis, mais rápidos e frequentes a circular. “A modernização da linha do Oeste é uma obra que estas populações aguardam há muitos anos e que, agora, podemos dizer que vai mesmo acontecer”, referiu o governante na assinatura da adjudicação deste contrato.

Tiago Couto, diretor da construtora de Famalicão e responsável pelos projetos internacionais e de infraestruturas, diz, por seu turno, que a adjudicação a este consórcio, com a liderança da Gabriel Couto, prova que esta empresa se mantém bem cotada no que respeita à inovação e excelência que permite a execução rigorosa dos prazos acordados.

“Continuamos a investir na vanguarda da engenharia como motor de inovação e desenvolvimento. E com esta obra de ferrovia vemos o nosso portfólio de obras reforçado nesta área de projetos de infraestruturas”, observa o executivo da empresa minhota, que ocupa o sétimo lugar do “ranking” nacional do setor.

Continuar a ler

Ave

Covid fecha serviços da Segurança Social e Registo Civil em Famalicão

Covid-19

em

Foto: DR

Os serviços de Segurança Social e Registo Civil de Famalicão fecharam para atendimento ao público sem data de reabertura.

A situação deve-se a casos positivos à covid-19 de funcionários e ao isolamento profilático de outros.

A falta de recursos humanos impediu o recurso de equipas em espelho, o que obrigou ao encerramento dos serviços.

A rádio Cidade Hoje refere que o anúncio foi feito pelo presidente da Câmara, Paulo Cunha, na reunião do executivo.

Continuar a ler

Populares