Seguir o O MINHO

Caminha

Padre “motard” enche igrejas nas primeiras missas em Valença

Depois de 10 anos em Caminha

em

Foto: Facebook de Padre Ricardo

Após 10 anos em Caminha, Ricardo Esteves, conhecido como o “padre motard”, estreou-se este fim de semana nas freguesias de Valença que será responsável, e encheu os locais.


O padre celebrou a primeira missa em Boivão, quando até chegou a cometer uma pequena gafe ao trocar o nome de Valença por Caminha, sem incomodar em nada a assistência.

O padre Ricardo Esteves foi pároco nas freguesias de S. Martinho de Lanhelas, Sta. Eulália de Vilar de Mouros e S. Pedro de Seixas durante quatro anos, e apesar de uma petição com cerca de 1900 assinaturas a pedir a permanência, o reverendo foi transferido para as freguesias de Divino Salvador de Gandra, Sta Marinha de Taião, S. Félix de Sanfins, S. Tiago de Boivão e S. Cristóvão de Gondomil, no arciprestado de Valença.

O pároco, famoso por gostar de andar de mota, ir ao ginásio e sair à noite, mostrou-se ansioso por iniciar os novos projetos e disse que traz as antigas paróquias no coração.

Durante a missa de Boivão, o pároco garantiu que “não estou aqui para alterar nada, estou aqui para dar um pouco melhor de mim e para vos ajudar no que for necessário”.

O padre Ricardo Esteves foi substituído pelo padre Manuel Joaquim Rodrigues Pinto em Caminha.

Anúncio

Alto Minho

Autarca de Caminha pede à GNR para acabar com ‘botellóns’

Estado de alerta

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, solicitou à GNR ajuda para acabar com os ajuntamentos de jovens no concelho, apelando a multas.

O Jornal de Notícias (JN), que avança a notícia (acesso exclusivo para assinantes), refere que a GNR dispersou nas últimas semanas vários ajuntamentos de jovens, à noite, em locais ermos do concelho de Caminha.

O autarca está preocupado com o impacto que estes ajuntamentos possam ter na evolução da situação sanitária do concelho, temendo que estas situações irão agudizar-se no pico do verão.

Segundo o JN, para prevenir abusos durante a época balnear, Miguel Alves enviou uma carta ao Comando Nacional da GNR, pedindo o reforço do efetivo em julho e agosto no concelho.

O presidente da Câmara pede um presença mais visível e dissuasora em alguns períodos, nas noites de agosto, em que “grupos numerosos e ruidosos de jovens” fazem ‘botellón’ – expressão espanhola para ajuntamentos em espaços públicos para beber bebidas alcoólicas compradas previamente – em zonas do centro histórico e nas praias de Moledo e Vila Praia de Âncora.

Fonte do Comando Territorial de Viana confirmou ao JN que foram sinalizados três locais em Caminha e Vila Praia de Âncora em que ajuntamentos dispersaram à chegada da GNR.

Botelhão, sexo e vandalismo: As loucas noites que escandalizam Caminha

O próprio presidente da Câmara afirma àquele jornal ter denunciado ‘botellóns’ à GNR, acrescentando ter “conhecimento de vários encontros combinados através das redes sociais, sobretudo entre os mais jovens, em alguns lugares ermos e afastados dos centros das vilas”.

As zonas de São Pedro de Varais, na encosta da Serra d’Arga, da Senhora das neves, em Dem, e do Calvário, em Vila Praia de Âncora, são as referidas.

“Pedi à GNR que, quando sentir que a sensibilização não cumpre o seu efeito, dê um passo no sentido de reprimir, com multas os comportamentos abusivos e ilegais que colocam em risco a saúde do próprios e dos outros”, afirmou o autarca em declarações ao JN.

O país passou para estado de alerta no dia 01 de julho, estando proibidos ajuntamentos com mais de 20 pessoas, bem como o consumo de álcool na via pública.

Continuar a ler

Alto Minho

Maestro de Caminha vence prémio em concurso mundial

Lourenço Cruz

em

Foto: DR / Arquivo

Lourenço Cruz, músico de Caminha, conquistou o prémio de voto do público e foi o melhor classificado português no 28.º World Music Competition (Concurso Mundial de Música), na categoria de direção de orquestra.

“Ser selecionado para um concurso deste é maravilhoso, mas ter recebido o apoio de todos vós para este prémio é incalculável. Obrigado”, agradeceu o maestro de 42 anos nas redes sociais.

Devido à pandemia de covid-19, a final do evento, para a qual foram classificados três músicos dos Estados Unidos, Grécia e China, foi adiada para dezembro.

Embora quedando-se pela meia-final, Lourenço Cruz acaba por conquistar dois prémios que serão entregues na cerimónia da final em dezembro.

Lourenço Cruz nasceu em França, filho de pais emigrantes, naturais de Lanhelas, em Caminha. Com quatro anos veio para Portugal.

Nascido em família de músicos, no entanto, na infância era o desporto que mais o puxava, tendo praticado remo no Caminhense.

Maestro de Caminha luta por um lugar entre os melhores do mundo

Estudou na escola profissional de música de Viana do Castelo, tendo como primeiro instrumento foi o trompete.
Atualmente, vive em Viana do Castelo e trabalha em Trás-os-Montes.

Em Vila Real dirige a Banda Marcial e a Escola de Música de Murça. Em Mirandela dirige o Grande Coro da delegação local da Cruz Vermelha Portuguesa e é maestro titular da Orquestra Clássica de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Continuar a ler

Alto Minho

‘Ferry’ volta hoje a ligar Caminha e Galiza

Reabertura da fronteira

em

Foto: Divulgação / CM Caminha

O ‘ferry’ retoma esta quarta-feira, dia em que se abrem as fronteiras com Espanha, as travessias entre Caminha e A Guarda.

A primeira viagem ocorreu às 09:30, estando previstas saídas de Caminha às 10:00, 11:00, 12:00, 14:00 e 15:00.

Do lado galego, haverá viagens às 09:45, 10:30, 11:30, 12:30, 14:30 e 15:15.

Em comunicado, a autarquia de Caminha sublinha que as travessias estão sempre condicionadas às condições de navegabilidade do ferry, por força do assoreamento do canal balizado.

Continuar a ler

Populares