Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Padre há 50 anos e bispo de Viana há dez: D. Anacleto Oliveira, o “escravo de todos”

Religião

em

Foto: Reprodução / Notícias de Viana

Faz hoje, dia 15 de agosto, dez anos que D. Anacleto Oliveira tomava posse como bispo da diocese de Viana do Castelo, sob o lema episcopal “Escravo de todos”. Faz também 50 anos que foi ordenado sacerdote, na diocese de Leiria-Fátima, de onde é natural.


A efeméride não passou despercebida a várias figuras da sociedade portuguesa, entre elas o Presidente da República, que apelida Anacleto de “intelectual da igreja”.

Numa nota publicada pelo jornal Notícias de Viana, enviada a O MINHO, Marcelo Rebelo de Sousa destaca o “conhecimento, disponibilidade e serviço” como “exigências do múnus sacerdotal, e, por maioria de razão, episcopal”.

Ordenação de D. Anacleto Oliveira. Foto: Reprodução / Notícias de Viana

“E os vianenses bem sabem da alegria de poder contar com um bispo disponível no contacto pastoral e humano que é ao mesmo tempo um intelectual da Igreja, que integrou a equipa que traduziu a Nova Bíblia dos Capuchinhos e que atualmente preside à Comissão Episcopal de Liturgia”, disse o Chefe de Estado.

O Presidente realçou ainda as “capacidades académicas” em diversas universidades por onde o clérigo passou, não deixando de lado os dez anos em que esteve ao serviço de emigrantes portugueses na Alemanha, onde foi capelão da comunidade lusa.

D. Anacleto Oliveira. Foto: Reprodução / Notícias de Viana

“Um bispo não tem um currículo, tem uma missão: servir a Igreja e as comunidades cristãs, em diálogo com a sociedade. A ousada divisa episcopal de D. Anacleto, Escravo de Todos, pode soar estranha aos nossos ouvidos, até nos lembrarmos das palavras do Apóstolo Paulo: Pois, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos para ganhar o maior número”, sublinhou Marcelo.

Das fábricas da Marinha Grande ao topo de Santa Luzia

Anacleto Oliveira, agora com 74 anos, nasceu a 17 de julho de 1949 na povoação de Cortes, em Leiria. A 15 de agosto de 1970, precisamente há 50 anos, foi ordenado sacerdote, depois de uma passagem de dois meses pelos escritórios de uma fábrica de vidros da Marinha Grande, onde aprendeu o ‘trato’ com operários.

Já depois da ordenação, estudou em Roma e na Alemanha, onde viveu dez anos como capelão da comunidade portuguesa. Em 2005 foi ordenado bispo no patriacardo de Lisboa. A 15 de agosto de 2010 foi ordenado bispo da diocese de Viana do Castelo.

Em entrevista à Agência Ecclesia, o bispo confessa que “não conhecia o Minho” nem procurou conhecer. “Apenas me informei o que era Viana do Castelo e vim à aventura”, recordou.

Atualmente, para além de desempenhar o cargo máximo da Igreja no Alto Minho, é ainda presidente da Comissão Episcopal de Liturgia e Espiritualidade.

Anúncio

Viana do Castelo

Chico da Tina volta a ser rei da internet com 100 mil ‘views’ em menos de 24 horas

Trapstar do Alto Minho

em

Foto: DR

O novo videoclipe de Chico da Tina, músico de Viana do Castelo, é mais um sucesso na internet. Lançado às 12:00 de domingo no You Tube, “7. Ronaldo” já tinha, às 10:00 desta segunda-feira, ultrapassado as 100 mil visualizações.

Chico da Tina (abreviatura de Francisco da Concertina) é um dos maiores fenómenos da música portuguesa atual, somando números astronómicos de visualizações no You Tube.

Já o último videoclipe, “Resort”, como O MINHO noticiou, tinha alcançado as 100 mil visualizações em apenas um dia – pouco mais de um mês depois já ultrapassou um milhão.

Algo a que o ‘trapstar’ do Alto Minho já está habituado, uma vez que os vídeoclipes de dois dos seus temas mais famosos, “Põe-te Fino” e “Freicken”, têm 1,6 milhões e 1,7 milhões de visualizações, respetivamente.

Chico da Tina estreou-se com o EP “Trapalhadas” em 2019 e no mesmo ano lançou o primeiro longa-duração “Minho Trapstar”.

Novo ‘clip’ de Chico da Tina (trapstar do Alto Minho) com 100 mil ‘views’ em 24 horas

O músico minhoto ganhou maior visibilidade após ganhar o Prémio de música realizado pelo festival Mimo de Amarante, no ano passado.

Fortemente influenciado pelos sons e vivências do Minho, criou uma combinação inédita entre o trap (subgénero do rap), a concertina e as gírias regionais, unindo a tradição e a modernidade.

“É uma proposta meta-irónica do trap subvertido ao linguajar e costumes do universo minhoto. No entanto, para além desta ‘colagem’ estética entre dois polos que à primeira vista poderiam ser opostos, há um atrevimento lírico que se pretende afirmar pelo desafio ao politicamente correcto e aos limites da linguagem que ultimamente se têm vindo a estreitar”, refere a sua descrição na página do festival Mimo.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana: No último domingo do verão houve quem fosse à praia (e quase se afogasse)

Afife

em

Foto: Arquivo

O calendário juliano marca este domingo como sendo o último do verão de 2020, um período de férias atípico marcado pelas condicionantes de uma pandemia como a nossa geração nunca viu.

Com o verão quase a terminar (outono chega na terça-feira), e apesar do tempo instável que se tem sentido ao longo dos últimos dias, houve quem se aventurasse nas praias do Minho, existindo uma ocorrência de pré-afogamento numa praia de Viana do Castelo.

Ao que apurou O MINHO, dois homens, na casa dos 40 anos, escaparam à morte nas águas da costa da praia de Afife, ao início da tarde deste domingo.

Uma das vítimas “atrapalhou-se” quando nadava, levando a que um amigo o tentasse resgatar, mas acabou também ele por se ver aflito na água do mar.

Os dois acabaram por chegar ao areal pelos próprios meios, bastante estafados, o que motivou um pedido de alerta de emergência. O alerta foi dado às 15:59.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo para prestar os primeiros socorros às vítimas. Transportaram ambos para o Hospital de Santa Luzia, por precaução.

A Polícia Marítima registou a ocorrência que parece fechar o verão nos areais de Viana. Com uma tragédia evitada.

Continuar a ler

Viana do Castelo

César Mourão em Viana: “Uma cidade muito bonita, mas não sabem brincar”

O programa Terra Nossa gravado em Viana do Castelo foi transmitido este sábado na SIC. César Mourão visitou a ribeira de Viana e conheceu algumas das figuras emblemáticas por entre pescadores e vendedoras. Esteve também com os Sons do Minho e ainda fez algumas ‘macacadas’ com o artista plastosonoro João Ricardo, em plena Praça da República. No entanto, o apresentador referiu que Viana é uma cidade muito bonita mas onde não sabem brincar. Vídeo: SIC

em

Foto: SIC Notícias

O programa Terra Nossa gravado em Viana do Castelo foi transmitido este sábado na SIC. César Mourão visitou a ribeira de Viana e conheceu algumas das figuras emblemáticas por entre pescadores e vendedoras. Esteve também com os Sons do Minho e ainda fez algumas ‘macacadas’ com o artista plastosonoro João Ricardo, em plena Praça da República. No entanto, o apresentador referiu que Viana é uma cidade muito bonita mas onde não sabem brincar. Vídeo: SIC

Continuar a ler

Populares