Seguir o O MINHO

Aqui Perto

Padre DJ de Guimarães usa redes sociais para partilhar ‘grandes malhas’ em tempos de quarentena

Padre Guilherme Peixoto

em

Um padre de Guimarães, pároco na Póvoa de Varzim, está a usar as redes sociais para transmitir mensagens de sensibilização sobre a pandemia da covid-19 e partilhar algumas das suas atuações como DJ de música eletrónica.

Guilherme Peixoto, responsável pelas paróquias das freguesias de Laúndos e Amorim, desenvolveu o gosto por este estilo musical há vários anos, partilhando-o na comunidade ao atuar como DJ num espaço da paróquia, mas, também, em vários eventos para qual é convidado.

Agora, com as regras de confinamento ditados pela propagação do coronavírus, decidiu, a partir de casa, mostrar alguns dos seus sets através da Internet, transmitindo-os nas redes social como forma de entretenimento para quem está a cumprir quarentena, mas também para complementar as suas mensagens de sensibilização de como lidar com pandemia.

“Comecei a fazer uns vídeos com as normas de prevenção, e apesar de não ser fácil mudar os hábitos, tiveram muitas visualizações e partilhas. Percebi que se mostrasse algumas destas brincadeiras como DJ podia ter ainda mais alcance na mensagem que queria transmitir e alertar para a gravidade da situação”, disse o sacerdote à Agência Lusa.

Guilherme Peixoto, de 45 anos, acredita que esta é uma forma de “apelar a que as pessoas fiquem em casa e assim protejam a sociedade”, usando um formato que pode ser “lúdico, mas ao mesmo tempo informativo”, onde inclusive partilha questões práticas relacionadas com a Igreja e também as atividades do seu dia à dia.

“Os vídeos têm tido milhares de visualizações, inclusive em outros países como Inglaterra e Brasil. Tenho até médicos amigos que nos comentários vão dando conselhos e alertando para toda esta situação. O importante é educar as pessoas, pois se fizesse um vídeo muito sério ninguém ia ver até ao fim”, disse o padre, que é natural de Guimarães.

Apesar de há mais de uma década ter este passatempo como DJ, nomeadamente num espaço da paróquia de Laúndos, apelidado de “Ar de Rock” que funciona no verão, Guilherme Peixoto garantiu que “nunca tinha feito vídeos a passar música ao vivo”, mas tem sentido que as redes sociais têm permitido “uma proximidade com a comunidade que nunca antes existiu”.

O sacerdote, que é também responsável pelas comunicações sociais do Arciprestado da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, tem ajudado outras paróquias da região a usar estas plataformas digitais para transmitir a mensagem da igreja e divulgar as homilias.

“Muitos padres e paroquias não tem conhecimentos nem equipamentos para usar estas ferramentas, e tenho-os ensinado e ajudado a adaptarem-se. Além de conseguirmos divulgar as missas e o terço do Santuário de Fátima e do nosso Arcebispo D. Jorge Ortiga, fizemos uma parceira com um jornal local para todos os dias, numa diferente igreja do concelho, transmitir-nos a homilia e o evangelho”, descreveu Guilherme Peixoto.

O clérigo, que pode ser pesquisado na Internet como DJ Padre Guilherme, garantiu que continuará com esta atividade nas redes sociais, até porque acredita “que mesmo depois das coisas melhorarem as igrejas vão demorar a ser reabertas”.

“Provavelmente as igrejas serão dos últimos espaços a reabrirem. Não vamos passar de um estado de isolamento a ter as igrejas cheias de gente. Ainda assim, quando isto acabar acho que vamos todos conseguir comunicar melhor e, sobretudo, sermos mais solidários e preocupados com o próximo. E muita gente vai precisar de ser ajudada”, desabafou o sacerdote.

Enquanto isso, o padre Guilherme Peixoto continuará a informar e entreter comunidade com as suas atuações como DJ, que estão programadas para sexta-feira à noite e domingo à tarde.

Anúncio

Aqui Perto

Mercadona abre em Santo Tirso no dia 25 de junho

Novo supermercado

em

Foto: Divulgação / Mercadona

A Mercadona vai abrir uma nova loja em Santo Tirso no dia 25 de junho. Trata-se da 12.ª loja da cadeia de supermercados em Portugal e a 7.ª no distrito do Porto.

O plano de expansão da Mercadona para 2020 inclui a abertura de um total de 10 lojas nos distritos de Aveiro, Porto e Viana do Castelo, adianta a empresa em comunicado.

A Mercadona de Santo Tirso, a segunda a abrir este ano, depois de Aveiro, ficará localizada na rua dos Trabalhadores do Arco, nº 20.

De acordo com comunicado enviado às redações, este supermercado responde ao Modelo de Loja Eficiente que a empresa está a implementar em toda a sua cadeia, incluindo o Pronto a Comer, a secção de refeições já preparadas. Esta loja conta com uma superfície de vendas de 1.900 m 2 e 170 lugares de estacionamento e criará 60 novos empregos.

“A chegada da Mercadona a Santo Tirso veio dar uma nova vida a parte da área onde estava instalada a antiga fábrica Arco Têxteis. Esta loja será aberta ao público com todas as condições de higiene e segurança que temos vindo a implementar para que os nossos ‘Chefes’ se sintam seguros a fazer as suas compras desde o primeiro dia”, refere Joana Ribeiro, Diretora Relações Externas Norte de Portugal na Mercadona, citada no comunicado.

A empresa, tal como tem vindo a fazer desde o início desta situação de pandemia – sublinha o comunicado -, continuará a aplicar todas as medidas de segurança dentro das suas lojas: desinfeção e limpeza, distâncias de segurança e lotação controlada; máscaras, óculos de proteção, luvas e gel desinfetante para todos os colaboradores, assim como proteções de acrílico nas caixas de pagamento.

Os clientes terão ao seu dispor gel desinfetante e luvas na entrada da loja, assim como papel para desinfetar o manípulo do carrinho de compras.

A partir de 1 de junho, as lojas terão um novo horário de abertura: das 09:00 às 21:00.

Mercadona em Portugal

A 2 de julho de 2019, a Mercadona abriu o seu primeiro supermercado em Portugal, em Canidelo, Vila Nova de Gaia, distrito do Porto. Com esta inauguração, à qual se somaram nove lojas, em 2019, localizadas nos distritos de Porto, Braga e Aveiro, a empresa tornou realidade o seu processo de internacionalização, anunciado em junho de 2016 e que se consolidou durantes estes quatro anos graças ao esforço de mais de 900 colaboradores e mais de 300 fornecedores portugueses, aos quais a empresa comprou 217 milhões de euros em 2019. Deste valor, 126 milhões de euros correspondem a fornecedores comerciais, sendo que 90% dos produtos comprados em Portugal são exportados para Espanha.

Segundo a empresa, nos primeiros 6 meses de operação com as suas 10 lojas, a Mercadona obteve uma faturação total superior a 32 milhões de euros e contribuiu para a riqueza do país com o pagamento de 11 milhões de euros em impostos através da sua sociedade portuguesa, Irmãdona Supermercados S.A. A empresa continuou o forte esforço de investimento no desenvolvimento deste projeto, superior a 220 milhões de euros entre 2016 e 2019 e tem previsto para 2020 um investimento em Portugal de 140 milhões de euros.

Continuar a ler

Aqui Perto

Camião cai de viaduto na A3 e faz dois feridos

Acidente

em

Foto: Fama TV

Um camião entrou em despiste após colisão e caiu de um viaduto na A3, em Santo Tirso, cerca das 22:00 horas desta terça-feira, provocando dois feridos, apurou O MINHO junto do CDOS do Porto.

No local estão corporações de bombeiros Tirsenses, Trofa e Famalicão, entre outras autoridades, num total de 44 operacionais e 15 viaturas.

Ao que O MINHO apurou, o pesado de mercadorias colidiu com uma viatura ligeira, ainda na A3, acabando por tombar do viaduto, em Várzea, concelho de Santo Tirso.

Do sinistro resultaram dois feridos ligeiros, os condutores de ambas as viaturas envolvidas no acidente.

Apenas o motorista do camião necessitou de assistência hospitalar.

Continuar a ler

Aqui Perto

Bispo de Vila Real recomenda adiamento de casamentos e batismos

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O bispo de Vila Real, António Augusto Azevedo, recomenda o adiamento de casamentos e batismos e mantém a suspensão das procissões, festas e romarias, medidas que visam contribuir para superar a pandemia.

O regresso das cerimónias religiosas comunitárias está previsto para sábado.

Numa mensagem dirigida a todos os diocesanos de Vila Real, António Augusto Azevedo afirmou que “estes passos de um desconfinamento gradual exigem de todos a mesma prudência e responsabilidade” e renovou o apelo para que “continuem a dar exemplo de maturidade cívica e de compromisso com o bem comum”.

O bispo divulgou um conjunto de recomendações para serem aplicadas no âmbito da diocese de Vila Real, que seguem as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), e apontou que, esta nova fase e tendo em conta as necessárias adaptações, “vai exigir um maior esforço aos párocos, um espírito de compreensão por parte dos fiéis, e, sobretudo, uma grande colaboração entre padres e leigos”.

“Para que em cada comunidade tudo esteja organizado, sugere-se a criação de equipas de acolhimento, para que, em colaboração com os párocos, preparem devidamente as celebrações”, salientou.

António Augusto Azevedo recomenda que “os sacramentos do batismo e matrimónio sejam adiados” e esclareceu que, não sendo possível, devem ser celebrados no respeito pelas orientações da CEP.

Adiantou ainda que “continuam suspensas até novas orientações” as “peregrinações, procissões, festas, romarias, concentrações religiosas”.

“Apesar da pena que esta medida causará a todos, desejamos que ela contribua para que a pandemia não se agrave, antes seja mais rapidamente superada”, referiu.

No âmbito da diocese, as “celebrações do sacramento da confirmação e as visitas pastorais continuam adiadas para o próximo ano pastoral, quando houver condições para a sua realização” e, nesta fase, “são desaconselhados os ofícios dos defuntos na forma pública, podendo ser rezados particularmente”.

De acordo com o bispo, até ao final do ano pastoral, as atividades eclesiais que impliquem maior aglomeração de pessoas, como catequese, reuniões, encontros, devem ser feitas por meios telemáticos.

Os mais idosos, fragilizados ou pertencentes a algum grupo de risco poderão acompanhar as celebrações através dos vários meios de comunicação social ou da Internet, e todos os que vão participar nas celebrações têm de usar máscara ao entrar na igreja e a higienizar as mãos.

A regra do distanciamento vai implicar uma redução da capacidade de cada igreja, poderão ser alterados horários e locais das missas e podem também ser feitas celebrações ao ar livre, sempre que se justificarem e onde houver condições, respeitando as regras litúrgicas e todas as normas de segurança.

“Este conjunto de recomendações visa proteger a saúde de todos os que frequentam as nossas igrejas e participam na vida das comunidades. Agora, mais do que nunca, precisamos de cuidar uns dos outros, sobretudo daqueles nossos irmãos mais afetados por esta crise pandémica e pelas suas consequências”, afirmou.

António Augusto Azevedo aproveitou para realçar “o esforço de muitos padres e leigos em manterem as comunidades cristãs unidas e com a vitalidade possível nestas circunstâncias”, bem como para “exaltar as múltiplas iniciativas dos secretariados diocesanos, movimentos e grupos, sempre com a marca da criatividade pastoral, aproveitando as potencialidades do mundo digital”.

“Estes sinais de renovação que têm evidenciado um maior protagonismo das famílias e dos jovens, são promissores para o futuro da diocese”, acrescentou.

Segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), o distrito de Vila Real contabiliza cerca de 290 casos confirmados de covid-19.

Portugal contabiliza hoje, de acordo com a DGS, 1.330 mortos associados à covid-19 em 30.788 casos confirmados de infeção.

Continuar a ler

Populares