Seguir o O MINHO

País

Os números do Euromilhões

Sorte

em

Foto: DR/Arquivo

É esta a chave do sorteio do Euromilhões desta terça-feira, 21 de maio: 32, 33, 34, 39 e 47 (números) e 8 e 12 (estrelas).

Em jogo para o primeiro prémio do Euromilhões desta terça-feira está um valor de 44 milhões de euros.

Anúncio

País

“Sentido de voto do BE sobre o OE2020 está completamente em aberto”

BE aguarda respostas do Governo

em

Foto: Divulgação

A coordenadora do BE afirmou hoje que o sentido de voto do partido sobre o Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) está “completamente em aberto”, desejando que o Governo minoritário socialista atenda às reivindicações bloquistas.

“Fizemos uma série de propostas ao Governo. Aguardamos ainda resposta sobre elas. O sentido de voto do BE no OE2020 está em aberto, completamente em aberto. A proposta inicial do Governo, do nosso ponto de vista, não é aceitável porque não responde às necessidades do país”, disse Catarina Martins, numa visita à feira do Relógio e contacto com a população em Lisboa.

“Fizemos as nossas propostas para que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a Escola tenham a resposta de que precisam. Para que haja investimento a sério na habitação e para se baixar os preços das rendas. Para que os salários e as pensões possam responder com dignidade à vida das pessoas”, explicou.

A líder bloquista destacou que o BE está “a trabalhar”, em conjunto com a Câmara Municipal de Lisboa, para uma “nova medida” no sentido de que todas as novas construções e reabilitações tenham pelo menos 25% dedicados à renda acessível e defendeu que o OE2020 deve prever mais investimento do Estado para recuperar imóveis e colocá-los no mercado de arrendamento, além de acabar com os vistos ‘gold’ (dourados) e o regime de privilégio fiscal para residentes não habituais que só inflacionam o preço das casas.

“Aguardamos que o Governo possa responder às propostas que colocámos em cima da mesa porque eu lembro que o PS não teve maioria absoluta, portanto tem mesmo de negociar para ter um Orçamento do Estado”, frisou.

A também deputada bloquista declarou que “o BE está com enormes preocupações” em relação ao OE2020 porque “a proposta inicial” do executivo liderado por António Costa “não cumpre a necessidade de investir onde o país precisa – na habitação e nos serviços públicos -, não cumpre a necessidade de um caminho de recuperação das condições de vida de quem vive no país e tem uma vida tão dura e difícil num país tão desigual e injusto”.

“O BE apresenta as suas propostas e exigências para o OE2020, que não são do BE, são as exigências do país. O que interessa um OE2020 que não responde ao SNS? O que irá fazer um OE2020 por este país que não dê condições às escolas? Como é que podemos ter um OE2020 que não olhe para o gravíssimo problema da habitação, um dos maiores problemas das famílias neste país?”, questionou a líder do BE.

Segundo Catarina Martins, “o BE nunca votará favoravelmente a um OE2020 que não responda às necessidades concretas do país, que não responda pelo salário, pela pensão, pela habitação, pela saúde, pela educação”.

“Somos muito claros nos nossos compromissos. Temos uma grande disponibilidade para encontrar soluções, negociar. Mostrámos ao longo do tempo que temos essa capacidade e vontade. Mas um OE2020, para contar com o voto do BE, tem de ser um OE2020 que responda aos problemas concretos do país”, sublinhou.

A proposta do Governo para o OE2020 tem entrega prevista na Assembleia da República para 16 de dezembro, seguindo-se os períodos de discussão na generalidade e na especialidade, mas a votação final global só vai acontecer em fevereiro de 2020.

Continuar a ler

País

Líder cessante da Iniciativa Liberal avisa que jogo ainda está 0-0 e pede consolidação

Carlos Guimarães Pinto

em

Foto: Twitter

O presidente cessante da Iniciativa Liberal, Carlos Guimarães Pinto, avisou este sábado que o jogo ainda está “0-0” para os liberais apesar da vitória ao eleger um deputado, pedindo a consolidação como um “movimento de contracultura, moderado e não populista”.

A intervenção de Carlos Guimarães Pinto na III Convenção Nacional da Iniciativa Liberal, que decorre hoje em Pombal, distrito de Leiria, foi feita através de um vídeo gravado uma vez que o presidente que hoje cessa funções está no Vietname.

Carlos Guimarães Pinto, que no final de outubro anunciou que iria abandonar a liderança do partido, usou uma imagem do tempo em que era árbitro de futebol e muitas vezes acontecia que numa equipa, quando marcava um golo muito cedo, os jogadores, depois de festejarem, repetiam uns para os outros “ainda está 0-0” para “passar aquela mensagem de que aquele golo tão cedo não mudava nada no seu plano de jogo”.

“Nós também conseguimos marcar um golo mais cedo do que o esperado, mas nada disso deve mudar o nosso espírito, a nossa forma de fazer as escolhas. (…) Por isso vos digo, está 0-0. Continuamos a ser um partido de ataque, um partido que quer renovar a política, quer trazer ideias novas, quer trazer pessoas novas, sem ter medo, apenas agora temos mais meios para o fazer do que tínhamos antes”, comparou, referindo-se à eleição de um deputado para o parlamento nas últimas eleições.

Para o presidente em fim de funções – que será substituído na convenção eletiva de hoje pelo deputado João Cotrim Figueiredo, o único a apresentar candidatura – foi um “prazer ter liderado o partido neste ‘sprint’ inicial”, mas avisou que “continua a ser uma grande maratona” já que o partido precisa de continuar a crescer.

“Precisamos acima de tudo de nos consolidar como movimento de contracultura, um movimento moderado, não populista, um movimento que num país socialista é um movimento de contra cultura”, defendeu.

Na perspetiva do liberal, “para defender o autoritarismo, o identitarismo, as falsas boas intenções, qualquer idiota populista serve”.

“Mas para defender a liberdade, o progresso e os caminhos muitas vezes pouco intuitivos para lá chegarmos precisamos de gente capaz, inteligente. O primeiro quilómetro desta maratona acabou e é com muita felicidade que digo que estamos no pelotão da frente. Agora o objetivo é ganhá-la”, enfatizou.

À futura comissão executiva, que será liderada por João Cotrim Figueiredo, só quis “desejar muito boa sorte” uma vez que sabe que “tudo o resto que precisam já têm”.

“Não há nenhuma direção de nenhum partido nacional que conte com uma equipa tão boa como esta e a liberdade precisa de pessoas assim”, elogiou.

Logo no início do vídeo, durante o qual foram aparecendo várias fotografias da atividade de Carlos Guimarães Pinto e do partido nos últimos tempos, o liberal fez questão de destacar os “números da participação da Convenção deste ano”.

“Que grande diferença face à convenção do ano passado, não só pelo número de participantes, mas também pelo número de candidatos às vagas deixadas no Conselho Nacional, assim como o número de moções apresentadas. É fantástico perceber este crescente interesse e a vontade de participar de todos”, afirmou.

Continuar a ler

País

Os Verdes elegem transporte ferroviário como “pilar” de combate ao aquecimento global

Ambiente e transportes

em

Foto: DR / Arquivo

O Conselho Nacional do Partido Ecologista Os Verdes, reunido hoje no Porto, elegeu o transporte ferroviário como o “pilar fundamental” para Portugal combater o aquecimento global e recordou o “não categórico” à exploração de lítio.

“Os Verdes apontam, mais uma vez, o transporte ferroviário como pilar fundamental nas respostas nacionais a implementar para combater o aquecimento global e as assimetrias regionais”, é a primeira das conclusões do Conselho Nacional do partido, que esteve hoje reunido no Porto para discutir a situação nacional.

“Consideramos que de facto uma das respostas nacionais fundamentais a dar em termos de combate e mitigação e às alterações climáticas é sem dúvida a nível dos transportes públicos e por isso esta necessidade de pôr hoje em dia mais material circulante a rolar nas nossas linhas e dar mais resposta”, declarou aos jornalistas Manuela Cunha, da comissão executiva do Conselho Nacional de Os Verdes.

Aquele órgão do partido debruçou-se também sobre a questão da exploração do lítio em Portugal e reiterou um “não categórico” à exploração daquele metal em terras do Barroso, nomeadamente em Montalegre.

Manuela Cunha recordou que essa área é de extrema “sensibilidade ambiental”, onde “nunca deveria ter sido equacionada a exploração de lítio”, porque é numa zona “classificada como Património Agrícola da Humanidade pela FAO”.

A remoção de materiais que contêm amianto em edifícios públicos por constituir um “perigo para a saúde” e o “reforço de investimento nos serviços públicos fundamentais”, como o Serviço Nacional de Saúde, foram outras das conclusões do Conselho Nacional de Os Verdes.

Sobre o Orçamento do Estado para 2020, Os Verdes destacam, “sem prejuízo da posição de voto que assumirão”, que é fundamental face ao quadro atual “combater as alterações climáticas com medidas sérias de mitigação e de adaptação, quer por via energética, quer por via de investimento nos transportes públicos”, bem como “combater as assimetrias regionais”.

Continuar a ler

Populares