Seguir o O MINHO

Futebol

“Os jogadores estão de parabéns, tentaram fazer o que eu queria”

César Peixoto

em

Imagem TVI

Declarações após o jogo Sporting– Moreirense (2-1) da oitava jornada da I Liga portuguesa de futebol:

– César Peixoto (treinador do Moreirense): “Tivemos a equipa fechada devido à covid-19 e, quando cheguei, passados três dias, fiquei eu fechado 10 dias. Tentámos inovar, criar formas de chegar aos atletas. Quando se chega de novo a um clube, a comunicação ficou mais difícil.

Hoje, o Sporting jogou bem, empurrou-nos com alguma naturalidade. Acabámos por fazer um golo. O Sporting respondeu rapidamente a esse golo. Foi um jogo bem disputado. Criámos muitas dificuldades ao Sporting. Na segunda parte, faltou-nos capacidade para ter bola. Esta semana tivemos três jogos e eu tentei fazer alguma gestão.

Os jogadores estão de parabéns, tentaram fazer o que eu queria. Honrámos os pergaminhos do clube.

Vamos esperar um Moreirense a jogar com bola e a discutir o jogo. A nossa ideia é ter mais bola, é ser protagonista. Hoje, aqui e ali, conseguimos. Jogámos com três centrais em alguns momentos, na frente procurámos também para criar mais pressão no ataque para não recuar as linhas e criar dúvidas ao Sporting.

O Sporting foi superior, é natural, mas no detalhe faltou-nos capacidade para levar daqui um ponto. Dou os parabéns ao Sporting porque a vitória também lhes assenta bem.

Tive em equipas da II Liga e quem as conheceu sabe que são equipas muito bem organizadas, que procuram ter bola e que olham o jogo para procurar os três pontos. Acredito que jogando bem estamos mais próximos de vencer.

Temos de pensar jogo a jogo. Estou satisfeito com os jogadores que tenho. Pedro Nuno é um jogador que nos traz qualidade e que é importante para esta equipa e que nos faz falta. Nesta fase (devido às lesões) estamos a passar por algumas dificuldades, mas quando os jogadores voltarem a equipa será mais forte”.

– Rúben Amorim (treinador do Sporting): “Quero enviar um abraço à família de Vítor Oliveira.

Hoje, tentámos sempre arranjar soluções para o golo sofrido. Na primeira parte, tivemos várias oportunidades em frente à baliza, mas o último toque faltou. Marcámos o golo do empate e acreditava que o segundo golo iria surgir logo a seguir, mas não foi isso que aconteceu.

Não é muito importante (dizer que o Sporting é candidato ao título). Queremos ganhar todos os jogos e se isso acontecer seremos campeões. Vamos ter calma até porque a equipa é um pouco inexperiente.

Pode ser uma vantagem (não participar em provas europeias), queremos aproveitar todos os minutos para trabalhar com a equipa porque isso é muito importante. Os nossos jogos são sempre difíceis.

O Pedro Gonçalves é um jogador que está num excelente momento de forma. Para a semana, volta a um clube que bem conhece e se trabalhar bem ao longo da semana pode ser que repita.

Hoje, aqui ou ali, não quisemos meter logo a bola fora. O Nuno Mendes tem direito a um dia pior, o Feddal também, os miúdos também. Estamos a falar de um jogo onde a equipa adversária fez um único remate e fez um golo.

Fomos justos vencedores e o resultado peca por escasso. Seguimos na frente e agora é preparar o jogo com o Famalicão.

Não podemos pedir que a equipa seja muito irreverente e ser muito alegre a jogar e que depois não tenha outro lado da moeda. Faz parte do crescimento passar maus momentos. Não vi a equipa intranquila. Vi as dores de crescimento e vamos perceber isso daqui para frente.

Falta tudo a esta equipa ainda. Estamos muito bem, falta melhorar alguns aspetos. Temos muito para crescer. As vitórias não nos tiram essa realidade. Há dias em que estamos mais inspirados ou não. O jogo teve um sentido, não foi dividido”.

Populares