Seguir o O MINHO

Braga

Olga Baptista (IL) semeia ideais para um concelho de Braga mais próspero

Eleições autárquicas 2021

em

Foto: DR (Arquivo)

A cabeça de lista da Iniciativa Liberal (IL) à Câmara de Braga, Olga Baptista, considera que “já seria bom” eleger um ou dois deputados para a assembleia municipal, mas não descarta, de todo, a hipótese de chegar à vereação.

Em declarações à Lusa, Olga Baptista diz que este é o tempo de “semear” os ideais liberais no concelho, para depois ir colhendo os frutos aos poucos.

“Vou lutar pelo melhor resultado, naturalmente. Se tivermos um deputado é ótimo, dois é melhor do que um, se conseguirmos um vereador é excelente. Mas está tudo nas mãos dos eleitores e da sua vontade de mudar de rumo, despegando-se das políticas do antigamente e optando por políticas mais liberais”, refere.

Com 45 anos, Olga Baptista afirma-se uma “minhota em toda a linha”, já que nasceu em Guimarães, cresceu em Vizela, trabalha em Fafe e vive há 18 anos em Braga.

Licenciada em Ciências Farmacêuticas, é diretora técnica de uma farmácia.

As suas propostas, diz, assentam nas grandes linhas ideológicas da IL, passando por menos Estado local, um Estado mais eficiente e menos impostos.

“Um exemplo daquilo a que me proponho é a melhoria da qualidade da gestão autárquica, através da diminuição da burocracia e da simplificação de todos os processos, que estão embrenhados numa teia burocrática e levam uma eternidade a serem despachados ou resolvidos”, explica.

Vai pugnar também por mais transparência e menos corrupção na atuação do poder.

“São ideias liberais, para um concelho que queremos mais próspero, que crie mais riqueza e onde as pessoas sejam mais felizes. E isto não é nenhuma utopia, já existe lá fora, com cidades muito prósperas, mais inovadoras, mais proativas”, sublinha.

Olga Baptista promete que a questão da mobilidade merecerá “muito carinho” por parte da IL e irá ser trabalhada “afincadamente”.

“Obviamente, a nossa aposta passará por menos carros na cidade e mais e melhores transportes públicos, e outros meios de transporte mais suaves, como as bicicletas”, afirma, admitindo que esta é a visão “de qualquer cidade desenvolvida da Europa”.

A Iniciativa Liberal foi convidada para integrar a coligação liderada por Ricardo Rio, atual presidente do município, mas acabou por decidir concorrer sozinha, considerando que assim fica com “mais espaço para semear” as ideias e as políticas liberais.

“Não foi uma decisão fácil, exigiu alguma ponderação, mas acabámos por concluir que, em coligação, as ideias liberais ficariam um bocadinho abafadas. Além disso, há uma orientação estratégica do partido para candidaturas autónomas. Ouvimos os militantes de Braga e optámos por ir a jogo sozinhos. Este é o tempo de semear, para depois aos poucos irmos colhendo”, explica.

Atualmente, a Câmara de Braga é constituída por sete eleitos da coligação PSD/CDS/PPM, três do PS e um da CDU (PCP/PEV).

O presidente do município é, desde 2013, Ricardo Rio, que é novamente candidato.

As eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.

EM FOCO

Populares