Seguir o O MINHO

Desporto

Ola John, do Vitória SC, diz que lesões e falta de pré-épocas têm afetado carreira

Futebol

em

O extremo Ola John, atualmente ao serviço do Vitória SC, afirmou hoje que as lesões e a impossibilidade de realizar várias pré-épocas o têm impedido de chegar mais longe na carreira.


O ala holandês, de 27 anos, admitiu que a presente temporada, suspensa em 12 de março, devido à pandemia de covid-19, “não está a correr muito bem”, até porque só cumpriu nove jogos e já sofreu duas lesões musculares, uma delas em julho, durante a pré-época, situação que realçou não ser inédita.

“As lesões têm sido muito difíceis para mim. Saí dos Países Baixos muito jovem [em 2012] para ir para o Benfica. Quando saí do Benfica para outros clubes [por empréstimo], em quase nenhum ano fiz uma pré-época normal. Um jogador profissional precisa de uma pré-época, de três, quatro ou cinco semanas. Num ano, fiz pré-época, mas, no seguinte, já não fiz”, disse aos jornalistas, por videoconferência.

Antes de rumar a Guimarães, no verão de 2018, Ola John jogou regularmente pelas ‘águias’ nas épocas de 2012/13 e de 2014/15 – 78 partidas e oito golos -, mas, noutras épocas, foi emprestado ao Hamburgo (Alemanha), ao Reading e ao Wolverhampton (Inglaterra) e ao Deportivo (Espanha), clubes onde a falta de diálogo e de “confiança” por parte dos treinadores o prejudicou “em termos físicos e mentais”.

“Nos primeiros dois ou três anos [no Benfica], falei sempre com o treinador Jorge Jesus. Era um treinador com quem tinha uma confiança muito grande. Mas, nos clubes a que fui emprestado, os treinadores quase não falavam comigo. Não era jogador do clube e a relação era diferente. Depois, o Rui Vitória era muito bom treinador e também falava comigo, mas depois fui novamente emprestado”, recordou.

Apesar da época 2019/20, em que já fez quatro assistências para golo, não estar a correr como queria, o atacante nascido na Libéria salientou que o treinador Ivo Vieira fala regularmente consigo, dando-lhe “confiança”, e mostrou-se “ansioso” por regressar ao trabalho na segunda-feira.

Depois de cumprido “três a quatro semanas” do confinamento nos Países Baixos, onde a mãe e os irmãos residem, Ola John já regressou a Guimarães para recomeçar os treinos no relvado, nos quais cada jogador vai dispor de material de treino exclusivo, no âmbito do plano traçado pelo departamento médico para impedir a eventual propagação do novo coronavírus.

“Vamos fazer treinos individuais. Alguns [jogadores] podem ficar aptos fisicamente mais rapidamente do que outros. Qualquer dia, teremos de começar os treinos em grupo, mas, para já, cada um tem de treinar para si. Temos muita confiança no plano que temos agora”, esclareceu.

Ola John disse ainda sentir-se bem para ajudar o Vitória de Guimarães, atual sexto classificado da I Liga, com 37 pontos, a “ganhar jogos” e a atingir, pelo menos, a quinta posição, caso se realizem as 10 jornadas em falta.

Anúncio

Futebol

Wilson Eduardo já não é jogador do SC Braga

Mercado

em

Foto: Divulgação / SC Braga

Wilson Eduardo, que terminava contrato a 30 de junho, já não é jogador do SC Braga, revelou hoje o clube minhoto, quarto classificado da I Liga de futebol.

A poucos dias de completar 30 anos, Wilson Eduardo despede-se do clube no qual jogou nas últimas cinco temporadas e pelo qual realizou 154 partidas e marcou 45 golos.

Numa nota de agradecimento ao jogador no seu sítio oficial, o SC Braga considera que “há atletas que deixam a sua marca na história de um clube” e que o jogador luso-angolano “é, sem dúvida, um deles”.

Os responsáveis ‘arsenalistas’ lembram ainda que “a sua liderança e dedicação ao clube levaram-no a ser um dos capitães” nas últimas temporadas.

“São tantos os momentos, tantas as alegrias, tantas as emoções que o camisola 7 proporcionou, que terá para sempre um lugar no coração de todos os bracarenses. Marcou a diferença pela sua irreverência e contribuiu para as conquistas da Taça de Portugal em 2016 e da Taça da Liga esta temporada”, pode ler-se.

Continuar a ler

Futebol

Sporting cria grupo para estudar introdução do sistema de I-Voting

Projeto de reforma estatutária

em

Foto: DR / Arquivo

O Sporting criou um grupo de trabalho para apresentar um projeto de reforma estatutária, destinada a prever a introdução do sistema de I-Voting, anunciou hoje o clube em comunicado.

Em comunicado, o Sporting refere o grupo de trabalho será presidido pelo presidente da Mesa da Assembleia-Geral, Rogério Alves, e deverá apresentar o projeto de reforma até 31 de julho.

O clube explica que “o I-Voting permitirá uma muito mais ampla e regular participação dos sócios na vida do clube, uma vez que possibilitará o voto ‘quando quiser e onde estiver’”, garantindo que “caberá aos Sócios deliberarem e terem a palavra final sobre o que vier a ser proposto”.

Continuar a ler

Futebol

Artur Jorge: “Posso estar cá até o presidente entender”

I Liga

em

Foto: Divulgação / SC Braga

Artur Jorge, chamado por António Salvador para orientar o SC Braga até ao final da época, disse hoje que estará no comando técnico da equipa principal de futebol até o presidente entender.

Custódio Castro pediu a demissão do cargo na sequência da derrota de terça-feira com o Rio Ave, em Vila do Conde (4-3), e Artur Jorge, que era o treinador dos sub-23 dos minhotos depois de começar a época nos sub-19, foi a solução escolhida, como interino, até ao final da temporada.

Questionado sobre se poderá continuar como técnico da equipa principal na próxima época, Artur Jorge não descartou essa hipótese.

“Posso estar cá até o presidente entender, este é o meu compromisso. Estou extremamente satisfeito, não imaginam a minha alegria de estar aqui neste lugar, quero desfrutar do momento e não quero pensar no dia de amanhã. Quero ser mais um a contribuir e a ajudar o SC Braga naquilo a que se propõe, independentemente do tempo” em que for técnico da equipa.

Confrontado com a situação de Abel Ferreira, que também começou por ser uma solução interina no Braga e foi, depois, aposta da SAD para técnico principal, e se admite poder repetir esse exemplo, Artur Jorge “constatou” apenas que “esse [caso] é um facto”.

Solicitado a descrever-se como treinador, disse ser um técnico de “grande exigência” e que vê também essa função como fazendo “parte de ser uma extensão dos adeptos”.

“Uma grande exigência, mas também apoio aos nossos jogadores, e a ambição que tem que fazer parte de nós próprios. Sou um treinador muito rigoroso na preparação e nos cuidados. Tenho a minha ideia bem clara, que já a passei aos jogadores dentro do tempo possível”, disse.

Antigo jogador do SC Braga, no qual passou a maior parte da carreira, e técnico de várias equipas do clube, Artur Jorge lembrou ter “mais de 30 anos de casa”.

“Já passei por muito aqui, por muitas tarefas, esta é a mais alta, estou na elite do futebol nacional porque estou dentro de um clube que faz parte dessa elite. Posso não o mostrar, mas tenho um sorriso interno desde terça-feira e que ainda não saiu”, confessou.

SC Braga, quarto classificado, com 50 pontos, e Desportivo das Aves, 18.º e último, com 14, defrontam-se a partir das 21:30 de sábado, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado por Manuel Mota, da associação de Braga.

Continuar a ler

Populares