Seguir o O MINHO

Região

Oficial: Viana sem novos casos covid há mais de 48 horas

Boletim diário da DGS por concelho

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Vila Nova de Cerveira é o único concelho do Alto Minho a registar oscilação nos casos de infeção de covid-19 no Alto Minho enquanto Viana do Castelo mantém os mesmos casos há mais de 48 horas.


De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde desta quarta-feira, o Minho tem um total de 3.858 casos confirmados, mais 12 do que na véspera.

Os números correspondem aos dados recolhidos até as 24:00 de ontem e comportam os dados incluídos na plataforma SINAVE, podendo pecar por defeito de 10%.

Fonte: DGS

Fonte: DGS

Fonte: DGS

Braga regista mais sete casos (1.206) enquanto que Famalicão regista mais dois (396). Barcelos tem mais um (296), assim como Cabeceiras de Basto (17) e Guimarães (701). Celorico de Basto regista menos um caso (22) no boletim.

Os restantes concelhos do distrito de Braga mantêm os mesmos números de ontem: Vila Verde (228), Vizela (131), Fafe (12o), Amares (78), Póvoa de Lanhoso (58), Esposende (45), Vieira do Minho (36) e Terras de Bouro (10).

No Alto Minho, apenas Cerveira sofre oscilação, com mais um caso confirmado (8).

Viana do Castelo (183), Monção (114), Arcos de Valdevez (73),  Melgaço (62), Ponte de Lima (28), Caminha (19), Valença (12), Paredes de Coura (7) e Ponte da Barca (6) mantêm os números de ontem.

Anúncio

Braga

Descarga ‘pinta’ rio Este de branco dia e noite. GNR investiga e vereador apela à denúncia

Poluição

em

Foto cedida a O MINHO por Rayane Lobo

O rio Este está a ser alvo de descargas poluentes, de cor esbranquiçada, desde o início da tarde desta sexta-feira. Pelas 21:30, o rio continua tingido em grande parte do curso que atravessa a cidade.

O MINHO contactou o vereador da Câmara de Braga com o pelouro do ambiente que indicou ter já acionado a GNR para investigar a origem da descarga, investigação essa que se encontra em curso.

Altino Bessa explica que nem sempre é fácil detetar a origem, uma vez que a descarga provem da rede de águas pluviais que atinge “dezenas de quilómetros” debaixo do solo um pouco por toda a cidade.

O vereador apela aos munícipes para que, caso identifiquem a origem de uma descarga, que “façam chegar à autarquia, mesmo que de forma anónima”.

Foto cedida a O MINHO por Rayane Lobo

“Nunca a Câmara escondeu fosse o que fosse ou não teve empenho para descobrir a origem das descargas. Recordo uma situação em que a descarga ocorreu por responsabilidade da própria autarquia, fruto de uma rutura de conduta junto às piscinas da Rodovia, e não encobrimos nada”, assegura.

“Nós não encobrimos ninguém e estamos empenhados ao máximo para detetar”, reforça o vereador, refutando acusações publicadas nas redes sociais de que se tratam de empresas ‘encostadas’ ao atual executivo.

Altino Bessa explica que está em marcha a criação de uma equipa composta por oito pessoas, trabalhadores municipais, para que realizem piquetes no rio Este, assegurando dias, noites, fins de semana e feriados.

Há ainda um trabalhador operacional que está a fazer o levantamento dos principais locais onde ocorrem as descargas para, de alguma forma, se conseguir encontrar os prevaricadores ambientais.

Esclarece ainda que a divisão responsável pelas águas pluviais está a acompanhar a situação com uma equipa de cinco pessoas (mais a chefe de divisão) para se mobilizarem nesses piquetes.

“Isso implica uma remuneração extra e por isso vamos criar uma escala para que haja sempre resposta por parte dos serviços municipais perante estas descargas, até para nos inteirarmos. Essas pessoas vão poder fazer aquilo que tecnicamente se designa como ‘abrir caixas’ para tentar descobrir a origem”, disse.

Esta iniciativa da autarquia serve para complementar o serviço das autoridades, tanto PSP como GNR ou a própria AGERE.

“No entanto, continuamos à espera da própria APA que só cá veio uma vez, depois de muita insistência, para apresentar um plano de fiscalização, pois essa é que é a entidade que tem gestão do domínio publico hídrico”, vincou.

Desde 2017 que a qualidade da água tem melhorado

Altino Bessa já o disse várias vezes mas volta a frisar: “Desde 2017 que temos feito uma renaturalização do rio, seja através da recolha de lixo, e recordo que foram retirados cerca de 300 camiões junto à zona da BOSCH, ou através das condições criadas para atrair espécies que há muitos anos não eram vistas nesse rio”, como é o caso de lontras, aves como os guarda-rios ou anfíbios.

Continuar a ler

Barcelos

Ruas de Barcelos iluminadas para o Natal

Natal

em

Foto: CM Barcelos

As ruas de Barcelos já estão iluminadas para o período de Natal e Ano Novo. O ‘acender’ das luzes ocorreu ao final da tarde desta sexta-feira, com Miguel Costa Gomes, presidente da Câmara, a ligar o interruptor.

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

Foto: CM Barcelos

“Apesar das restrições impostas pela atual situação de calamidade e, eventualmente, por uma posterior declaração do estado de emergência, a Câmara Municipal não quis deixar de cumprir uma das tradições da época natalícia, iluminando as ruas da cidade com motivos decorativos alusivos a esta quadra”, escreveu a autarquia em nota enviada à imprensa.

“Desta forma, procura-se chamar o público a percorrer os espaços da cidade e a usufruir do encanto e da magia de Natal, proporcionados pela iluminação decorativa, e a incentivar à realização das compras no comércio local, mais ainda nas circunstâncias difíceis que o comércio e serviços atravessam devido à pandemia de covid-19”, refere a mesma nota.

A instalação da iluminação resulta da celebração de um contrato com a entidade “Bernardino Castro – Serviços Festivos, Lda”, pelo valor de 68.601,00 euros, acrescido de IVA, e decorre no mesmo espaço do ano passado, estendendo-se a outras ruas da cidade.

Continuar a ler

Alto Minho

Casos ativos descem no Alto Minho mas aumentam em Ponte de Lima, Monção e Melgaço

Covid-19

em

Foto: DR

O Alto Minho tem, atualmente, 1.262 casos ativos de covid-19, menos 44 entre quarta e esta sexta-feira, segundo dados recolhidos por O MINHO junto da Unidade Local de Saúde do Alto Minho, atualizados às 19:30 de hoje.

O distrito de Viana do Castelo soma, desde o início da pandemia, 3.331 casos, mais 157 nestes dois dias.

Há a lamentar 88 óbitos, os mesmos desde quarta-feira.

Contam-se ainda 1.981 recuperados, mais 201 desde segunda-feira.

A maior subida verificou-se em Ponte de Lima, com aumento de 14 casos ativos, contando o município com 374 casos ativos.

Também Monção, com 39 (+1) e Melgaço com 20 (+2) registaram subidas.

Arcos de Valdevez não sofreu oscilação, mantendo os 90 casos ativos da passada quarta-feira.

De resto, todos os concelhos registam descida de casos ativos.

Viana do Castelo tem 323 casos ativos (-19), Caminha 168 (-13) e Valença 144 (-6), Cerveira 51 (-7), Paredes de Coura 26 (-15) e Ponte da Barca 27 (-1).

Continuar a ler

Populares