Seguir o O MINHO

Região

Oficial: 305 infetados em Braga e 70 em Barcelos. Há 777 casos confirmados no Minho

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde desta sexta-feira vem com os números aproximados daquilo que são os casos fidedignos de infeções por Covid-19 discriminados por concelho. Existem 777 casos confirmados no Minho, mais 52 do que na quinta-feira.


Os números correspondem aos dados recolhidos até as 00:01 desta sexta-feira e podem comportar apenas cerca de 79% dos casos reais.

Braga, com 305 (+25 do que ontem) casos confirmados, Famalicão com 110 (+3) e Guimarães com 105 (+6) são os concelhos da região do Minho mais atingidos pela pandemia.

Segue-se o concelho de Barcelos com 70 (+5), Vila Verde com 41 (+5) Viana do Castelo com 38 (+4) , Amares e Póvoa de Lanhoso mantêm 17, Arcos de Valdevez mantém 12, Esposende e Vizela mantêm 11, Fafe com 9 (+1), Melgaço sobre para 7 (+2), Vieira do Minho mantém 6, Monção mantém 5, Caminha sobe para 4 (+1) enquanto Celorico de Basto, Valença e Paredes de Coura mantêm 3 casos.

Os restantes concelhos minhotos registam menos de 3 casos, alguns ainda sem infetados, e não constam no relatório por “motivos de confidencialidade”.

Fonte: DGS

246 mortos, 9.886 infetados e 68 recuperados no país

Portugal regista hoje 246 mortes associadas à covid-19, mais 37 do que na quinta-feira, e 9.886 infetados (mais 852), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de quinta-feira, indica que a região Norte é a que regista o maior número de mortes (131), seguida da região Centro (61), da região de Lisboa e Vale do Tejo (51) e do Algarve, em que hoje se mantém o mesmo número de mortos (3) e se registou a primeira morte no Alentejo.

Relativamente a quinta-feira, em que se registavam 209 mortes, hoje observou-se um aumento de 17,7% (mais 37).

De acordo com os dados da DGS, há 9.886 casos confirmados, mais 852, um aumento de 9,4% face a quinta-feira.

Anúncio

Alto Minho

Detido suspeito de atear incêndios em Monção após ser rejeitado por uma mulher

Polícia Judiciária

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem de 56 anos foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de ter ateado quatro incêndios florestais em Monção. “Terá atuado num quadro de vingança devido a rejeição de que foi objeto por parte de uma mulher”, refere comunicado daquela polícia.

O Departamento de Investigação Criminal de Braga adianta, em comunicado hoje enviado às redações, que três incêndios ocorreram no dia 30 de junho e um quarto, no mês anterior, todos no concelho de Monção.

“Os incêndios, ateados num terreno inserido numa mancha florestal de grandes dimensões, com continuidade horizontal de combustíveis herbáceos, arbustivos e arbóreos, só não atingiram proporções significativas devido à pronta intervenção de meios humanos ou, num dos casos, devido às condições atmosféricas pouco propícias à respetiva propagação”, especifica a PJ.

De acordo com aquela força policial, o homem, desempregado, reside na freguesia onde ateou os incêndios, tendo sido recolhidos “variados elementos de prova, que conduziram à sua detenção”.

O detido é hoje presente à autoridade judiciária competente, para sujeição a primeiro interrogatório de arguido e aplicação de medidas de coação.

Continuar a ler

Braga

Incêndio destrói telhado de restaurante em Rio Caldo, Terras de Bouro

Ocorrência

em

Foto: DR / Arquivo

Um incêndio deflagrou ao início da tarde desta quarta-feira no telhado de um restaurante, em frente à marina de Rio Caldo, em Terras de Bouro, no Parque Nacional da Peneda Gerês.

“Já está em fase de rescaldo”, adiantou a O MINHO o comandante dos Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro, José Amaro.

Além dos danos no telhado, o incêndio não provocou feridos.

O incêndio deflagrou numa altura tardia da hora de almoço, pelo que já não havia muitos clientes no interior do estabelecimento.

O incêndio provocou alarme, mas a pronta intervenção dos bombeiros impediu danos maiores.

Para já, são desconhecidas as causas do incêndio.

Os Bombeiros de Terras de Bouro combateram as chamas com 17 homens apoiados por quatro viaturas.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Barcelos

JOM abre nova loja em Barcelos no fim do verão e aceita candidaturas

Economia

em

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO

A JOM, cadeia portuguesa de artigos para o lar, está a construir uma nova loja em Barcelos.

Tendo já uma loja naquele concelho, na freguesia de Adães, a cerca de seis quilómetros da cidade, a nova unidade trará, no entanto, uma maior centralidade à marca.

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO

A nova loja está a ser construída em Arcozelo, junto à circular urbana, num terreno localizado entre a Rua Pedro Álvares Cabral e a Rua das Calçadas, uma localização próxima do centro de Barcelos.

A JOM adiantou a O MINHO que “a abertura da nova loja em Barcelos está prevista para o final de setembro/início de outubro, sendo a data oficial comunicada em breve”.

A abertura de nova loja pode representar também oportunidades de emprego.

“A JOM está em crescimento e estamos sempre abertos à captação de novos colaboradores que se identifiquem com os valores da nossa organização”, refere a empresa na resposta enviada a O MINHO, acrescentando que “os interessados poderão enviar a sua candidatura para [email protected]”.

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO

A JOM é uma empresa 100% portuguesa com mais de 20 anos no mercado que tem como base “um conceito diferente e inovador de reunir no mesmo espaço” vários artigos para o lar.

“Nas nossas lojas dispomos de um variado leque de móveis, sofás, eletrodomésticos, decoração, iluminação, utilidades e têxteis-lar. O nosso objetivo é oferecer uma variedade de soluções para diferentes gostos, estilos e tendências, desde as linhas mais modernas e de vanguarda, até aos clássicos e rústicos sempre intemporais”, descreve a empresa.

A JOM está representada em 23 cidades do país, entre as quais Viana do Castelo, Guimarães e Braga.

Continuar a ler

Populares