Seguir o O MINHO

Alto Minho

Obras de dois milhões de euros em escola de Caminha com início previsto para maio

Educação

em

Foto: CM Caminha

A Câmara de Caminha informou hoje que a ampliação da escola básica e secundária de Vila Praia de Âncora deverá iniciar-se em maio, após ter adjudicado a empreitada por dois milhões de euros.


Em comunicado, o município destacou que a intervenção contempla também a criação de espaços de integração para o ensino articulado, para a instalação da nova sede da Academia de Música Fernandes Fão (AMFF).

As novas instalações da academia “são construídas ao mesmo tempo que as obras de ampliação da escola, com total autonomia de funções e de espaços, partilhando auditório e zona envolvente”, acrescenta.

A adjudicação da obra à empresa Baltor Engenharia e Construção foi aprovada, na segunda-feira, por unanimidade, em reunião do executivo municipal, que reuniu nos Paços do Concelho, com parte dos elementos a participar com recurso a videoconferência.

Na nota hoje enviada à imprensa, a autarquia presidida pelo socialista Miguel Alves, estima que “os trabalhos possam iniciar-se no próximo mês, faltando apenas o visto do Tribunal de Contas”.

“Esta será também uma forma de dar alguma normalidade a estes tempos”, referiu Migue Alves, citado naquela nota.

Anúncio

Viana do Castelo

Politécnico de Viana do Castelo abre mais de 1400 vagas

Acesso ao Ensino Superior 2020/2021

em

Foto: Divulgação / IPVC

O IPVC disponibiliza este ano mais de 1.400 vagas distribuídas pelos 26 cursos de licenciatura, entre os regimes diurno e pós-laboral e, pelos diversos contingentes de acesso e ingresso ao ensino superior, em quase todas as áreas de conhecimento, anunciou hoje a instituição.

Mais de uma centena de vagas para os estudantes do Ensino Profissional

Este ano os estudantes do Ensino Profissional podem ingressar no ensino superior por um novo contingente – os concursos especiais de ingresso no ensino superior para titulares dos cursos de dupla certificação do ensino secundário e cursos artísticos especializados.

Os estudantes do Ensino Profissional já se podem inscrever nas provas de avaliação dos conhecimentos e competências até 17 de julho, que lhes vão possibilitar a candidatura a um curso de licenciatura do IPVC. O IPVC disponibiliza mais de uma centena de vagas para estes estudantes (ver aqui).

Cursos Técnicos Superiores Profissionais

O IPVC tem igualmente a decorrer as candidaturas aos CTESP até 23 de agosto. Podem candidatar-se a estes cursos todos os estudantes que concluíram o 12º ano, os titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de técnico superior profissional ou ainda de um grau de ensino superior, que pretendam a sua requalificação profissional.

Os maiores de 23 anos que tenham sido aprovados nas provas destinadas a avaliar a capacidade para frequência no Ensino Superior podem igualmente candidatar-se a estes cursos. O IPVC abriu este ano vagas para 21 CTESP em praticamente todas as áreas de conhecimento.

Escolas e cursos

Escola Superior Agrária: Agronomia, Biotecnologia, Enfermagem Veterinária e Engenharia do Ambiente e Geoinformática.
Escola de Ciências Empresariais: Contabilidade e Fiscalidade, Gestão da Distribuição e Logística, Marketing e Comunicação Empresarial e Organização e Gestão Empresariais.
Escola Superior de Desporto e Lazer: Licenciatura em Desporto e Lazer.
Escola Superior de Educação: Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas, Educação Básica e Educação Social Gerontológica.
Escola Superior de Saúde: Licenciatura em Enfermagem.
Escola de Tecnologia e Gestão: Design de Ambientes, Design do Produto, Engenharia Alimentar, Engenharia Civil e do Ambiente, Engenharia de Computação Gráfica e Multimédia, Engenharia de Redes e Sistemas de Computadores, Engenharia Informática, Engenharia Mecânica, Engenharia Mecatrónica, Gestão, Gestão (pós-laboral), Turismo e Turismo (pós-laboral).

Continuar a ler

Alto Minho

Líder do CDS diz em Viana que “braço da geringonça parece estar cada vez mais largo”

Política

em

Foto: DR

O presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou hoje, em Viana do Castelo, que “o braço da geringonça” parece estar cada vez maior, aludindo assim à posição do PSD em relação ao Orçamento Suplementar.

Questionado pelos jornalistas acerca da discussão e votação do Orçamento suplementar e da colaboração do PSD para a viabilização do documento, através da abstenção, Francisco Rodrigues dos Santos comentou que “há um género de colaborações patrióticas que mais parecem coligações exóticas”.

“Parece que há um género de colaborações patrióticas que mais parecem coligações exóticas e que o braço da geringonça está cada vez mais largo. Como não sou conselheiro sentimental do bloco central, a única garantia que posso dar é que, da parte do CDS, queremos mais e melhor oposição, não queremos menos nem pior oposição ao governo socialista”, referiu.

Francisco Rodrigues dos Santos referia-se não só à viabilização do Orçamento Suplementar, mas também às posições do PSD nos debates quinzenais no parlamento e também no caso da ida do ex-ministro para o Banco de Portugal.

A Assembleia da República aprovou hoje, em votação final global, a proposta de Orçamento Suplementar do Governo, que se destina a responder às consequências económicas e sociais provocadas pela pandemia da covid-19.

A proposta foi aprovada apenas com os votos favoráveis do PS, a abstenção do PSD, BE e PAN e os votos contra do PCP, CDS-PP, PEV, Iniciativa Liberal e Chega.

A deputada não inscrita Cristina Rodrigues (ex-PAN) absteve-se e Joacine Katar Moreira (ex-Livre) estava ausente no momento da votação.

Continuar a ler

Alto Minho

Caminha reinventa programação cultural de verão em tempo de pandemia

Cartaz cultural

em

Foto: Divulgação / CM Caminha

“Drive In Vilar de Mouros”, com cinema ao ar livre, “Lar Sustenido”, com música nos lares de idosos, e os concertos “Vilas People” são destaques da programação cultural do ‘Verão 2020’ em “tempos de cólera”, em Caminha.

“A cultura aqui em Caminha não está em confinamento. A cultura vai estar na rua e preparamos um programa forte para este verão de 2020 que passa por manter alguns eventos habituais, mas de uma forma completamente diferente”, com uma “programação cultural nova, forte, que quer simbolizar a ideia de resgatarmos o quotidiano”, disse à Lusa o presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves.

Este ano, para cumprir as regras de segurança emanadas pelo Direção-Geral da Saúde (DGS), no combate à covid-19, eventos como Feira Medieval, Festival de Espadarte ou Festival de Vilar de Mouros não se vão realizar. Todavia, a “cultura não está em confinamento”, e o município reinventou uma programação cultural para os “tempos de cólera” a rondar os 250 mil euros, um valor idêntico ao que investia na Feira Medieval, explicou o autarca.

Caminha anuncia que festival Vilar de Mouros será transformado em ‘drive-in’

“Em tempos de cólera temos de apresentar medidas excecionais, temos que encontrar soluções e foi isso que fizemos. Reinventar o nosso Dão, reinventar a nossa programação cultural, mantendo Caminha como um destino de confiança”, declarou hoje Miguel Alves, numa entrevista telefónica à Lusa, no âmbito do anúncio oficial da programação cultural ‘Verão 2020′, referindo que o concelho de Caminha tem 17 mil habitantes e, “felizmente”, “não apresenta, de momento, casos ativos de covid-19”,

O “Drive In Vilar de Mouros” é um dos destaques elencados pelo autarca. A iniciativa vai decorrer entre 23 a 29 de agosto, no mesmo espaço do festival, organizado pela Câmara de Caminha e pelos mesmos produtores do Festival Vilar de Mouros.

Vai haver um “palco em sistema de ‘drive in’”, como se conhece da América do Norte, onde se oferece a possibilidade de dentro dos carros as pessoas poderem assistir a concertos musicais, a ‘stand-up comedy’, a espetáculos para crianças, apresentação de DJ, num espaço absolutamente controlado do ponto de vista sanitário”, descreveu Miguel Alves.

Entre um bloco de 10 projetos incluídos no programa cultural ‘Verão 2020’, o “Lar Sustenido” é também uma iniciativa que o autarca destacou e que tem o objetivo de oferecer concertos da Banda Filarmónica de Lanhelas, por exemplo, aos idosos que vivem em lares e que foram as pessoas que “estiveram debaixo de fogo” durante a pandemia.

“É um prémio, um mimo que damos aos nossos velhinhos que têm estado a combater estoicamente (…) esta pandemia”, referiu.

“Vilas People” é um conjunto de oito concertos, a acontecer em Caminha e em Vila Praia de Âncora, que arranca a 18 de julho, com a atuação de Tiago Bettencourt a tocar Bob Dylan, no Convento de Santo António, em Caminha.

Inserido no “Vilas People” vai também atuar The Legendary Tigerman, no dia 25 de julho, no Dólmen da Barrosa, em Vila Praia de Âncora, Úxia, a 1 de agosto, no Largo Calouste Gulbenkian, em Caminha, e Toy a tocar músicas de Elton John, a 12 de setembro, na praça da República, em Vila Praia de Âncora, entre outros.

Estes concertos realizam-se às 22:00.

“Quatro Quartas de Jazz” é outra proposta cultural e decorre durante os meses de julho e agosto. Vai permitir que um quarteto de jazz de músicos do concelho de Caminha tome conta das praças de Caminha, Vila Praia de Âncora e de Moledo, “apresentando-se com este timbre do jazz”, acrescentou Miguel Alves.

Com o lema “Concelho de Caminha, Destino de Confiança / A mesma marca em tempos diferentes”, o verão de 2020 também vai oferecer “Cultura de Rua”, um conjunto de 20 eventos, sejam de música ou magia, que vão acontecer de surpresa aos habitantes, seja à saída da praia, da igreja ou junto a uma esplanada, descreveu o autarca.

Uma exposição do artista Pedro Cabrita Reis, com o apoio da Fundação de Serralves, será inaugurada no Museu Municipal de Caminha, a 7 de agosto, e poderá ser vista até meados de outono, em 28 de novembro.

Entre as iniciativas do ‘Verão 2020’, em Caminha, conta-se ainda a “Biblioteca 4L – Leitura sobre Rodas”, que leva livros a várias partes do concelho.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 521 mil mortos e infetou mais de 10,88 milhões de pessoas, em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.587 pessoas das 42.782 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da DGS, hoje divulgado.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia, em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Continuar a ler

Populares