Seguir o O MINHO

Ponte de Lima

Obra para travar sinistralidade na via Foral D. Teresa em Ponte de Lima começa em novembro

em

A empreitada de remodelação da via Foral Dona Teresa, de acesso a Ponte de Lima, vai começar no início de novembro e visa prevenir a sinistralidade na Estrada Nacional (EN) 203, disse hoje o presidente da Câmara.


O autarca de Ponte de Lima, Victor Mendes (CDS-PP), adiantou que o auto de consignação da obra, orçada em 618.267 euros, vai ser assinado na quinta-feira.

A cerimónia vai decorrer em plena via pública, no cruzamento da rua General Norton de Matos com a Via Foral Dona Teresa.

A “intervenção visa dotar a Via Foral de Dona Teresa (designação daquele troço da EN 203) de melhores condições de segurança, tendo em conta os vários acidentes mortais ocorridos nos últimos anos”, destacou a autarquia.

Anteriormente, o executivo explicou que o prazo de execução da obra, “após a consignação dos trabalhos, é de cinco meses e o valor previsto da empreitada ronda os 775 mil euros (com IVA), sendo que cerca de 400 mil euros são suportados pela Infraestruturas de Portugal (IP)”.

“A via em causa é um dos principais acessos à vila de Ponte de Lima [distrito de Viana do Castelo], integrando uma malha urbana plenamente consolidada, onde se localizam diversos espaços e equipamentos públicos educativos e desportivos, bem como estabelecimentos de comércio e de serviços”, referiu o município.

A decisão de avançar com a empreitada resultou de um acordo estabelecido entre a Câmara de Ponte de Lima e a IP.

“Embora os encargos de gestão da manutenção deste troço de estrada nacional não estivessem sob a tutela da autarquia, mas sob a jurisdição da IP, ambos celebraram um acordo de gestão, decorrente da atitude proativa por parte do município, para que a intervenção possa ser efetivada. Este acordo de gestão permitirá ao município avançar com a intervenção, enquanto dono da obra”, explicou a autarquia.

O projeto de reabilitação prevê “o tratamento da travessia urbana, incluindo o reordenamento de acessos e a reformulação de interceções”, através da construção de duas rotundas “enquanto elementos geométricos quebrantes, dissuasores de velocidades excessivas”.

A obra pretende também atuar na melhoria e na reposição do sistema de sinalização vertical, horizontal e de orientação, assim como dos equipamentos de segurança e balizagem.

A empreitada “inclui também a execução de um separador central, infraestruturas, iluminação, ciclovia e vias pedonais da envolvente urbana, para uma maior segurança do peão”.

Em novembro de 2018, um movimento cívico criado em Ponte de Lima promoveu uma vigília para “sensibilizar peões e automobilistas” para a necessidade de prevenir a sinistralidade na EN 203.

A vigília surgiu na sequência de um atropelamento, que causou a morte de uma mulher de 56 anos.

Já em novembro de 2017, a Câmara de Ponte de Lima tinha aprovado um voto de protesto por a IP não avançar com a requalificação daquela via.

Anúncio

Alto Minho

“Há dez anos que venho de férias para Ponte de Lima”

Leonor Poeiras

em

Foto: Facebook

Leonor Poeiras é mais uma figura mediática que escolheu o Minho para passar férias. Mas no caso da apresentadora, de 40 anos, recentemente dispensada pela TVI, não é uma questão de moda e a sua paixão pela vila limiana já terá uma década.

“Há dez anos que venho de férias para Ponte de Lima. Este braço do rio Lima, que passa frente às janelas da sala, é um sonho”, escreveu Leonor Poeiras na sua página de Facebook.

Este verão têm sido muitos os famosos que escolheram o Minho como destino de férias, entre os quais Cristina Ferreira, Rita Pereira, Sara Sampaio ou Nilton.

Continuar a ler

Alto Minho

Bebé cai de varanda em Ponte de Lima

Acidente

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Um menino com cerca de um ano sofreu ferimentos na sequência de uma queda de uma varanda de uma habitação, ao início da noite deste domingo, em Ponte de Lima.

Ao que apurou O MINHO, o acidente ocorreu na Rua da Tanquinha, na freguesia de Gandra.

Fonte dos bombeiros indicou que à chegada, a criança encontrava-se reativa e cooperante.

No local estiveram os Bombeiros de Ponte de Lima e a ambulância de Suporte Imediato de Vida de Ponte de Lima, pertencente ao INEM.

A criança, considerada “ferido leve”, foi transportada para o Hospital de Braga

Continuar a ler

Alto Minho

Aveleda responsável pela redução de caudal de rio em Ponte de Lima, conclui APA

Estorãos

em

Foto: DR

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) concluiu que a redução do rio Estorãos, em Ponte de Lima, está relacionada com a captação para a exploração vinícola da Aveleda.

Apesar de estar a cumprir as condições da licença de captação, a empresa já foi notificada da “necessidade de adequar o regime de exploração constante da mesma” e garantiu que irá acatar as recomendações.

Questionada por O MINHO, a APA começa por referir que “todos os anos o rio Estorãos sofre uma redução de caudal nos meses de agosto e setembro em consequência da época de estiagem. No entanto, este ano essa redução foi mais acentuada”.

Após denúncias, a APA contactou a equipa do SEPNA, da GNR de Arcos de Valdevez, para averiguação no terreno das situações relatadas.

“Esta equipa fez diligências no local, tendo percorrido as secções do rio Estorãos a montante e a jusante da captação superficial licenciada, cujo titular é a empresa Aveleda S.A., tendo verificado que há uma redução do caudal do rio após a captação”, refere a resposta enviada a O MINHO.

Rio em Ponte de Lima está quase seco. Aveleda garante não ser a causa do problema

“Assim, na sequência das condições verificadas no local, e embora estejam a ser cumpridas as condições impostas na licença de captação, a APA comunicou ao titular da licença a necessidade de adequar o regime de exploração constante na mesma, em resultado da alteração das circunstâncias de facto existentes à data da emissão do título, nomeadamente a degradação das condições do meio hídrico”, acrescenta aquela entidade, concluindo que, após a comunicação, “a empresa informou que irá dar seguimento ao solicitado”.

Como O MINHO noticiou, o rio Estorãos em Ponte de Lima está com um caudal de água muito reduzido.

A exploração vinícola de 100 hectares na freguesia de Cabração, propriedade da Aveleda, vinha sendo apontada como a responsável.

Em declarações a O MINHO, António Guedes, administrador da Aveleda, garantiu que a empresa cumpre os requisitos da licença de captação, mas que se a APA concluísse que a empresa era a responsável pela secura do rio, encontraria uma solução para resolver o problema.

“Estamos aqui para construir, não para destruir. Qualquer problema que haja, estamos dispostos a construir uma solução”, reforçou o administrador.

O tema chegou à Assembleia da República pelo Bloco de Esquerda, que questionou o governo sobre as razões da “redução drástica” do caudal do rio Estorãos e que medidas o Governo iria tomar para garantir “uma condição essencial para a preservação daquele ecossistema fluvial”.

Continuar a ler

Populares