Seguir o O MINHO

Guimarães

O museu e o monumento mais visitados no Norte são de Guimarães

em

Foto: Divulgação

O museu e o monumento mais visitados no Norte de Portugal estão em Guimarães. O Paço dos Duques de Bragança e o Castelo de Guimarães lideram as listas, segundo dados da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN).


O Paço dos Duques de Bragana registou 174.892 entradas nos primeiros seis meses de 2018, um aumento de 9,3% em comparação com o mesmo período do ano passado. O local recebeu 1,5 milhões de visitantes nos últimos cinco anos.

O Castelo de Guimarães teve um crescimento de 9,4% de visitantes em relação aos primeiros seis meses de 2017. No primeiro semestre deste ano, o monumento recebeu 135.310 pessoas.

Em 2017, a DRCN registou pelo quarto ano consecutiva uma subida dos visitantes de museus e monumentos da região. Este ano, deve aumentar outra vez. Entre janeiro e junho de 2018 foram registados 622 mil visitantes, um aumento de 12,2 % em relação ao mesmo período do ano passado.

Anúncio

Guimarães

Homem encontrado morto dentro de casa no concelho de Guimarães

Nas Taipas

em

Foto cedida a O MINHO pelo Notícias das Taipas

Um homem de 71 anos foi encontrado sem vida ao final da tarde desta terça-feira depois de ter sido dado como desaparecido pela família, em Caldelas, concelho de Guimarães.

Os Bombeiros das Taipas, com uma ambulância e uma viatura especial no total de cinco elementos, foram acionados para uma abertura de porta na rua Viela do Alvite, encontrando o homem já sem vida no interior da habitação.

Ao que apurámos, o homem não era visto há mais de 24 horas e as portas de casa encontravam-se encerradas, pelo que terá sido solicitado junto das autoridades a abertura da porta da habitação.

As autoridades confirmaram o óbito, transportando o corpo da vítima para o Instituto de Medicina Legal do Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães.

Não havia sinais de violência pelo que depreende que se tratou de uma doença súbita.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

Montanha da Penha, em Guimarães, já tem um mapa turístico

Turismo

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Uma parceria entre a Irmandade da Penha, a Turipenha e a Câmara de Guimarães resultou no mapa turístico da Montanha de Penha, de valorização dos seus recursos naturais e de aproximação à cidade e ao turismo.

Em comunicado, a autarquia minhota descreve que o mapa turístico sobre a Montanha da Penha está disponível em quatro línguas (português, espanhol, francês e inglês), reafirmando Guimarães como destino de excelência para a prática de Turismo de Natureza.

Neste documento, prossegue a nota de imprensa, “estão descritas informações de relevo alusivas ao Pio IX, à Gruta da Senhora de Lourdes, à Capela de Santa Catarina, ao Teleférico, ao Parque de Campismo e ainda um programa de atividades possíveis de realizar, com os contactos úteis”.

“A Montanha da Penha, com uma área de 1.140 hectares é definida como um local de extrema relevância para os habitantes locais e para os visitantes, quer pelo impacto visual que tem sobre a cidade, quer em termos paisagísticos, mas também pelas mais variadíssimas vertentes tais como religiosa, cultural, desportiva, turismo e lazer”, refere ainda o comunicado.

Acrescenta a comunicação que “Guimarães tem definido uma estratégia clara no âmbito da promoção de Turismo de Natureza, onde a Montanha da Penha emerge como um dos principais ecossistemas do concelho, com a candidatura em curso para área Protegida de Âmbito Local”.

Continuar a ler

Guimarães

Câmara de Guimarães entrega habitação social partilhada

Solidariedade

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Coordenação de Âmbito Social e Financeiro das Habitações do Município de Guimarães (CASFIG) procedeu à entrega de uma habitação social partilhada, iniciativa que beneficia famílias unipessoais, refere um comunicado camarário divulgado hoje.

Em causa está uma residência partilhada, um projeto que segue o modelo de distribuição espacial permitindo a ocupação individual da habitação, de modo totalmente independente, com quarto, casa de banho e cozinha.

“Reconhecendo a importância desta modalidade alternativa ao alojamento convencional, a CASFIG tem vindo ao longo dos anos a aperfeiçoar o seu modelo de implementação e funcionamento, procurando sempre melhorar a sua funcionalidade e garantir maior privacidade individual a cada residente. Nesta linha de atuação foi criada mais uma residência partilhada, com um modelo inovador que permite conferir ainda mais privacidade aos seus residentes, bem como um melhor funcionamento das dinâmicas de convivência diária”, descreve a Câmara de Guimarães.

Até hoje foram entregues 12 residências masculinas partilhadas e seis residências femininas partilhadas, que resulta no apoio total a 45 famílias unipessoais.

Continuar a ler

Populares