Seguir o O MINHO

Futebol

“O Fábio [Abreu] tem feito um trabalho extraordinário”

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações dos treinadores após o Moreirense – Marítimo (2-0), jogo da 24.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos:


Ricardo Soares (treinador do Moreirense): “[O triunfo] é importante para a nossa caminhada. São mais três pontos. O jogo nunca esteve fácil. O Marítimo tem uma excelente equipa. Os [nossos] jogadores fizeram um trabalho defensivo exemplar. Deram pouco espaço e foram muito compactos. O Marítimo teve muitas dificuldades em penetrar em zonas interiores. Controlámos sempre o jogo e fomos muito fortes nas transições [ofensivas]. O Marítimo assume os jogos e teve mais posse de bola, mas nunca colocou em causa a nossa organização defensiva.

O Fábio [Abreu] tem feito um trabalho extraordinário e tido um crescimento sustentado. Sem a ajuda dos colegas, ele não apareceria tanto no jogo. Mas é injusto eu não falar em todos os jogadores. O Filipe [Soares], o Alex [Soares] e o Iago fizeram um grande jogo. Fico feliz por ele, porque estamos na presença de um atleta que tem uma capacidade humana fantástica e é um grande profissional.

Não sofrer golos [ao fim de 19 jogos] tem um significado especial. O objetivo principal era a vitória, mas ganhar sem sofrer golos era importante. Temos defendido com qualidade e só temos praticamente sofrido de bola parada. Isto mostra que os jogadores são competentes. Mais importante do que não sofrer golos, é sentir que, a cada jogo que passa, concedermos menos oportunidades aos adversários. Mas ainda temos muita margem para crescer até ao final da época. Vamos ver até onde a equipa pode ir

Os 30 pontos dão confiança e motivação para trabalharmos cada vez mais. A I Liga é extremamente competitiva para as equipas de baixo [da tabela]. Os pontos dão-nos conforto, mas não queremos estar confortáveis. Queremos trabalhar e rentabilizar os ativos que temos no clube. Tenho uma vontade muito grande de ajudar os jogadores a serem melhores.

Só nos próximos dias é que poderemos saber o que tem Gabrielzinho [que foi substituído após lesão]”.

José Gomes (treinador do Marítimo): “Ainda vamos ter de ir à procura de todos os detalhes [para explicar a derrota]. O jogo começou tal e qual como esperávamos, com a coesão defensiva que caracteriza o Moreirense, com linhas juntas, a não dar espaço. Havia que procurar pacientemente desequilibrar a organização defensiva do Moreirense, tendo de circular a bola para a fazer chegar às ‘costas’ dos médios do Moreirense.

O Marítimo circulou mais a bola, mas de forma lenta e previsível, diga-se, e o Moreirense não se desequilibrou. Não houve relação entre posse de bola e oportunidades de golo. Os dados indiciam equilíbrio no jogo, à exceção dos cantos, que o Moreirense teve mais.

Hoje faltou uma coisa na minha equipa: a agressividade, um espírito competitivo forte. Faltou alma, ‘chama’, alegria de jogar, dinâmica. Hoje não tivemos isso. O único responsável sou eu. Sei que os meus jogadores têm capacidade para mais. O que aconteceu hoje merece uma reflexão profunda. O jogo era fundamental, atendendo à nossa posição na tabela classificativa (15.º lugar). O Marítimo é um clube muito grande, com potencial enorme e muitos adeptos. O histórico do Marítimo obriga a que quem o representa dê sempre o máximo. Temos de caminhar nesse sentido.

(Falta um goleador ao Marítimo?) O Rodrigo Pinho tem um registo de minutos e de golos marcados que mostra que ele faz golos (marcou cinco em 941 minutos para a I Liga). O Joel, na primeira vez que jogou no Marítimo, tem um registo de nove golos em meia época. Mas o plantel é este. As soluções têm de ser encontradas pela dinâmica da equipa.

(O que pode ainda o Marítimo conseguir no campeonato?) 10 jornadas são muitos jogos. São 30 pontos em disputa. Se olharmos para cada jogo como se fosse a única oportunidade de fazer mais e melhor e conseguir os pontos que precisamos, as coisas estariam de outra maneira. Mas eu acredito que os jogadores vão dar uma resposta já no próximo jogo [receção ao Vitória de Setúbal, no sábado]. Há uma discrepância muito grande entre a entrega, a qualidade e o rendimento que os jogadores mostram nos treinos e o que acontece nos jogos”.

Anúncio

Futebol

Dois golos nos descontos em Guimarães e o Gil Vicente festeja manutenção

31.ª jornada

em

Foto: DR / Arquivo

Gil Vicente venceu hoje na visita ao Vitória SC, por 2-1, na 31.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com a equipa de Barcelos a marcar dois golos nos descontos e a garantir a manutenção.

A equipa vimaranense marcou o primeiro golo da partida aos 63 minutos, por intermédio do avançado brasileiro Bruno Duarte, mas o Gil Vicente deu a volta ao marcador com golos de Rúben Ribeiro, aos 90+3, e Kraev, aos 90+9.

Com esta vitória, o Gil Vicente está em nono lugar, com 39 pontos, e já garantiu a manutenção, enquanto o Vitória, que vinha de dois triunfos, está em sétimo, com 46 pontos, e atrasou-se na luta por um lugar nas competições europeias.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória SC – Gil Vicente, 1-2.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

1-0, Bruno Duarte, 63 minutos.

1-1, Rúben Ribeiro, 90+3.

1-2, Kraev, 90+9.

Equipas:

– Vitória SC: Douglas, Sacko, Frederico Venâncio, Suliman, Florent, Mikel Agu, Dénis Poha (Pepê, 85), André André (André Almeida, 85), Marcus Edwards (Ouattara, 79), Ola John (Davidson, 68) e Bruno Duarte (João Pedro, 79).

(Suplentes: Jhonatan, Victor Garcia, Pedro Henrique, Pepê, André Almeida, Abouchabaka, Rochinha, Ouattara, Davidson e João Pedro).

Treinador: Ivo Vieira.

– Gil Vicente: Denis, Alex Pinto, Rodrigão, Ygor Nogueira, Edwin Banguera, Soares, João Afonso, Yves Baraye (Ahmed Isaiah, 65), Rúben Ribeiro, Lourency (Samuel Lino, 65) e Hugo Vieira (Claude Gonçalves, 90+6).

(Suplentes: Bruno Diniz, Fernando Fonseca, Vítor Carvalho, Claude Gonçalves, Ahmed Isaiah, Bozhidar Kraev e Samuel Lino).

Treinador: Vítor Oliveira.

Árbitro: Vítor Ferreira (Associação de Futebol de Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Suliman (28) e Bruno Duarte (70).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(em atualização)

Continuar a ler

Futebol

Gomes reeleito para último mandato na FPF

Candidato concorreu sem oposição

em

Fernando Gomes. Foto: DR

Fernando Gomes foi reeleito hoje presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), até 2024, na Assembleia-Geral eleitoral do organismo, à qual concorreu sem oposição para um terceiro e último mandato.

Aos 68 anos, Fernando Gomes foi reeleito pela terceira vez para o cargo, para um mandato até 2024, pela segunda vez sem oposição, depois de ter vencido as eleições de 2011 frente a Carlos Marta.

A direção foi eleita com 74 votos a favor (90,2%), três em branco e cinco nulos, sendo que votaram 82 dos 84 delegados inscritos.

O antigo avançado Hélder Postiga é uma das novidadades na direção, na qual estará juntamente com os repetentes Humberto Coelho, João Vieira Pinto, Pedro Pauleta, José Couceiro, Pedro Dias, Mónica Jorge e Rui Manhoso.

Além do antigo internacional, também José Alberto da Costa Ferreira, que presidia à associação de Viseu, surge no elenco diretivo, do qual se registam as saídas de Carlos Coutada, Elísio Carneiro, que transita para o Conselho Fiscal, e Júlio Vieira, assim como de Hermínio Loureiro, que deixou a FPF na sequência da acusação do Ministério Público na operação ‘Ajuste Secreto’, e que foi ‘substituído’ por Couceiro.

Cláudia Santos é a cabeça de lista para o Conselho de Disciplina (CD), para suceder a José Manuel Meirim, Luís Verde de Sousa vai liderar o Conselho de Justiça (CJ), enquanto José Fontelas Gomes, Ernesto Ferreira da Silva e José Luís Arnaut se mantêm como líderes dos restantes órgãos, casos de Conselho de Arbitragem (CA), Conselho Fiscal (CF) e Mesa da Assembleia-Geral (MAG), respetivamente.

Continuar a ler

Futebol

“Jogando melhor ou pior”, o que Petit quer é vencer o Moreirense

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Belenenses SAD, Petit, realçou hoje a importância de vencer nesta fase, independentemente da exibição, diante do Moreirense, na 31.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

“Tivemos cinco dias para nos focarmos no Moreirense, uma equipa boa, bem orientada e com qualidade. Analisámos e corrigimos o que não fizemos tão bem e preparámos o jogo dentro das nossas ideias, não fugindo muito ao nosso padrão. O mais importante nesta fase é lutar pelos três pontos, jogando melhor ou pior, é a atitude e a intensidade”, frisou.

Em conferência de imprensa de antevisão à partida que encerra a jornada, Petit encara o encontro com responsabilidade, tendo em conta as derrotas de Portimonense, Tondela e Vitória de Setúbal, adversários diretos na luta pela manutenção.

“[As derrotas dos adversários diretos] Dá-nos a responsabilidade de amanhã [sábado] fazermos o nosso trabalho. Passa por fazer um bom jogo, trabalhámos aspetos físicos, mentais e táticos. Os jogadores deram uma boa resposta e vamos lutar pelos três pontos”, reforçou.

Os ‘cónegos’ estão em posição confortável na tabela classificativa, com a manutenção garantida e sem estar intrometidos na luta por um lugar europeu, e Petit apelou ao equilíbrio nos vários momentos do jogo, que será “uma final”.

“[O Moreirense] Está numa fase equilibrada em termos emocionais, tem jogadores de qualidade e processos bem definidos. Tem de haver um equilíbrio, concentração nas bolas paradas. Do outro lado, é uma equipa com qualidade, que sofre poucos golos”, alertou.

Depois da pesada derrota na visita ao líder FC Porto (5-0), num jogo marcado pela ausência de guarda-redes suplente, devido ao teste positivo à covid-19 de João Monteiro, que colocou André Moreira em isolamento profilático, Petit realçou a necessidade de ter jogadores “frescos” na ‘reta final’ de uma época desgastante.

“Tem sido um desgaste enorme ao longo desta época, com muitos jogadores lesionados e com a paragem do campeonato. Sabemos que temos três jogos pela frente e todos os jogadores são importantes”, afirmou, sem revelar se Gonçalo Silva e Silvestre Varela estarão aptos para a partida.

De fora, estão confirmados os defesas Eduardo Kau, Tomás Ribeiro, Chima Akas e Francisco Varela, que constam no boletim clínico dos ‘azuis’.

A formação lisboeta realiza hoje novo teste de despistagem à covid-19, a 24 horas do encontro, de acordo com o protocolo, com os resultados do teste a determinarem a possibilidade de André Moreira poder constar da ficha de jogo ou então a inscrição de outro guarda-redes, consoante a decisão da Liga de clubes e da Direção-Geral da Saúde.

O Belenenses SAD, 14.º classificado, com 31 pontos, recebe no sábado o Moreirense, oitavo, com 39, na Cidade do Futebol, em Oeiras, em jogo de encerramento da 31.ª jornada, às 19:15, com arbitragem de Luís Godinho, da Associação de Futebol de Évora.

Continuar a ler

Populares